A A A C
email
Retornando 25 resultados para o mês de 'Junho de 2018'

Sexta-feira, 15/06/2018

Investindo na Comunicação Para a Boa Convivência

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Jorge Luiz acredita no ditado “É conversando que a gente se entende”.

A E/CRE (10.26.028) Escola Municipal Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida, localizada à Rua Alexis Carrel, s/n°, Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, atende a 13 turmas, com 483 alunos do 7° ao 9° ano e Projeto de Aceleração 8. A Unidade tem como diretora, a professora Jane Correa Brandão, como diretora adjunta, a professora Solange Maria da Silva, e como Coordenador Pedagógico, o professor Nelson Rangel Coutinho Neto.

Em 2018, a unidade escolar vem investindo maciçamente no combate ao bullying. Muitas ações pedagógicas, relacionadas às diversas áreas do saber, estão sendo desenvolvidas, no intuito de conscientizar os alunos sobre a importância da boa convivência entre as pessoas. Algumas delas estão diretamente vinculadas à melhora na comunicação e na expressão dos alunos, contribuindo para a geração de um ambiente propício ao entendimento mútuo e ao respeito. 

 

Os professores Aline Valadão, de Artes, e Leonardo Rafael Cerqueira, de Língua Portuguesa, têm trabalhado com o desenvolvimento da comunicação e da expressão dos alunos

 

O objetivo maior de tais ações transcende ao desejo de produzir um ambiente escolar tranquilo e respeitoso e vai ao encontro da necessidade de contribuir para a construção de uma sociedade mais pacífica e solidária.

Nós, professores, observamos uma ansiedade enorme nas crianças. Todos querem falar ao mesmo tempo. No fim das contas, já que todo mundo só fala, ninguém se escuta. Portanto, nada de bom é produzido... Ao contrário, o ruído de tantas falas descoordenadas gera estresse, desentendimento e desconexão. Temos mostrado aos alunos que a falta de comunicação pode conduzir a problemas graves, como o bullying... Não é raro, num espaço sem comunicação efetiva, haver os mal-entendidos que conduzem às agressões. Explico sempre aos nossos alunos que aprender a conversar e a expressar nossas vontades e necessidades é tão importante quanto saber ouvir as solicitações dos outros. Falar e ouvir respeitosamente são atitudes saudáveis, que demonstram empatia e que contribuem para o bom entendimento e para a tomada de decisões importantes. Falar e ouvir direito, no momento certo e com o vocabulário adequado, são atos agregadores, porque geram boa vontade e promovem amizades. E a gente precisa disso, dentro e fora da escola afirma a professora de Artes, Aline Valadão.

 

Além das aulas de Artes, professora Aline Valadão ministra a disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”. Para ela, a disciplina vem obtendo êxito, porque, de modo descontraído, leva os alunos a apreciar textos literários, compreendê-los e traduzi-los em forma de imagens. Tais práticas aprimorariam as habilidades da atenção, da interpretação e da expressão plástica, ampliando a capacidade comunicativa dos alunos.

 

 

Grupos de alunos da disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”, observando criticamente as capas das publicações oferecidas pela professora. Na atividade retratada, cada grupo deveria mencionar pontos positivos e negativos da capa analisada e propor um redesenho, conforme suas observações

 

 

Ilustrações para as capas e os “miolos” de livrinhos contando a história de “João e Maria”

(livre adaptação, baseada na obra dos Irmãos Grimm)

 

Outro aspecto importante da comunicação e da expressão tem sido abordado pelo professor de Língua Portuguesa, Leonardo Rafael Cerqueira. Suas turmas de sétimo ano redigiram cartas aos familiares.

 

Alunos do sétimo ano produzindo e envelopando suas cartas

 

 O trabalho sobre o gênero textual intitulado “carta pessoal” teve como objetivo ressaltar a importância da comunicação entre as pessoas e motivar os alunos para o estudo desse gênero. Esclareci que a carta é um dos mais antigos meios de comunicação e que além da carta pessoal há outros tipos de cartas explicou o professor de Língua Portuguesa.

 

A experiência das cartas fez com que os alunos buscassem se expressar com clareza por meio da escrita. Porém, mais que isso, gerou contatos efetivos entre as crianças e a família, já que as cartas foram, de fato, postadas aos remetentes, via Correios.

 

— A professora Aline Valadão e o professor Rafael chegaram a Unidade Eescolar somando desejos e desafios para fazer a diferença na vida das crianças. Esse ano, a proposta é conter o bullying e fortalece a interdisciplinaridade. As atividades lúdicas fazem a diferença no contexto escolar e na assimilação da proposta do aprendizado.  — afirma a diretora Jane.

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?

 

E/CRE (10.26.028) E. M. Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida

E-mail: empalmeida@rioeduca.net

Telefone: 3317-3194

 

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 15/06/2018

Projeto Power Senha

Tags: projeto, power senha, matemática, games, gamificação, 5ªcre.

 

 

A Escola Municipal Irmã Zélia está envolvida em um Projeto de matemática Inovador, onde os alunos são desafiados a descobrirem uma senha através de atividades matemáticas. O professor Rafael Costa, idealizador do Projeto, está revolucionando o ensino da matemática nessa escola. Confira!

 

 

O professor de matemática Rafael Costa idealizou o "Projeto Power Senha" com o objetivo de tornar suas aulas diferenciadas onde os alunos participem da construção do conhecimento juntamente com seus companheiros, utilizando jogos matemáticos construídos através de atividades lúdicas, criando uma competição sadia entre eles, aumentando seu interesse e motivação para a participação nas atividades e resolução de tarefas.

 

 

Neste ano de 2018, o professor está desenvolvendo o Projeto na Escola Municipal Irmã Zélia, trabalhando com a turma 1702 Operações Básicas e Operações com números Inteiros., utilizando materiais simples como uma caixa com suporte para cadeado ou algo similar e um cadeado de senha.
 

 

Desenvolvimento do projeto:

O trabalho busca não só a aprendizagem matemática, mas sim o bom relacionamento entre os alunos, a aceitação de opiniões divergentes, e a busca por um resultado comum entre eles. 

Foi construída e personalizada um caixa com encaixe para cadeados e o cadeado utilizado foi um cadeado de senha para que assim pudessemos fazer o desafio. As atividades foram propostas no quadro para que os grupos desenvolvessem e interagissem entre eles de forma com que todos os alunos do grupo estivessem sabendo os resultados dos problemas. Após as resoluções, os alunos tinham que somar todos os resultados encontrados para assim chegar a senha do cadeado. 

 

 

Cabe ressaltar que não bastava resolver os desafios, juntar os resultados e obter a senha do cadeado, pois para terem direito a chegar até ele 2 componentes do grupo deveriam resolver 2 desafios dos já feitos, porém agora no quadro e sem consulta de material. A questão a ser feita era selecionada por mim apenas quando o aluno chegava no quadro e os 2 alunos que iriam fazer eram selecionados por um grupo adversário. Fazendo assim com que os alunos tivessem a preocupação de deixar todos os seus elementos prontos para resolverem, trabalhando como monitores involuntarios dos amigos com maior dificuldade. Caso o grupo não conseguisse executar a tarefa no quadro ficavam 5 minutos congelados sem poder tentar novamente. Os alunos ao irem ao quadro tinha 5 minutos para resolver seu desafio.

Os alunos que conseguiram acessar o cadeado podiam testar sua senha e em caso de êxito recebiam uma recompensa e pontos extras na matéria.

 

Veja a seguir, o vídeo com a gravação da atividade:

 

 

Feedback dos alunos:

Os alunos mostraram muito interesse em participar da atividade, por ser algo que traz uma motivação de competição sadia e por ter componentes que desconheciam, como a utilização do cadeado de senhas que não é algo usual entre eles. Os grupos mostraram muita união e comprometimento na resolução dos exercícios, tentando auxiliar na aprendizagem dos componentes dos grupos, promovendo a monitoria da turma tentando nivelar os conhecimentos para assim diminuir as chances de erros. As turmas que ainda não estão no projeto estão muito motivadas a participarem também.

 

Parabéns ao professor e a escola pelo trabalho realizado com excelência!!! 

 

 

Sobre a escola:

Escola Municipal Irmã Zélia
Diretor: MARGARETE ALVES DOS REIS DE SOUSA
Endereço: Av. Ministro Edgard Romero, 895, Madureira
Telefone: 3457-1006 | 3457-1050
E-mail: emzelia@rioeduca.net  


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 15/06/2018

11ª CRE em clima de Copa do Mundo!

Tags: 11ªcre, copa, mundo.

 

A Copa do Mundo já chegou nas escolas da 11ªCRE, localizadas na Ilha do Governador. Professores e alunos enfeitam e realizam atividades do tema. CONFIRA!

 

Foto destaque: Alunos da E.M. Capitão de Fragata Didier B. Vianna na contagem regressiva 

 

Copa do Mundo FIFA 2018 já começou e as escolas da 11ªCRE estão aproveitando o clima festivo para trabalhar diversos temas com seus alunos.

 

Na E.M. Amadeu Rocha a professora Cristiane da turma EI 41 realizou a atividade "Nossa mão é a bandeira do Brasil" aonde os alunos confeccionaram a bandeira do Brasil com tinta guache e tampinhas de garrafa pet, ornamentando o corredor da escola para torcer na Copa em ritmo junino!

 

E.M. Amadeu Rocha. Destaque para mural com o álbum para preenchimento coletivo 

 

Na E.M. Conjunto Praia da Bandeira, os alunos estão bem animados para a Copa. Nesse ritmo de empolgação, as turmas estão realizando diversas atividades com a temática. Essas,  depois de concluídas, serão apresentadas a comunidade escolar, no dia 29 de Junho, em uma grande festa! Todos estão convidados!

 

E.M. Conjunto Praia da Bandeira decorada pelos alunos. Destaque para o Mascote da escola, o Robô Nairobi

 

Na E.M. Magdalena Tagliaferro os alunos da turma 1302 escreveram e ilustraram, com muito entusiasmo, o Alfabeto da Copa do Mundo, com palavras como: Arena, Bola, Campo, Daniel Alves, Estádio, etc. Na mesma Unidade Escolar, a turminha EI 41 partiu Rumo a Rússia! Os alunos foram desafiados a descobrir como poderiam sair do Brasil para assistir a Copa do Mundo e acabaram trabalhando os meios de transporte e noções de distância (longe, perto).

 

Alunos da E.M. Magdalena Tagliaferro trabalhando meios de transporte e confeccionando Alfabeto da Copa

 

O Espaço de Desenvolvimento Infantil, EDI Tenente Pedro de Lima Mendes, aproveitou a proximidade da Copa do Mundo para desafiar os responsáveis na "Ciranda de Desafios", realizada pela quarta vez na Unidade Escolar. Nela os responsáveis tiveram que confeccionar, juntamente com os alunos, em casa, uma Matrioskaconhecida como boneca Russa. A Matrioska é uma série de bonecas colocadas umas dentro das outras, da maior até a menor.

 

Matrioskas confeccionadas pelos responsáveis juntamente com os alunos

 

Na Coordenadoria Regional de Educação, 11ªCRE, não poderia ser diferente! O clima também é de festa!  Salas decoradas em clima Junino de Copa do Mundo!

 

Destaque para as salas das equipes do GRH e GAD 

 

Parabéns a todos os envolvidos! As decorações para Copa do Mundo, aliadas ao clima Junino está contagiando a todos!

 

Quer saber mais sobre?

Gerência de Educação da 11ªCRE

E-mail: gedcre11@rioeduca.net 

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 14/06/2018

Projeto Esgrima no Primário Antonio Boaventura

Tags: 9cre; primario carioca; esgrima; educação fisica.

 

A esgrima fez parte das atividades dos alunos do 6º ano Experimental, no Primário Professor Antonio Boaventura, no primeiro bimestre deste ano.

 

 

O professor de Educação Física, Alberto Esteves Daniel, tem desenvolvido esta ação junto a outros colegas em práticas integradoras entre as diferentes áreas do conhecimento. O Prof. Felipe (Artes) e os professores Thiago Castro (Turma 1602) e Sandra Manso (Turma 1601) integraram a esgrima às suas aulas. Com isso, os alunos ampliam seus conhecimentos, além de desenvolverem a agilidade, concentração e velocidade.

O projeto Esgrima, idealizado pelo professor Alberto Esteves, foi desenvolvido para as duas turmas de 6º experimental da E. M. Professor Antônio Boaventura e articulou a Educação Física com outras disciplinas, contemplando os seguintes aspectos:

Objetivo Conceitual:

  • Conhecer um pouco da história da esgrima e suas peculiaridades.

Objetivos Procedimentais:

  • Realizar movimentos básicos da esgrima; 
  • Vivenciar atividades que exijam agilidade, concentração e velocidade de reação. 
  • Criar estratégias para ludibriar o companheiro e pontuar.

Objetivos Atitudinais:

  • Reconhecer a importância do outro para realização da atividade;
  • Respeitar as diferenças e dificuldades do companheiro;
  • Melhorar as relações intra e interpessoais.
  • Cooperar com o outro entendendo que o espírito de equipe é necessário para manutenção da ludicidade da atividade;
  • Respeitar e cuidar do outro;
  • Cumprir as regras e reconhecê-la como necessária.


As atividades aconteceram através dos seguintes momentos:


1° Momento Teórico

 Apresentação de vídeos com informações sobre a esgrima como: Apresentação dos equipamentos e espaços utilizados na prática da esgrima, sistema de pontuação etc.

2° Momento Teórico

Discussão e reflexão sobre o acesso a esta modalidade esportiva, bem como sobre a possibilidade de adaptação dos equipamentos e espaços para aplicação no ambiente escolar.
 

3° Momento Teórico

Definição e coleta dos materiais necessários para produção das espadas e alvos.

 

 

1ª Atividade Prática (Toque de Mãos)

Os alunos foram separados em duplas, dispostos um de frente para o outro com uma distância aproximada de 2mts.
Os alunos foram orientados a saltitar com um dos braços projetados a frente e ao comando do professor, por meio de um sinal sonoro do apito, deveriam se deslocar a frente e tocar a mão do companheiro o mais rápido possível e após, retornar ao lugar inicial.
Posteriormente na mesma disposição, os alunos foram numerados em grupo 1 e 2. Quando o professor falava grupo 1, este se deslocava para frente tentando tocar a barriga do companheiro, enquanto o grupo 2 deveria se deslocar para trás o mais rápido possível, para evitar que fosse tocados e vice versa.


 

 

2ª Atividade Prática (Acerte o Alvo)
Toda turma foi dividida em grupos de 5 a 6 alunos. Enfileirados e em postura de ataque, os estudantes deveriam acertar com uma das mãos um alvo amarrado no teto (bola pequena de papelão amarrada com barbante) que foi pendurado a frente de cada grupo. Posteriormente, os alunos usaram uma espada de jornal sem tinta e depois com tinta nas pontas para acertar os alvos. Após acertarem se dirigiam para o fim da fila dando oportunidade a outro colega do grupo.

 


 

3ª Atividade Prática

Produção das espadas de jornal com algodão na ponta e seus respectivos alvos nas aulas de Artes.

 

 

4ª Atividade Prática (Combate)
Toda turma foi dividida em duplas num espaço específico, cada aluno estava com seu alvo de papelão fixo ao peito e sua espada de jornal com tinta na ponta. Após o comando do professor, foram orientados a pontuar tocando a ponta de suas espadas nos alvos dos companheiros, atentando para as regras pré-estabelecidas e cuidado com o companheiro. Ao final o alvo que estivesse com menos marcas de tinta era o vencedor da dupla.

 

 

 

Clique aqui e assista um vídeo com momentos especiais desta aula.
 

 

Depoimento dos alunos:

 

“Eu nem sabia que existia esse esporte, achei muito legal, vou fazer uma espada para brincar com meus colegas fora da escola”.

“Eu achei muito legal, nunca imaginei que um dia eu praticaria esgrima na escola”

“Foi muito legal, diferente, mas legal, poderíamos fazer mais vezes, eu me diverti muito ”

 

 

 

Para o professor Thiago Castro, PEF, regente da turma 1602 (6º ano experimental):“A aula de esgrima promovida pelo professor de Educação Física, Alberto, contribuiu significativamente para aprendizagem dos alunos, uma vez que este assunto foi um norte interdisciplinar para as aulas que eu leciono: trabalhamos a leitura, utilizamos medidas de tempo, construímos uma linha do tempo da história do esgrima até a sua chegada ao Brasil e verificamos os países envolvidos na formação desse esporte até os dias de hoje. A interdisciplinaridade é fundamental no ensino contemporâneo. Fazer os alunos estudarem outras disciplinas a partir do esporte trazido pelo professor Alberto foi meu maior ganho. “

 

 

Para a diretora geral da unidade, Adriana Santos:“É muito gratificante poder contar com profissionais como o professor Alberto, que com sua prática inovadora leva o aluno a experimentar esportes pouco acessíveis à nossa comunidade. Tudo isso a despeito da escassez de recursos e envolvendo seus colegas regentes que são contagiados e embarcam nas suas ideias, enriquecendo também suas aulas. Temos o compromisso de oferecer aos nossos alunos uma Educação de qualidade e de mostrar que a Escola Pública é espaço de aprendizagens significativas que farão a diferença e irão marcar de forma positiva a vida dos nossos alunos, preparando-os para o futuro, sejam quais forem as suas escolhas. Nossa equipe e, neste caso, o professor Alberto, nos ajuda a sonhar cada vez mais alto e nos mantermos firmes em nosso propósito. Quando trabalhamos com amor, nada é impossível”. 

 

Parabéns à equipe da E. M. Prof.Antonio Boaventura pela inovação na prática esportiva com os alunos!

 

Quer saber mais sobre esta ação?

Escola Municipal Prof. Antonio Boaventura

Rua Nova Era , 401, Campo Grande

Telefone: 2323-7025

Direção: Adriana Santos e Andrea Santos

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share