A A A C
email
Retornando 23 resultados para o mês de 'Maio de 2019'

Terça-feira, 21/05/2019

EDI Tenente Pedro de Lima Mendes - 11ª CRE

Tags: 11ªcre, educação infantil, família, projetos.

EDI traz gincana para aproximar as famílias da Escola

 

Através do Projeto Gincana, o EDI Tenente Pedro de Lima Mendes (11.20.803), vem mostrar a importância da parceria FAMÍLIA e ESCOLA e trabalhar a troca de saberes e o respeito mútuo. A partir da ideia da Professora Articuladora Alexandra Paixão, a escola criou estratégias para estabelecer relações mais próximas junto aos responsáveis dos alunos:

 

"Desde sempre levanto a bandeira da importância de termos os responsáveis como nossos parceiros. Com a função de articuladora, não pensei duas vezes em continuar a fazer o que sempre fiz só que, agora, com todos os responsáveis da U.E." - diz a professora articuladora Alexandra Paixão
 

 

 

Integração entre escola e família

 

O EDI Tenente Pedro de Lima Mendes é carinhosamente chamado de Tijolinho por toda a comunidade há décadas. O apelido se deve as suas paredes de tijolo envernizado. A Unidade conta com 14 turmas, sete delas de PRÉ- 1 e outras sete de PRÉ- 2.
O Projeto Gincana iniciou em março e seu término está previsto para novembro, momento em que acontecerá a última etapa. A cada fase da gincana, as turmas que mais pontuam ganham 'Um dia especial na U.E.". O objetivo da escola é promover a solidariedade por meio de atividades que estimulem a integração, a amizade e a parceria. Além disso, o projeto tem como objetivo fazer com que as famílias participem mais ativamente da vida escolar das crianças, construindo com elas recursos que enriqueçam ainda mais o trabalho pedagógico.
 

 

 

As famílias e as crianças construíram suas casas completando uma das etapas do projeto

 


Segundo a professora articuladora, no desenrolar do projeto, todos têm sua função:


• As crianças devem ter participação efetiva junto as famílias, já que uma das regras da gincana é que a criança participe de toda e qualquer construção a ser entregue;
• Os Professores devem divulgar e incentivar a participação das suas turmas;
• Direção junto a Articuladora dão o suporte, fazem a divulgação e acolhimento dos responsáveis.
 

No momento em que pais, professores e comunidade estreitam seus laços, eles tornam a educação um processo mais coletivo e democrático. Dessa forma, a participação da família vai além da preocupação com resultados e comportamento. A escola torna-se um espaço democrático ao estar aberta às falas dos pais e à participação deles na construção da educação dos alunos.

 

Alunos acompanham a exposição dos trabalhos elaborados pelas famílias


Quando pais e profissionais trabalham juntos os resultados têm impactos positivos no desenvolvimento da criança e na sua aprendizagem para vida. O desejo de aprender um com o outro e o respeito mútuo transformam-se numa verdadeira parceria, na qual o propósito comum é o sucesso do aluno.
 

 

Pais e alunos participaram da exposição dos trabalhos


No início do projeto, poucas famílias aderiram a ideia, mas os professores do EDI Tenente Pedro de Lima Mendes não desistiram. Continuaram a convocar os pais por meio de bilhetes, conversas e vídeos gravados pelos alunos. Segundo o artigo "A indisciplina no contexto escolar", os pais devem tomar consciência de que a escola não é uma entidade estranha, desconhecida e que sua participação ativa nela é a garantia da boa qualidade da educação escolar. E é nesse viés que o EDI vem tentando modificar e aprimorar suas práticas educativas.
 

 

A professora articuladora junto aos trabalhos desenvolvidos em parceria com as famílias. Ao todo foram 139 famílias participando ativamente.

 

 

Alguns dos trabalhos elaborados e o Dia Especial na U.E. com a turma vencedora.

 

 

Relato da escola com mensagem deixada para as famílias:

 

"E, mais uma vez, agradecemos a participação das famílias que se empenharam nos 3 dias de atividades. Foi tão bom ver nossas crianças entrando no nosso EDI orgulhosos de estarem levando algo construído com as famílias. Foi lindo de ver, sentir e, acima de tudo, fortalecer cada vez mais a parceria escola/família.
Com relação a todo material construído com as famílias e dando continuação ao subprojeto que está sendo realizado "NOME: FAMÍLIA, SOBRENOME: RESPEITO", a partir da próxima semana, estaremos pendurando todos os móbiles em nossos corredores, as casinhas ficarão a disposição de nossas professoras para que elas tenham um rico material para abordarem tipos de moradia existentes na nossa comunidade e, com as famílias de sucata, trabalharemos os diferentes contextos de família. Vale lembrar que, no encerramento do subprojeto, previsto para final de maio, todo material arrecadado irá fazer parte de uma exposição.

Contamos com todos vocês garantindo o sorriso de nossas crianças na próxima etapa da GINCANA! PARABÉNS, FAMÍLIAS! "
 

 

 

Quer saber mais? 

 

Artigo " A indisciplina no contexto escolar"

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2180-8.pdf

 

EDI Tenente Pedro de Lima Mendes 

Estrada das Canárias, 297 Galeão  CEP: 21941-480

emtmendes@rioeduca.net

Telefones: 2463-8957 3393-0052 

Diretora: Catia Plata Medeiros

Diretora Adjunta: Claudia Virgínia Pinto da Silva

Professora Articuladora: Alexandra Paixão

 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 20/05/2019

Escola Municipal Portugal - 1ª CRE

Tags: 1ªcre, arte, musica, 6ac.

 

Educação Musical tem efeitos no dia a dia da sala de aula

Localizada no imperial bairro de São Cristóvão, a Escola Municipal Portugal é reconhecida por toda comunidade escolar pela qualidade do trabalho que é oferecido. Atendendo alunos da Educação Infantil ao Sexto Ano Carioca, a Unidade tem a leitura como prioridade em seu Projeto Político Pedagógico.

 

Atividade do Projeto Leitores em Ação: todos professores envolvidos.

 

A leitura está presente em todos os momentos na Unidade Escolar. Atualmente, um dos incentivos para o processo Ensino-Aprendizagem são as aulas de Educação Musical, pois através do estímulo aos sentidos dos alunos, as aulas de música se transformam em aliadas importantes, aguçando a sensibilidade, instigando a criatividade e aumentando a integração dos alunos no ambiente escolar.

 

Alunos Leitores

 

Regente de Música da Escola Portugal, a professora Marta Broxado Gomes tem uma ampla experiência como professora dos anos iniciais, experiência esta que ela usa em suas  aulas de música, trabalhando habilidades essenciais que são importantes não só para o desenvolvimento de aptidões musicais, mas também para o aprendizado das outras disciplinas trabalhadas pela escola. Professora Marta nos fala que “um aluno com a sensibilidade aguçada para a música será também um bom leitor e por conseguinte, intérprete de textos”.

 

 

Em suas aulas, a professora proporciona sempre um trabalho integrado com as diversas áreas do conhecimento. Para isso a docente conta com a parceria dos professores regentes generalistas, ampliando, assim, os conceitos para as demais disciplinas.

 

Dessa forma, a música se torna um elemento importante para ser utilizada em sala de aula e funciona como eixo condutor para conversas sobre importantes assuntos como cultura, gênero, relações interpessoais, sustentabilidade e vários outros temas. Uma música trabalhada em sala de aula tem desdobramentos nas aulas de Língua Portuguesa, ou de História, por exemplo.

 

A aula de Música é um momento muito esperado pelos alunos, semanalmente, a professora Marta trabalha as habilidades de sua disciplina através do lúdico e nos mostra que não é preciso nenhum espaço ou material especial para desenvolver as atividades. Assista o vídeo abaixo e veja o trabalho desenvolvido pela professora:

 

CLIQUE NA IMAGEM E ASSISTA:

A introdução de atividades de percussão nas aulas de música nos faz estimular a plasticidade cerebral, fazendo com que diversas áreas do cérebro sejam ativadas ao mesmo tempo. A criança, ao captar um som e memorizá-lo, repete esse estímulo sobre a forma de movimento, exercitando assim a sua percepção. Desta forma, ocorre um processo de interação e de comunicação entre o cérebro e o corpo. Relata a professora Martha

 

 

O trabalho de música auxilia muito o trabalho que desenvolvemos em sala de aula. A música tem a vantagem de despertar a atenção dos alunos, contribuindo para a concentração e desenvolvimento de foco, proporcionando ainda mais a participação dos alunos nas demais atividades oferecidas aos alunos.  Relata a professora Flávia, regente da turma de Sexto Ano Carioca.

 

“A Música mobiliza a inteligência e a sensibilidade, possibilitando a interrelação entre a emoção e a razão. O ser humano se apropria, transforma e reorganiza os sons do mundo, e mais, se comunica com os seus semelhantes.” - MULTIEDUCAÇÃO.

 

Para Saber Mais:

Escola Municipal Portugal

E-mail: emportugal@rioeduca.net

Telefone: 3895-8632

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 20/05/2019

E.M. Artur Azevedo - 6.ª CRE

Tags: 6.ª cre, alfabetização.

 

 

“Nós estamos aqui para aprender e juntos descobriremos o mundo das letras”. Vamos conhecer um pouco do trabalho da professora Suellen Rocha e da E.M Artur Azevedo?

 

Suellen Rocha é escritora e professora alfabetizadora na Escola Municipal Artur Azedo, localizada em Pavuna. Durante seus anos como regente na Rede Municipal de ensino, vem realizando um trabalho de excelência voltado para a leitura, escrita e desenvolvimento de habilidades matemáticas. Com a frase “Nós estamos aqui para aprender e juntos descobriremos o mundo das letras”, a professora conduz seus alunos da turma 1101 pelo mundo do aprendizado com prazer.

 

 

A professora faz o registro diário de seu trabalho de alfabetização  / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

As atividades de roda de leitura fazem parte da rotina dos alunos do 1.º ano. O livro escolhido pela professora, para iniciar o contato com seus novos alunos, foi o “Quando nasce um monstro”, de Sean Taylor e Nick Sharratt.  Após a leitura do livro, chega o momento em que os  alunos soltam a imaginação e criam seus monstros de maneira bem divertida.

 


Assim já posso observar  alguns fatores importantes na construção da criança ao elaborar seu desenho, como proporção, forma, esquema corporal, delimitação de pintura, uso de cores etc. Ainda pedi que tentassem copiar a palavra monstro que escrevi no quando. Alguns conseguiram, outros trocaram a ordem das letras ou suprimiram algumas, mas demonstraram uma vontade de executar a atividade, o que me deixou muito feliz. Vamos prosseguir, pois temos um ano inteiro pela frente.” – relato da professora Suellen Rocha

 


Após as leituras, a professora realiza com os alunos o quadro síntese. Ela ressalta que as informações colocadas neste quadro são simples, mas muito significativas para iniciar a observação e organização mental das próprias crianças em relação a compreensão do texto. Este quadro é feito com a turma, de forma coletiva, e o registro é feito pela docente. O cartaz fica afixado na sala de modo permanente.

 

Professora Suellen e seus alunos do 1.º ano / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Registro do livro lido na roda de leitura  / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Modelo do quadro de síntese usado pela professora Suellen  / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Outra atividade destacada foi a construção do crachá realizada por cada aluno. Durante a realização deste trabalho, a professora conseguiu observar como cada aluno escreveu seu nome, analisando aspectos importantes como: omissões, desordem de letras ou acréscimo de grafemas. As intervenções foram feitas, depois que as crianças expressavam seu conhecimento. A docente destaca, com muita alegria, que esta foi uma atividade rica para trabalhar identidade e a função social da escrita, já que as crianças que não conheciam o crachá, aprenderam sobre seu uso e a importância do nome de cada um como maneira de identificação.

 


Ainda trabalhando com a leitura, a professora ressalta a importância da leitura incidental, aquela que é feita pela criança mesmo sem que esta domine o código de modo que reconheça logos, símbolos, rótulos, marcas e placas. Suellen explicou que utilizou o reconhecimento da posição da primeira e da última letra, bem como a quantidade de letras em determinada palavra. Para realizar essa atividade, a docente escolheu marcas que tivessem um apelo na realidade dos alunos. Segundo ela, o Whatsapp e o Youtube foram as palavras que tiveram maior índice de reconhecimento, ratificando o quanto os alunos estão envolvidos com as mídias sociais.

 

Atividade de construção de crachá  / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Leitura de marcas / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Outra atividade interessante e divertidas foi o banco de palavras para consulta, com apoio visual para as iniciais “P” e “T”. Suellen explicou que os alunos pesquisaram previamente com suas famílias as imagens e trouxeram para escola. Durante a aula, as crianças classificaram as palavras, de acordo com a letra inicial e foi dado foco à formação da palavra. 


O trabalho envolvendo o texto “O pato”, de Vinícius de Moraes também foi bastante proveitoso e construtivo. De acordo com a professora, os alunos trabalharam a identificação do título, palavra-chave e reconhecimento do espaço entre as palavras. As crianças conheceram o texto escrito e a versão animada através do vídeo disponível no Youtube, pintaram, recortaram e montaram um quebra-cabeça do pato, colando-o no caderno. Depois, dessas atividades realizadas criaram rimas a partir do texto, resultando um registro por meio de cartaz. 

 

Construção de banco de palavras / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Brincando de quebra-cabeça de imagens e palavras / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Trabalhando com a poesia de Vinícius de Moraes  / Fonte Foto: @professorasuellenrocha

 

Todo professor alfabetizador sabe que ensinar a ler e a escrever nos dias de hoje envolve muitos obstáculos e desafios. É um trabalho de muita responsabilidade e exige trabalho árduo. Apesar disso, a nossa querida professora Suellen Rocha não se deixa abater, pois alfabetizar é um processo maravilhoso! Poder acompanhar e contribuir no processo de aprendizagem das crianças, para ela, é um privilégio! No seu rosto, na sua fala, no seu trabalho dá para perceber o amor com que realiza esta tarefa.

 


Parabéns, professora Suellen Rocha por compreender que cada criança tem suas próprias ideias, opiniões, desejos e que isso faz parte do processo de alfabetização.

Parabéns por ser uma orientadora de caminhos e de sonhos! 

 


É um orgulho tê-la na 6.ª CRE! Nosso agradecimento e reconhecimento pelo seu trabalho!

 


Quer saber mais sobre o trabalho desenvolvido pela professora Suellen Rocha na EM Artur Azevedo?

Entre em contato!


Escola Municipal Artur Azevedo

Endereço: Rua Sargento Antônio Ernesto, S/N – Pavuna

Telefone: (21) 24507-2273

E-mail: emazevedo@rioeduca.net

Instagram: @professorasuellenrocha

 

Não esqueça de deixar o seu comentário!

Até a próxima semana!





 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/05/2019

Creche Municipal 31 de Outubro - 10ª CRE

Alunos da Creche 31 de Outubro realizaram atividades artísticas e lúdicas trabalhando as letras e a identidade.

A E/CRE (10.19.606) Creche Municipal 31 de outubro está localizada na Avenida do Contorno, 1 – Paciência, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A Unidade Escolar atende a 140 alunos do Maternal a Educação Infantil. Tem como diretora a professora Jacqueline Oliveira da Costa e como professora articuladora a professora Bruna Mello Dias de Barros.

Durante o 1° bimestre desse ano letivo, a Unidade Escolar realizou várias atividades com os alunos envolvendo formas artísticas, lúdicas e de prevenção. Uma das atividades foi o desafio de escrever a primeira letra do nome com massinha.

 

Alunos da Pré-Escola fazendo a letra inicial do nome com massinha

 

A atividade consistia em trabalhar ludicamente as letras, de forma que os alunos fossem se familiarizando com as mesmas, sem a intenção de alfabetizar precocemente ou decorar como traçá-las, mas sim, fazer com que entendam que elas existem e representam alguma coisa, o início do letramento. Ou seja, desenvolvendo a compreensão da escrita, do registro e a importância do seu uso social. Essa atividade foi desenvolvida pela professora Joice Adão com a turma EI-42.

Já a turma EI-22 explorou a criatividade através da linguagem artística com pinturas usando diversas texturas e cores em cartazes e em cavaletes, utilizando pincéis e vivenciando esta forma de arte com as mãos.

A partir desta atividade foi possível desenvolver a sensibilidade artística, a percepção e o conhecimento de novas cores, assim como o resultado das suas misturas. A interação com o mundo das cores fez com que as crianças utilizassem a Arte como forma de manifestação espontânea da imaginação e proporcionou aprimoramento da coordenação motora, tornando toda a metodologia empregada pelo professor muito divertida.afirmou a professora Joice

 

Alunos da turma EI-22 em atividade artística

 

Os alunos da Pré-Escola, turma EI-43, da professora Heloisa Favatto, participaram do projeto "Experimentos do Franjinha", onde alunos produziram um repelente caseiro e aprenderam como combater o mosquito Aedes Aegypti com recursos naturais de forma barata e eficaz. O objetivo desta atividade foi promover a mudança de comportamento da comunidade educativa, levando ela a tomar atitudes concretas no combate ao mosquito de forma econômica e sustentável.

 

Alunos produzindo repelente caseiro com a professora Heloisa

 

A turma M-21, da professora Evelyn Bastos, realizou uma atividade, que envolvia, no primeiro momento, uma caçada ao nome escondido no parquinho da creche. As crianças do maternal II puderam aprender um pouco sobre si e sobre o outro de forma lúdica, sendo desafiadas nesta atividade a investigar e levantar hipóteses de quem seria o nome encontrado.

No segundo momento, a professora direcionou a produção do nome próprio construindo coletivamente com as crianças. Dando início, desta forma, ao letramento e a percepção do uso social da escrita.

 

Alunos do Maternal trabalhando a identidade

 

Outro trabalho realizado foi de reflexão com os responsáveis sobre o dia mundial da conscientização do autismo, dia 2 de abril. A ação foi promovida com o intuito de amenizar os preconceitos e sanar dúvidas sobre o tema, mostrando que o autismo não é uma doença, mas, apenas uma diferença, destacando suas potencialidades e dificuldades.

Pudemos partilhar experiências, relatos de um responsável autista e informações através de vídeos, assim como um momento agradável de socialização através de dinâmicas. O objetivo era experienciar o que é vivido na pele por uma pessoa com Transtorno do Espectro Autista. afirmou a agente de educação especial Raquel

 

Palestra com os responsáveis no Dia Mundial da Conscientização do Autismo

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.606) C. M. 31 de Outubro
Diretora: Jacqueline Oliveira da Costa
E-mail: cm31deoutubro@rioeduca.net
Telefone: 3407-0506
 


   
           



Yammer Share