A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Julho de 2016'

Segunda-feira, 04/07/2016

Distribuição Eletrônica com Arte na José do Patrocínio!

Tags: 5ªcre, arte.

 

 

 

 

 Permitir o reconhecimento da estrutura básica de um átomo e desenvolver a capacidade de realizar distribuição eletrônica de forma lúdica e artística, foram os objetivos propostos e alcançados com seus alunos, através de um trabalho interdisciplinar, pelos professores Marcelo Viana de artes e Claudia Rodrigues de ciências, da Escola Municipal 05.14.020 José do Patrocínio, em Irajá.

 

 

 

A Distribuição eletrônica é a maneira pela qual os elétrons se distribuem na eletrosfera. A eletrosfera do átomo é a região que envolve o núcleo e contém os elétrons, partículas de carga elétrica negativa e extremamente pequenas. E os professores da E. M. José do Patrocínio encararam o desafio de trabalhar interdisciplinarmente esse conteúdo com seus alunos.

No mês de maio de 2016, os professores de Ciências e Artes desenvolveram um projeto com as turmas de 9º ano, com uma proposta de aprendizagem através da construção do conteúdo, com apoio da pesquisa e de técnicas artísticas. Essa atividade despertou o interesse e a curiosidade dos alunos trabalhando o conteúdo “Distribuição Eletrônica por Níveis” através da confecção de móbiles que simularam essa distribuição de uma forma mais atraente e divertida. Os alunos pesquisaram elementos químicos, sua massa, números de prótons, elétrons, nêutrons, número atômico. Pesquisaram também como é feita a distribuição eletrônica por níveis e fizeram um projeto em papel. Depois executaram a confecção do móbile com base no projeto.

 

Alunos do 9º ano 

 

Os alunos que participaram dessa atividade foram das turmas 1901 e 1902 e entre o tempo investido na pesquisa até a confecção dos móbiles e a exposição dos mesmos, essa atividade teve uma duração total de duas semanas e o engajamento dos professores e alunos na atividade foi primordial para o êxito e a excelência da execução da mesma. A diretora Helane Tavares e a Coordenadora Pedagógica Maristela deram apoio e ficaram muito satisfeitas com a realização da atividade.

 

Alunos do 9º ano, os professores Marcelo (artes) e Cláudia (ciências). Ao lado, a exposição da pesquisa feita pelos alunos e na parte superior, a exposição dos móbiles na escola

 

O principal objetivo desse projeto foi fazer com que os alunos entendessem o que era o átomo, quais eram as partes do átomo, quais eram as partículas formadoras do átomo (prótons, nêutrons, etc.), onde elas ficam no núcleo e na eletrosfera, de forma mais concreta, onde os alunos conseguissem entender que os elétrons não ficam fixos no átomo, mas se distribuem nas camadas eletrônicas por níveis. Porém, toda essa parte conceitual foi feita através da pesquisa prévia e da investigação sobre o tema pelos próprios alunos. Após a pesquisa, os alunos organizaram todo o projeto “Distribuição Eletrônica” em trabalhos no papel com apoio da professora de ciências e em uma última etapa, foi realizada a confecção dos móbiles, com o seguinte material: bolinhas de isopor, arame de artesanato, fio de nylon e tinta guache. A parte da confecção dos trabalhos contou com o apoio do professor de Artes, que estimulou bastante a criatividade na realização dessa atividade, onde os alunos participaram com muito empenho, inclusive mostraram grande preocupação na reprodução do número de prótons e nêutrons do núcleo do átomo corretamente através das bolinhas.

 

Exposição dos móbiles na escola


Parabéns ao trabalho de excelência realizado pelos professores e pela escola! Demonstração de que a educação se faz com compromisso, responsabilidade e muito amor pelo que se faz.

 

Gostou dessa atividade diferente e bem bacana da escola? Entre em contato com a Escola Municipal José do Patrocínio para saber um pouco mais sobre esse trabalho. 

 

E-mail: empatrocinio@rioeduca.net

E lembre-se de deixar o seu comentário! 

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/07/2016

Projeto Socorrer na Escola

Tags: 4ªcre.

 

 

 

Acidentes no ambiente escolar são frequentes e podem ocorrer a qualquer momento. Por vezes acontecem acidentes na escola, que, inclusive,
podem deixar sequelas irreversíveis caso não tenham o atendimento adequado. O que se torna um desafio para o professor e para a escola, já que eles são a assistência imediata da vítima.

 

Nessa pespectiva, reconhecemos a importância de um profissional de saúde, enquanto educador  para desenvolver práticas educativas dialógicas na construção de novos conhecimentos e a capacitação da comunidade escolar sobre práticas de promoção e prevenção de acidentes. 

Pensando nisso, a Escola Municipal Pedro Lessa desenvolveu em parceria com o Primeiro-Sargento - Jalbert Azeredo Cardozo um Projeto que levou o conhecimento sobre os primeiros socorros, não só para os alunos, mas para toda a comunidade escolar.

 

Conheça mais sobre o trabalho desenvolvido por eles:

 

 

"Trabalhar com a Pedro Lessa foi uma escolha, feita por mim, a qual teve motivo muito especial, pois fui aluno durante todos os oito anos do antigo 1º Grau, aliás, a Diretora ainda é a mesma.

O projeto, iniciado ano passado, teve também a participação do Colégio Estadual Alvina Valério, na cidade de Guapimirim.

Após prévio agendamento, conseguimos os dias 03 e 10 de junho de 2016, pois nosso público foi para os alunos do 9º ano, tendo um quantitativo estimado de 120 alunos, esse número não viabilizaria o evento em um dia, pelo simples fato do espaço físico da sala não suportar tantos alunos. Sendo assim, escolhemos dividir em dois grupos, nas datas citadas acima.

 

 

O Projeto “Socorrer na Escola” teve o ímpar apoio da Marinha do Brasil, representada pelo Centro de Medicina Operativa da Marinha (CMOpM), que é minha unidade militar atual.

O Projeto compartilhou com os alunos informações sobre Noções Básicas de Primeiros Socorros, o conceito sobre “Amazônia Azul” .

 

 

A iniciativa teve como objetivo divulgar os procedimentos básicos de socorro a serem aplicados em situações de emergência mais comuns dentro de uma escola. Como ex-aluno, sendo o instrutor deles, pude dividir com os mesmos os mesmos anseios que tive durante aquela fase escolar, incluindo também, as mesma dificuldades econômicas e dentro da comunidade. Tal ato, serviu de forma nítida para motivação dos alunos.

Na ocasião foram abordados os seguintes temas: definição de primeiros socorros, avaliação inicial, como e a quem pedir socorro, segurança e biossegurança, suporte básico de vida (em conformidade com as diretrizes da American Heart Association–AHA-2015), ferimentos, curativos, fraturas, imobilizações, convulsão, desmaio e cuidados com partes amputadas.

Por ocasião do encerramento do evento, a Escola Municipal Pedro Lessa recebeu certificado de participação neste profícuo projeto social, assinado pelo Excelentíssimo Senhor Diretor do Centro de Medicina Operativa da Marinha, o Contra-Almirante Médico Cânfora."

Texto enviado pelo Primeiro-Sargento - Jalbert Azeredo Cardozo.

Certamente, os beneficiários do Projeto de Prevenção de Acidentes e Primeiros Socorros nas Escolas são crianças, adolescentes, profissionais da educação, pais e responsáveis e até a comunidade onde cada um destes se insere, que atuarão como agentes de mudança do comportamento individual e do meio ambiente de uma forma mais ampla.  

 

Parabéns aos envolvidos pelo trabalho realizado, sobretudo a Professora Márcia - Gestora da EM Pedro Lessa!
 

 

Contato :

Contato para publicações:

Ana Accioly - Representante Rioeduca 4ª CRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

                               

 
 
 
 
 

   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Sexta-feira, 01/07/2016

Favela Mundo no Engenho da Rainha

Tags: favela mundo, oficinas.

 

 

 

 

FAVELA MUNDO OFERECERÁ MAIS DE 300 VAGAS EM OFICINAS CULTURAIS NA ESCOLA MARECHAL ESTEVÃO LEITE DE CARVALHO


Contra turno será com muita alegria e para toda a comunidade escolar

 

O projeto Favela Mundo, que acaba de se despedir da Escola Municipal Pedro Aleixo na Cidade de Deus inicia atividades para crianças, jovens e responsáveis no Engenho da Rainha, em 11 de julho.


Após beneficiar mais de 550 crianças na zona Oeste da cidade a entidade parte para a zona norte, onde pretende beneficiar mais de 300 alunos.


O projeto conta com patrocínio do MetrôRio, Prefeitura do Rio e da Secretaria Municipal de Cultura e levará à escola aulas de danças brasileiras, hip hop, jazz, capoeira, teatro e violão para crianças e jovens de 6 a 18 anos e oficinas de artesanato, maquiagem e decoração de unhas para os responsáveis. “Acreditamos que para o desenvolvimento pleno, o aluno precisa ter o apoio da família. Desenvolvemos atividades voltadas aos pais pois dessa forma conseguimos entender melhor o dia a dia de cada criança, conhecemos seus problemas reais e podemos, todos juntos, criar estratégias para que ele cresça de forma saudável. Outro fator importante e fundamental é que as oficinas para os adultos tem o foco na geração de renda, assim as famílias adquirem conhecimentos para ajudar no sustento de suas casas.” Comenta Marcelo Andriotti, idealizador do projeto.

 


Fundada em 2010 a ONG Favela Mundo já beneficiou mais de 2.300 crianças e jovens de 92 comunidades. Representou o Brasil em diversos eventos no extrerior, entre eles destacam-se o Congresso Internacional de Pedagogia de Havana/Cuba, UNAOC-EF Summer School, na ONU em Nova Iorque e em 2014 o projeto foi reconhecido como um “modelo de inclusão social nas grandes cidades”, no World Cities Day, na Sede das Nações Unidas. Ao todo a Favela Mundo já esteve presente, levando a bandeira de nosso país, em 8 eventos estrangeiros.


Em agosto a África receberá o Favela Mundo no NAIMUN, evento que ocorrerá no Marrocos e debaterá formas de aplicar os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. A entidade será a única brasileira convidada, entre mais de projetos de mais de 50 países.


Para participar das aulas gratuitas na Escola Marechal Estevão Leite de Carvalho, no Engenho da Rainha, é preciso a autorização dos responsáveis e cópia da identidade e CPF. O projeto terá a duração de 12 meses e tem como principal objetivo diminuir as taxas de evasão, aumentar o interesse dos alunos pela vida escolar e oferecer novas oportunidades de crescimento pessoal para os alunos.

 

 


“Nós da escola Marechal estamos empolgados e realmente acreditando que a Favela Mundo vem pra somar com nosso “Projeto Vida”, acreditamos que irá dar um significado pra uns e ressignificar a vida de outros alunos. Porque alguns não têm essa perspectiva de futuro. Creio que podem encontrar na dança e demais oficinas novas oportunidades de melhoramento em suas vidas, quem sabe um novo emprego, uma nova perspectiva, ... um novo olhar pras suas vidas. É isso que estamos esperando do Favela Mundo, porque nós da escola estamos nessa perspectiva de sempre dar um ressignificado. Infelizmente alguns de já estão empenhados e abraçados pelo tráfico. Outros veem o tráfico como ascensão social dentro da comunidade onde vivem. Nós da Marechal sempre lutamos contra isso é nosso dever nos quatros anos que estamos aqui lutar contra isso e mostrar pra eles que existe sim novas oportunidades. Após quatro anos em frente à escola vejo muito mais alunos entrando no ensino médio do que eu via quando eu entrei aqui, mas não quer dizer que isso é tudo. Eu acredito em 100% porque se eu não acreditasse em 100% eu não estava na educação. Hoje nós estamos alcançando 80% e acredito que com a entrada de vocês existe perspectiva de 100%. Porque não sonhar com 100% e é com essa linha de pensamento, de raciocínio, de crença na educação que eu sei que a Favela Mundo vai somar.” – comenta Valéria Maria Ferreira Guedes Machado, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Marechal Estevão Leite de Carvalho.

 


A dura realidade da comunidade, pobre em projetos culturais é o que está levando a Favela Mundo para o Engenho da Rainha, como uma ferramenta de integração, crescimento pessoal e aumento da autoestima dos moradores.


Para o diretor Comercial e Marketing do MetrôRio, Ricardo Nunes, essa iniciativa vem reforçar o compromisso da Concessionária em contribuir com a formação do cidadão. “Esta parceria firmada com a Favela Mundo irá contribuir para o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos moradores das comunidades do entorno da estação Engenho da Rainha. O MetrôRio tem consciência do seu papel e procura estimular esse convívio social. O projeto estimulará aptidões pessoais e profissionais, abrindo um novo leque de opções para essas pessoas”, disse.

 

Início das aulas: 11 de julho

Para informações adicionais sobre inscrições, os interessados podem entrar em contato pelo telefone (21) 2236-4129 ou pelo site www.favelamundo.org.br
 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share