A A A C
email
Retornando 29 resultados para o mês de 'Maio de 2018'

Terça-feira, 15/05/2018

Pequenos Cientistas: Célula na Gelatina

Tags: 2ªcre, ciencias.

 

Aulas lúdicas de Ciências na Escola Francisco Manuel despertam curiosidade e desejo de aprender nos educandos.

 

 

A professora Deborah Senra, regente de Ciências, na Escola Francisco Manuel contou ao portal Rioeduca sobre como as atividades lúdicas despertam o interesse do aluno.


A ideia foi: Como trazer para o nosso dia a dia coisas tão pequenas quanto as células? E pensando nisso  a professora Deborah Senra, propôs aos alunos uma atividade lúdica voltada para o entendimento das células e suas organelas citoplasmáticas.

 

 

Atividade lúdica realizada em grupos.

 

 

Para tentar entrar neste mundo microscópico a professora levou para sala de aula do sétimo ano: gelatinas de morango, granulados, caldas e confeitos comestíveis, tentando simular as organelas citoplasmáticas e a organização interna das células. O objetivo era que cada aluno criasse a sua própria célula e desenhasse dentro da gelatina os componentes que existem nas células; as organelas citoplasmáticas como ribossomos, material genético, mitocôndria, retículos, complexo de golgi, etc...

Os alunos se dividiram em grupos e, usando os ingredientes levados por eles mesmos, foram criando, através da imaginação, como seria uma célula e como estariam organizados dentro desta as organelas citoplasmáticas. A atividade foi feita em grupo, mas cada um fez a sua própria experiência.

 

 

Atividade realizada em grupo, mas cada aluno fez sua própria experiência.

 

 

Após a experiência de criação da célula, os alunos deveriam escrever em uma folha os ingredientes que eles usaram para fazer cada parte e a função da organela citoplasmática desenhada na gelatina.

 

 

Atividade escrita após a realização das experiências.

 

 

Depois da missão cumprida veio a melhor parte. Comer a arte em formato de célula e se saborear com caldas, granulados, bolas de chocolate e muito mais. Uma delícia de atividade!

A aluna Camila relatou que gostou demais da atividade, e disse que colocou o núcleo na região central da célula, feita por ela com a calda de chocolate.


O aluno João Victor, fez uma célula procarionte, desenhando apenas o material genético sem a carioteca (núcleo). Ele contou que fez o material genético com o Chocoball, os ribossomos com o granulado e a membrana plasmática externa com a calda de chocolate. Ele disse que gostou da experiência, porque ficou perto dos amigos e pode comer ao final da aula.

A aluna Sara disse que a experiência foi boa, porque conseguiu gravar melhor os nomes das partes da célula. Ela fez uma célula eucarionte aonde o granulado representou a membrana plasmática, o carioteca foi a calda de chocolate, e os granulados espalhados eram as organelas como ribossomos, retículo endoplasmático liso e rugoso, mitocôndria,etc.

Para o aluno Miguel a atividade foi interessante para aprender e relembrar as funções de cada organela. O aluno desenhou uma célula eucarionte animal com região central bem delimitada e os retículos endoplasmáticos lisos. Além do material genético dentro da carioteca que fez com uma bolinha do chocoball.

 

Agradecimentos a professora Deborah Senra por compartilhar conosco este trabalho que demonstra como as atividades lúdicas despertam o interesse e contribuem para o conhecimento do aluno.

 

O contato da unidade escolar é: emfmanuel@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 


  


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 15/05/2018

Projeto Cientista Mirim na E.M. Holanda

Tags: 11ªcre, água, ciência.

 

Projeto Cientista Mirim: Estados Físicos da Água no 1º Ano

 


A E.M. Holanda, localizada na Ilha do Governador, desenvolveu o projeto, Cientista Mirim, com as turmas 1101, da professora Marli Rojas e 1102, da professora Elisa Gonçalves. O objetivo da atividade foi provocar e instigar a curiosidade dos alunos, na busca pelo conhecimento, através do questionamento sobre fenômenos da natureza, especificamente, os estados físicos da água.

Nos tempos atuais, repletos de informações em todas as mídias, as professoras acreditam que, experimentar, observar, fazer acontecer, desperta a curiosidade nos alunos, pelas coisas científicas e ações da natureza. Experiências simples e acessíveis podem desvendar mistérios do mundo infantil.


Por que chove? Por que venta? Por que somos assim? São tantas as indagações! O intuito é obter as respostas, através dessas experiências, fazendo com que sintam-se capazes e desenvolvam a autonomia.

 

Estado líquido para o estado Gasoso: Alunos verificando a mudança

 

Metodologia: O projeto foi dividido em 9 (nove) etapas, conforme a listagem abaixo:

 

  1. Visionamento do desenho “O Show da Luna!” – episódio “Como a água vira chuva.”;
  2. As crianças registraram, através de desenhos e escrita, como acontece a evaporação da água;
  3. Os alunos colocaram água no copo, conferiram com a régua a medida da água para, posteriormente, fazer comparações;
  4. Colocação dos copos em um local onde as crianças pudessem observar o processo de evaporação. Como os copos estavam numerados, as crianças organizaram a sequência numérica;
  5. Registro da lista de material utilizada para fazer a experiência e do que foi feito no primeiro dia;
  6. Acompanhamento da experiência: Após alguns dias, as crianças voltaram a medir a água no copo. Fizeram o registro da etapa;
  7. Explicamos sobre os estados físicos da água e mostramos como acontece o processo de solidificação;
  8. Registro do que foi observado.
  9. As crianças coloriram mandalas com tema “Água” e confeccionaram um lindo mural

 

Além de despertar a curiosidade e a vontade de aprender, foi desenvolvido a atenção, concentração, observação, a capacidade de selecionar, medir, quantificar!

 

Estado líquido para o estado sólido: Registro da observação
 

 

Os objetivos foram atingidos:

 

  • Desenvolver a capacidade de registrar, através de desenhos ou palavras escritas.
     
  • Desenvolver a solidariedade e o trabalho em grupo.
     
  • Desenvolver a responsabilidade coletiva e individual, pelo sucesso das experiências.
     
  • Desenvolver a consciência do planeta e dos recursos, como finitos e essenciais à vida.
     
  • Ler e escrever textos explicativos simples, quando possível.

 

 

"Pudemos perceber a alegria das crianças em aprender, descobrir, experimentar, ser capaz. Nos trouxe a certeza de que caminhamos na trilha certa, estimulando nossos cientistas mirins."

Redatora do Blog: Elisa Gonçalves

 

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: E.M. Holanda

Telefone: (021) 3353-9933 ou 3393-9122

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 15/05/2018

Uma aula diferente no Parque Nacional da Tijuca

Tags: extensividade, museu, projeto.

 

Uma aula diferente no Parque Nacional da Tijuca

 

Alunos da Rede Municipal de Ensino têm uma aula diferente quando participam de atividades do CEAMP (Centro de Educação Ambiental do Parque Nacional da Tijuca). No dia 09 de maio, alunos do GEO Juan Antonio Samaranch fizeram o circuito Paineiras/Corcovado onde puderam visitar a exposição “Floresta Protetora”. Os alunos se encantaram com a maquete de 120 m2 que retrata os 3.200 hectares do Parque Nacional da Tijuca e destaca sua localização em relação à cidade do Rio de Janeiro e interagiram com os painéis que apresentam informações sobre o Parque e suas relações com a cidade. Todas as terças-feiras e quartas-feiras estudantes de diferentes escolas participam desta ação.

 

 

Aproveitando os vários recursos interativos da exposição, os alunos participaram ativamente da discussão sobre o conceito da exposição - que é reverter a concepção de fragilidade da floresta: é a floresta que exerce o papel de protetora da cidade e de todos que vivem diariamente dela - estabelecendo diversas relações com os conteúdos estudados na escola.

 

O ponto mais esperado da atividade foi a visita ao monumento do Cristo Redentor, já que a maioria nunca teve a oportunidade de conhecer o mais conhecido ponto turístico da cidade. Além de tirarem muitas fotos, alguns interagiram como os turistas, principalmente estrangeiros, e até conseguiram localizar a escola no meio da cidade!

 

 

O Projeto CEAMP - coordenado pela Gerência de Projetos de Extensão Curricular (GPEC) - desenvolve atividades de Educação Ambiental no Parque Nacional da Tijuca, atendendo a professores e alunos da Rede Pública Municipal de Educação do Rio de Janeiro, em especial nas trilhas situadas na Floresta da Tijuca e no setor Paineiras/Corcovado, As visitas orientadas ao setor Paineiras/Corcovado têm como proposta uma ação educativa que perpasse pelo entendimento que o Parque Nacional da Tijuca é uma área natural protegida e qual a sua importância para a cidade do Rio de Janeiro, estimulando os alunos a observar, experimentar, sentir, refletir e compreender sua relação com este ambiente, possibilitando a construção de uma cidade mais responsável e voltada para a sustentabilidade das suas reservas naturais.

 

 

Gerência de Projetos de Extensão Curricular
 

Telefones: 2976-2291 ou 2976-2336
Site: http://extensividade.wix.com/sme-rj-extensividade
Blog: http://extensividade-sme.blogspot.com.br/
Twitter: https://twitter.com/extensividade
Facebook: https://www.facebook.com/projetoescolaemuseurj


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 14/05/2018

Jornal Mural: O Mundo na Sala de Aula

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, riodeleitores.

 

Jornal Mural traz o o Mundo para dentro do espaço escolar na Ilha de Paquetá.

 

A escrita de fatos importantes é uma prática de letramento comum em nossa sociedade. A maneira mais comum de registrar os acontecimentos é pelo jornal, que pode ser impresso, televisivo, radiofônico, virtual. Pode ter circulação ampla (internacional, nacional), ou local (jornal de bairro, de associação de moradores etc.).

 

 


Em razão da importância desse meio de comunicação em nossa sociedade, a professora Shayna Silva, Regente da turma de 6º Ano Experimental da Escola Municipal Joaquim Manuel de Macedo, propôs um jornal mural com os alunos, em que registrem fatos e eventos da sala de aula, da escola e da comunidade relevantes para eles. A ideia é confeccionar o jornal de maneira que possa sempre ser atualizado e afixá-lo na parede, para que todos possam ler.


Uma vez por semana, os alunos levam recortes de reportagens podendo ser de jornais ou revistas. Definidos os temas, cada grupo fica responsável por trazer para sala de aula uma reportagem com um determinado tema (dicas beleza e saúde, culinária, esporte, lazer, política, superação e etc). Depois de serem selecionadas, cada grupo fica com uma das reportagens, organiza e apresenta para a turma, em roda, onde expõem suas opiniões, argumentando os diversos pontos de vista.

 

 


Essa atividade além de promover o gosto pela leitura e interpretação de texto, também proporciona as crianças conhecimento sobre o mundo que os cerca, estimulando a consciência crítica e despertando o interesse em dialogar.

 

 

 


Como desdobramento da proposta, os alunos são estimulados a escrever suas próprias reportagens, que são expostas no Mural da sala de aula.


Para a professora Shayna, “(...) essa atividade tem apresentado bons resultados no desenvolvimento dos nossos alunos, primeiramente que demonstraram uma boa desenvoltura ao apresentar o que leram para o restante da turma, dividindo entre eles as partes importantes para que cada um pudesse contar o que leu, e depois um ou dois expõem a opinião do grupo sobre o que leram, o que desenvolve autonomia, sem contar a troca de experiência que também é muita significativa nesses momentos; e segundo que eles estão realizando pesquisas, lendo reportagens mesmo não estando dentro da atividade do Jornal Mural, como aconteceu com a aluna Julia Victoria que trouxe para sala um cartaz feito por ela sobre o caso de Marielle (...). Isso nos mostra o quanto nossos alunos estão atentos e são sensíveis aos acontecimentos conosco e no mundo”.

 

 

 


E você, ficou interessado em desenvolver atividades de Jornal Mural? Dê uma lida na Matéria da Revista Nova Escola :


http://rede.novaescolaclube.org.br/planos-de-aula/reler-e-reescrever-uma-experiencia-com-jornal-mural-na-escola

 

 

Para Saber Mais:

 

ESCOLA MUNICIPAL JOAQUIM MANUEL DE MACEDO

Direção: Hanriete de Araujo da Silva

Diretora Adjunta: Rose Mary da Costa Ermida

Coordenadora Pedagógica: Maria Aparecida Bago

Telefone: 3397-0120

E-mail: emjmacedo@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share