A A A C
email
Retornando 30 resultados para o mês de 'Junho de 2017'

Terça-feira, 20/06/2017

Meio Ambiente: Exposição Cultura e Sustentabilidade

Tags: 11ªcre, sustentabilidade, meio, ambiente.

 

No dia 1º de junho o CIEP João Mangabeira abriu as portas para a comunidade para expor todos os trabalhos referentes ao projeto "Eu cultivo, tu cultivas, nós cultivamos", que foi trabalhado no primeiro trimestre de 2017 com os alunos do PEJA (Educação de Jovens e Adultos), sobre Cultura e Sustentabilidade. CONFIRA!

 

Cultura e Sustentabilidade fazem parte do Projeto Político Pedagógico da unidade escolar para o 1° trimestre deste ano. O lema "Eu cultivo, tu cultivas, nós cultivamos" teve como objetivo para o PEJA o despertar da atenção para as atitudes do cotidiano que podemos adotar para viver uma cultura de sustentabilidade frente ao consumismo e desperdício.

A proposta foi lançada no início do mês de março para toda a unidade escolar. Ao longo do trimestre, os professores trabalharam a questão da sustentabilidade como tema transversal em suas aulas. Equipe de direção e secretaria também fizeram a sua parte, reaproveitando folhas usadas para rascunho, evitando impressões desnecessárias, reduzindo o consumo de copos descartáveis, reaproveitando sobras de material de papelaria, entre outros.

 

Objetos e obras de arte apartir de materiais descartados

 

Os alunos do PEJA, em particular, produziram objetos e obras de arte a partir de materiais que seriam descartados, ressignificando o seu uso.

Toda essa produção foi exposta no dia primeiro de junho no auditório da unidade. Os alunos puderam apreciar as suas próprias obras e as que seus colegas produziram. Todas as oito turmas do PEJA expuseram trabalhos: porta-joias, bancos, enfeites de mesa, quadros, jogos infantis, cortina de porta, entre outros materiais.

 

Alunos do PEJA motivados ressignificando objetos

 

Uma das alunas da turma 191, ao admirar a produção da sua turma e dos demais colegas, exclamou: "Sim, nós somos capazes, né professora!?" Os alunos sentiram-se orgulhosos de ver a sua produção exposta e de perceber o valor que os colegas deram aos materiais que produziram.
 

 

Trabalhos dos alunos do turno único

 

Já os alunos da educação infantil ao 6º ano, do turno único, também se envolveram no lema do projeto e realizaram a exposição no dia 12 de maio, possibilitando a circulação de informações, configurando um momento de grande aprendizado para todos os alunos e responsáveis que participaram do evento. 

 

Trabalho realizado pelos alunos do turno único

 

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: CIEP João Mangabeira

Equipe de Direção: Flavia Ferreira de Oliveira (diretora e professora orientadora do PEJA), Leandro Alves dos Santos (diretor-adjunto), Patrícia Maria Braz Brenha Ribeiro (diretora-adjunta e professora regente do PEJA) e Elisa Bastos Aguero Guimarães (coordenadora pedagógica)

Telefone: (021) 3975-3715 / 2465-1551

 

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 20/06/2017

Dia do Brincar - Vamos Brincar de Casinha?

Tags: 2ªcre, familia, educação, infantil.

 

Os alunos da Escola Almirante Barroso aprenderam brincando sobre o papel do adulto na sociedade e no cotidiano da família.

 

A professora Sandra Nigro, diretora da Escola Almirante Barroso, entrou em contato com o portal Rioeduca para contar sobre o trabalho desenvolvido no “Dia do Brincar”.

O trabalho foi realizado a partir do Projeto Político Pedagógico da unidade escolar que tem como título: “Reverberando Através do Mundo – A Formação do Cidadão do Século XXI” e o Dia do Brincar com o tema “Vamos Brincar de Casinha?”. Ideia proposta com o objetivo de que as crianças compreendam, através do simbólico, o papel do adulto e o funcionamento da sociedade no cotidiano da família. Quando brinca de casinha a criança assume uma postura de cidadão responsável e, consequentemente, ciente de seus deveres com relação à família. Brincar de casinha é uma simulação da realidade, onde as tarefas domésticas são para homens e mulheres. Desta forma percebemos que não há necessidade de professores e responsáveis terem preconceitos e separarem as brincadeiras por gênero, tendo como norte o pensamento de que brincar de casinha é para meninos e meninas.

 

Dia do Brincar

 

Através desses pressupostos, as turmas de Educação Infantil brincaram e se divertiram, desde a confecção dos cômodos e objetos até a planta baixa da casinha, que foi feita no pátio da escola.

 

Planta baixa da casinha

 

É importante ressaltar que tudo foi construído levando-se em conta o tamanho dos alunos para que a noção de realidade estivesse presente durante a brincadeira. Cada detalhe foi produzido e elaborado com a participação das crianças opinando, criticando e construindo com a mediação e participação direta dos professores e da direção da escola.

 

Assistindo televisão

 


O resultado não poderia ser outro: sucesso total e alegria contagiante de toda comunidade escolar. O gosto de “quero mais” despertou o desejo de continuar a brincar, pois é brincando que se constrói o futuro.

 

Agradecemos a equipe da Escola Almirante Barroso por compartilhar conosco esta experiência pedagógica e desejamos sucesso.

 

O contato da unidade escolar é: emabarroso@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 19/06/2017

O Trem da Alegria Pede Passagem!

Tags: 1ªcre, educação, infantil, projetos.


Projeto leva as crianças da Educação Infantil a conhecerem o espaço em que vivem e estudam: a comunidade do Parque Alegria, situada no Caju.

 

Proporcionar a criança maior conhecimento sobre a comunidade que a cerca, estimular as crianças a falarem de suas experiências no convívio cotidiano e aspectos de sua moradia e oportunizar a troca de ideias, de informações, de opiniões, garantindo momentos e possibilidades de se contemplar a diversidade e a riqueza cultural da comunidade na qual as crianças estão inseridas são alguns dos objetivos pensados quando a Unidade elaborou o Projeto ‘As Crianças do Parque trazem a mensagem: O Trem da Alegria Pede Passagem!”

 

 


A professora Shirlei Campanhão, do Maternal II, desenvolveu com sua turminha, atividades relacionadas à temática “Eu e Minha Comunidade”. A proposta iniciou-se com uma roda de conversa sobre a comunidade do Parque Alegria. As crianças visitaram o pátio do EDI e observaram o espaço que cerca Unidade Escolar, como as casas ao fundo, o trem que passa na frente do EDI, o campo de futebol, dentre outros.

 

 


O pai da aluna Mariana, Sr. Alex, conversou e explicou para as crianças as melhorias que vem acontecendo na comunidade, destacando o asfalto, a energia e a qualidade da água encanada e tratada, o que reflete numa melhora da qualidade de vida na região.

 

 

O Senhor Alex enfatizou que o que gosta de fazer na comunidade é jogar bola na quadra ao lado do EDI.

 “O EDI foi um dos melhores investimentos que ocorreu na comunidade, pois a instituição conduz as crianças a um futuro certo”, fala o pai, preocupado com o desenvolvimento e a vida escolar de sua filha.

Uma das atividades propostas foi um desenho individual sobre a comunidade “EU E MINHA COMUNIDADE”.

 

 

Além das atividades da professora Shirlei, toda a equipe de educadores se envolveu na realização da 1ª Mostra Pedagógica de 2017, que abarcou assuntos de conhecimento e valorização de temas como identidade, família e comunidade. Estiveram presentes crianças muito animadas e famílias encantadas com o trabalho desenvolvido por professores apaixonados!

 

 

 

Para Saber Mais:

EDI PARQUE DA ALEGRIA

Direção: Tassia Boldrini e Erivelto Bento

Professora Articuladora: Virgínia Ferreira

Telefone: 2218-5720

E-mail: edipalegria@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 16/06/2017

Valorizando o conhecimento das Artes

Tags: 10ªcre, artes.

 


Estudar, produzir e expor: as Artes na escola, propiciando o desenvolvimento de novas e alargadas visões de mundo

A E/CRE (10.26.028) Escola Municipal Ginásio Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida está localizada à Rua Alexis Carrel, s/n, Guaratiba. A Unidade atende a 13 turmas, com 483 alunos, do 7° ao 9° ano e Projeto de Aceleração. Tem como diretora a professora Jane Correa Brandão, como diretora adjunta, a professora Solange Maria da Silva, e como Coordenador Pedagógico, o professor Nelson Rangel Coutinho Neto.

A professora de Artes, Aline Valadão, tem realizado um trabalho voltado à valorização do conhecimento das Artes no contexto escolar. Tal trabalho se apoia em abordagens diferenciadas em sala de aula e na constante exposição de todas as produções artísticas das turmas, em locais da escola com grande circulação de público.

 

Alunos prestigiando os desenhos do rosto do Patrono de nossa Escola 

 

Segundo a professora Aline, o estudo das Artes nas escolas em geral é bem aceito pelos alunos. Grande parte deles costuma demonstrar satisfação na realização das tarefas, que normalmente envolvem as práticas do desenho, da pintura, do recorte e da colagem, da dança, do teatro, entre outras. E ainda que tais tarefas sejam orientadas por enunciados bem específicos e que sejam conduzidas conforme os objetivos traçados para cada aula, é evidente que, ao realizá-las, os alunos percebem que podem se colocar, expressar-se e manifestar algumas das suas visões de mundo.

Mas, na sua opinião, considerar que o ensino das Artes na educação básica limita-se apenas a este aspecto – o da liberdade de expressão e da consequente satisfação dos alunos, por manejarem materiais diversos e realizarem tarefas menos comuns nas outras disciplinas, é subestimá-lo.

— É bem verdade que as aulas de artes envolvem bastante trabalho prático e o ensino de técnicas específicas. Também é genuíno dizer que estimulamos e valorizamos a tomada expressiva e criativa de decisões, voltadas à produção das narrativas plásticas (ou cênicas ou musicais...) que são sugeridas. Ocorre, porém, que para produzir as suas próprias artes, os alunos necessitam atualizar constantemente o seu repertório artístico e cultural. Afinal, as boas ideias fluem com mais desenvoltura e maior qualidade, na medida em que se têm mais e melhores referências às quais recorrer. — afirma a professora Aline Valadão.

 

Alunos de 7° ano fazendo desenhos de natureza-morta por meio de observação

 


Todas as tarefas práticas propostas pela Professora Aline Valadão nas aulas de Artes têm sido acompanhadas dos respectivos embasamentos teóricos.

— Assim, com o subsídio teórico, podemos criar conexões entre o que estamos produzindo e o que os artistas famosos já fizeram. E passamos a conhecer cada vez mais obras, mais artistas e diferentes possibilidades artísticas. — comenta a professora

Na Unidade Escolar, a dimensão histórica da Arte também vem sendo explorada. Trabalhar com a linha do tempo da história da arte tem tido os intuitos de organizar cronologicamente os assuntos pertinentes à Arte em si, e de proporcionar aos alunos a oportunidade de compreenderem, de modo vasto, a existência de uma correlação entre determinadas manifestações artísticas e os modos de pensar e agir das sociedades de tempos e de espaços distintos.

Diante desse tipo de experiência, alguns alunos têm relatado que certos assuntos abordados nas aulas de História, Ciências e Geografia, por exemplo, ganham um novo sentido após coincidirem com as discussões e análises que eles têm vivenciado no campo da história da Arte.

Outra dimensão que a escola tem buscado destacar ao longo das aulas de Artes é a da Arte enquanto linguagem e enquanto produto cultural.

— Obras de arte podem ser “lidas”, desde que se tenha o devido conhecimento dos elementos que as constituem. E, para produzir as suas criações, os alunos também têm começado a atentar para os códigos que precisam utilizar, de maneira a transmitirem as mensagens que desejam, intencional e refletidamente. Tais elementos e códigos são produzidos e reproduzidos dentro dos contextos culturais em que nos inserimos. É importante que saibamos identificá-los. — afirma a professora

 

Alunas de 9° ano exibindo os livros que fizeram, com textos inspirados na literatura de cordel e capas ilustradas com gravuras feita a partir de matrizes de emborrachado

 

Além de abordar as múltiplas possibilidades da Arte em sala, com os alunos, a exibição das produções das turmas tem sido parte importante da estratégia de valorização do conhecimento artístico na escola. Desde o início do ano letivo de 2017, os trabalhos de Artes dos alunos vêm sendo expostos dentro do espaço escolar. 

 

Trabalhos variados expostos no pátio, sendo apreciados pelos próprios alunos

 

— A exposição das obras produzidas pelos alunos trouxe um novo colorido à escola, não somente visualmente, pois podemos observar mudanças significativas no comportamento dos alunos, que demonstram maios prazer em preservar e permanecer no espaço escolar. — afirma a diretora adjunta

Para a Professora Aline, tem sido gratificante perceber o quanto os alunos se orgulham de suas produções e o quanto valorizam e respeitam os trabalhos dos colegas.

Com as exposições constantes dos trabalhos no pátio, é trabalhada a autoestima dos alunos, estimulando que desejem se superar nas atividades, encorajando que se coloquem e que se comuniquem, através das suas produções de forma estética, crítica e ética, proporcionando o contato dos alunos de uma série com as criações das outras séries e, assim, ampliando o espectro de conhecimento de todos os envolvidos.

— Os trabalhos desenvolvidos pela professora Aline Valadão apresentam motivação, excelência, atratividade e competência. Sendo sua atuação de total empenho e dedicação em prol da educação de toda comunidade escolar, tornando todo ambiente alegre e harmônico. — afirma a diretora Jane Brandão.

 

Diretora Adjunta – Solange Silva, professora de Artes Plásticas – Aline Valadão e Diretora - Jane Brandão

 

Quer saber mais sobre as aulas de Artes?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.26.028) E. M. Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida
Telefones: 3317-3194
Email: empalmeida@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share