A A A C
email
Retornando 25 resultados para o mês de 'Junho de 2018'

Terça-feira, 12/06/2018

Fato ou Boato - Quadro no Canal do Youtube da Escola Finlândia

Tags: 7ªcre, projetos, youtube.

 

Fato ou Boato é um quadro semanal do canal do Youtube da Escola Finlândia. O quadro é apresentado pela aluna Laiane Marinho que faz parte do Time F da unidade escolar. 

 

A Escola Municipal Finlândia mantêm um canal no Youtube que é administrado por alunos do Time F e que tem orientação de professores da unidade escolar. O quadro Fato ou Boato tem sido apresentado pela aluna Laiane Marinho.O professor Edson Dionisio explica que os temas escolhidos na maioria das vezes são questões do senso comum.

 

Muitas coisas que as pessoas pensam ser de um jeito, na verdade são de outro, como por exemplo, a ideia de que comer doce demais causar verminose. Muitos temas são sugeridos por alguns professores e a aluna Laiane Marinho os apresenta  no quadro fomentando o entendimento acerca de certas questões que estão bem difundidas, mas nem sempre esclarecidas. Os vídeos são publicados sempre as quartas, assim como as gravações.

Laiane Marinho, participante do Time F, equipe que administra as redes sociais da escola e produz vídeos para o canal da Unidade no YouTube, foi escolhida para apresentar o Fato e Boato a partir de uma escolha coletiva e devido ao seu carisma e facilidade de falar em público. Habilidades essas percebidas pelo professor Edson.  

 

   Aluna Laiane Marinho, apresentadora do quadro Fato ou Boato.

 

A aluna Laiane, geralmente, recebe o tema com um dia de antecedência, o professor escreve os roteiros e ela acrescenta ou retira algumas coisas. As gravações são feitas com o celular da própria Laiane ou com o celular do professor Edson. O próprio professor ou algum outro membro do Time F faz a filmagem que são realizadas na sala de leitura, por possuir uma boa acústica.

 

Confira abaixo alguns dos vídeos para o Fato ou Boato:

 

 

 

 

 

 

 

Parabéns a todos os envolvidos no trabalho realizado!

 

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato do professor Edson Dionisio :

dionisiobqm@gmail.com

 

 

Contato da Escola Municipal Finlândia:

emfinlandia@rioeduca.net

 

Quer conhecer mais sobre esse trabalho e outros da E.M. Finlândia?

Acompanhe a escola

Youtube

Escola Municipal Finlândia

 


Twitter

Escola Municipal Finlândia 

 

 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 11/06/2018

Realidade Virtual

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, tecnologia.

 

O uso da realidade virtual movimenta o Ensino de Ciências no Ginásio Olímpico de Santa Teresa.

 

A realidade virtual é uma tecnologia de interface avançada entre um usuário e um sistema operacional. O objetivo dessa tecnologia é recriar ao máximo a sensação de realidade para um indivíduo, levando-o a adotar essa interação como uma de suas realidades temporais (WIKIPEDIA, 2018).

 

 

Sempre associamos a realidade virtual com o entretenimento, visto que, esse tipo de tecnologia é usado em jogos eletrônicos e sempre marca presença em filmes de ficção científica. Entretanto,  a realidade virtual também está sendo cada vez mais empregada na Educação, pois o uso de tecnologias no processo de ensino-aprendizagem é de fundamental importância para a formação dos estudantes no mundo de hoje.


A realidade virtual está revolucionando a experiência de aprendizagem no Ensino de Ciências, possibilitando que os alunos aprendam de forma mais interativa e prazerosa.

 

Realidade virtual sendo usada no Ensino de Ciências no Geo Santa Teresa


“Usando essa tecnologia, os alunos puderam ver tridimensionalmente as células procarióticas, eucarióticas animais e vegetais. Puderam observar as organelas dessas últimas e comparar detalhes entre um tipo e outro. A aula ficou muito interessante, divertida e o processo de ensino-aprendizagem ficou realmente mais dinâmico.” - Comenta a Professora Lucineia Alves, professora de Ciências, idealizadora da implantação da realidade virtual na Escola Municipal Juan Antonio Samaranch, conhecida como Ginásio Olímpico (GEO) Santa Teresa.

 

 

O uso da realidade virtual no Ensino de Ciências, ainda que inicial no GEO Santa Teresa, tem se mostrado promissor em constituir-se uma poderosa ferramenta no processo de ensino-aprendizagem.

 

O entusiasmo contagiante dos alunos ao utilizarem os óculos 3D em sala.


Foi solicitado aos alunos que baixassem, em seus respectivos celulares, um aplicativo que possibilitou a observação de células através dos óculos 3D. O uso do telefone celular, em sala de aula, também foi motivo de muita alegria para os alunos, mostrando que o mesmo pode ser um ótimo aliado no processo de aprendizagem .

 

Aprendendo sobre as células com o uso da realidade virtual, através do telefone celular.
 

 

Ao final da aula, os alunos da Turma 1703, foram convidados a realizarem um pequeno relato com sua opinião sobre a experiência da utilização da realidade virtual em sala de aula. A partir dos relatos, pode-se constatar que os alunos gostaram muito do uso para aprenderem sobre as células. Seguem alguns relatos:

 

“Adorei essa experiência!”

“Eu gostei muito dessa atividade. Quero que aconteça mais vezes.”

“Eu gostei muito! Principalmente das células animais. Foi uma experiência incrível!”

“Legal, bonito e muito bom a experiência de usar os óculos com meus amigos em sala de aula!”

“Eu gostei de usar os óculos 3D! É muito realista ver as células através deles. É bem legal e gostaria de ver mais outras vezes!”

“Eu gostei muito de usar os óculos 3D! Essa experiência é muito boa porque facilita o nosso aprendizado.”

 

Nesse contexto, destacamos que França & Silva (2017) afirmam que tecnologias relacionadas à realidade virtual potencializarão a aprendizagem, indo de encontro às perspectivas dos alunos atuais que utilizam Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação de forma natural e totalmente imersiva.

 

“Desejo que a realidade virtual traga novas perspectivas ao ensino no GEO Santa Teresa, não somente no Ensino de Ciências, mas também a outras disciplinas. Inicialmente, já se pode observar que a adesão à tecnologia facilita a absorção dos conteúdos pelos alunos, torna o processo de aprendizagem mais atraente para os mesmos e oferece experiências prazerosas no processo de ensino – aprendizagem.” – afirma a Professora Lucineia Alves.

 

REFERÊNCIAS:


FRANÇA, C. R. & SILVA, T. 2017. A utilização da Realidade Virtual e Aumentada no Ensino de Ciências no Brasil. Disponível em: . Acesso em 30/abr/2018.


WIKIPEDIA. 2018. Realidade virtual. Disponível em:. Acesso em 30/abr/2018.

 

Para Saber Mais:

E.M. Juan Antônio Samaranch

Diretora: Ana Christina Quintella

Diretora-Adjunta: Vera Regina Pacheco

Coordenadora Pedagógica: Mariane Fernandes de Catanzano

Professora Responsável: Lucineia Alves

Telefone: 3972-0916

E-mail: geo@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 07/06/2018

Museu Sensorial do Índio

Tags: 8ªcre, dia do indio, cultura indígena, artes.

 

O Museu Sensorial do Índio foi uma experiência inovadora no CIEP Aracy de Almeida  e representou muito mais do que uma homenagem à cultura indígena.

 

Alunos da Educação Infantil retrataram peças do artesanato indígena

 

 

Durante uma semana, no CIEP Aracy de Almeida, foi oferecida a oportunidade de explorar o Museu Sensorial do Índio. O espaço foi organizado no auditório da escola e ficou aberto para alunos e para a comunidade local.

O objetivo foi criar uma homenagem à cultura indígena de uma forma diferente, para tal os visitantes precisavam usar os 5 sentidos.

O Museu Sensorial do Índio foi uma exposição para degustar, cheirar, ouvir, ver e sentir. Os alunos aprovaram a experiência, pois os comentários foram muito positivos e a curiosidade esteve estampada em cada olhar durante todo o percurso da exposição.

 

 

Professora Eliane Delbons com alunos da Educação Infantil observando objetos indígenas

 

 

A idealização do espaço surgiu de uma iniciativa da Coordenadora Pedagógica da escola, professora Fabiana Mazoni, porém toda a equipe colaborou e todas as turmas tiveram participação na construção final do projeto. 

Além dos objetos e produções em exposição, as turmas também fizeram algumas apresentações.

A turma 1301 apresentou uma paródia que foi construída pelos alunos sob a orientação da professora regente. A paródia que tem o título "Que Índio é esse?", foi exibida no telão durante o periodo da exposição, além de slides com fotos de índios.

 

 

Professora Bhyanka da Cunha explorando os sons do chocalho com os alunos da turma EI - 31

 

 

O ensino da  cultura indígena é muito rico para se resumir somente ao dia 19 de abril.

A elaboração do Museu sensorial do Índio no CIEP Aracy de Almeida exemplificou o quanto podemos aprender e o quanto a cultura indígena está presente no dia a dia de todos nós. O projeto foi muito positivo para todos os participantes.

Durante todo o período de desenvolvimento do trabalho, as músicas, o vocabulário, as curiosidades e tudo o que foi pesquisado sobre a cultura indígena enriqueceram as atividades na sala de aula de maneira interdisciplinar.

 

 

 

 

O Rioeduca parabeniza a equipe do CIEP Aracy de Almeida pela realização do Museu Sensorial do Índio!

 

Para entrar em contato com a escola:

Facebook: https://www.facebook.com/cieparacydealmeidacantora/

Email: ciepaalmeida@rioeduca.net

 

Equipe:

Elaine Maria (Direção)

Denise Gallier e Edilene Ramos (Direção Adjunta)

Fabiana Mazoni (Coordenação Pedagógica)

 

 

Participe do Rioeduca! Entre em contato conosco!

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/06/2018

Aprendendo e brincando com o Sítio do Picapau Amarelo

Tags: cre10, 10ªcre.

 

EDI Katia Miranda trabalhando obra de Monteiro Lobato para construção de um aprendizado significativo


O E/CRE (10.19.822) EDI Katia Miranda Santos está localizado à Estrada de Sepetiba, 3.325 bloco 1 - Campus Nova Sepetiba - Santa Cruz, Zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade possui 486 alunos, com 19 turmas, sendo 6 de creche (integral) e 13 de Pré escola (parcial). Tem como diretora a professora Shenia Cristina Ferreira da Silva do Pilar Cobra e como diretora adjunta a professora Juliana Campos de Siqueira Paes.


O projeto nasce a partir do planejamento anual do EDI, que tem como tema “Aprendendo e brincando com o Sítio do Picapau Amarelo”. Uma das atividades é a transformação do espaço em um ambiente encantado das fábulas de Monteiro Lobato, onde os alunos se sentem no próprio sítio, em meio a corujas, pintinhos e outros animais.

 

Alunos em atividade no EDI Katia Miranda dos Santos


É nesse mundo de faz de conta, entre Emília e Visconde que construímos juntos, professora e alunos, um ambiente alfabetizador favorável à descoberta de novos conhecimentos, na construção de um aprendizado significativo. — afirma a professora Shirley Nidech Corrêa


Para que os alunos sejam os construtores do saber, nada melhor que os próprios façam parte da confecção do cenário. Sendo assim, a turma EI-41 confeccionou pintinhos com pratos de papelão – eles pintaram pratos (dois tamanhos diferentes) com tinta guache. Em seguida, colaram os olhinhos, bico, crista, pezinhos e as asas confeccionadas com o desenho de suas mãos. Já os alunos da turma EI-43 confeccionaram corujas com sacos de papel e colaram os olhos, bicos, pezinhos e asas. 

 

Alunos com os trabalhos confeccionados em sala de aula

 

O trabalho foi muito proveitoso e despertou grande interesse aos alunos, que puderam, além de exercitar a coordenação motora grossa e fina, e o movimento de pinça, ver seus trabalhos decorando a sala de aula. — afirma a diretora Shenia


A próxima atividade de decoração será colar jabuticabas com bolinhas de papel crepom na árvore, afinal a jabuticabeira é sempre citada nos livros sobre o Sítio do Picapau Amarelo. O livro “As jabuticabas” faz parte do acervo literário da Unidade Escolar. Essa atividade vai envolver duas turmas com um trabalho de coordenação motora fina, amassando as bolinhas de papel; interatividade, pois farão o trabalho em conjunto; percepção visual, ao verificarem onde há necessidade de mais bolinhas e, principalmente, a autoestima, ao ver seu trabalho exposto e elogiado.

 

Alunos em atividade do projeto

 

É gratificante ver o orgulho que nossas crianças mostram aos seus pais o que fizeram para contribuir com o ambiente da sala de aula, que cada dia mais parece com o “Mundo encantado do Sítio do Picapau Amarelo”. — afirma a diretora adjunta Juliana

 

Parabéns a todos os envolvidos no projeto !


Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.822) EDI Professora Katia Miranda Santos
E-mail: edipsantos@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share