A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Julho de 2016'

Sexta-feira, 15/07/2016

Gincana Ambiental

Tags: 4ªcre.

 

 

 

A Educação Ambiental é um tema muito discutido atualmente devido ao fato de se perceber a necessidade de uma melhoria do mundo em que vivemos. Assim, a escola continua sendo um espaço importante para o desenvolvimento de valores e atitudes comprometidas com a sustentabilidade ecológica e social.

 

 

O trabalho desenvolvido na Escola Municipal Odilon Braga é componente dessas medidas, as quais são as mais essenciais, necessárias e de caráter emergencial, pois sabe-se que a maior parte dos desequilíbrios ecológicos está relacionada a condutas humanas inadequadas impulsionadas por apelos consumistas, frutos da sociedade capitalista, que geram desperdício, e ao uso descontrolado dos bens da natureza, como é o caso dos solos, das águas e das florestas.

 

 

Saiba mais sobre o projeto dessa escola:

 

"É preciso despertar a consciência ecológica e o ideal de sustentabilidade nas crianças e adolescentes, focando na importância de preservar o meio ambiente, tornando-os cidadãos em potencial, para construirmos um futuro ambiental melhor para toda a humanidade.

Com esse propósito surgiu o Projeto “Gincana Ambiental”, pensado a partir do desenvolvimento de atividades lúdicas e criativas voltadas às questões ambientais. de forma dinâmica e interativa. O objetivo principal do projeto foi a conscientização dos alunos em relação à proteção ambiental, de forma dinâmica e participativa, envolvendo assuntos atuais de maior repercussão no planeta e questões relacionadas à rotina escolar.  

 Assim, a Escola Municipal Odilon Braga lançou para seus alunos várias tarefas para serem realizadas dentro da Gincana Ambiental fazendo parte do projeto "Ambienta Rio", cuja culminância aconteceu no dia 02 de junho de 2016, em homenagem ao Dia do Meio Ambiente.  

As principais tarefas para serem cumpridas pelas turmas foram: limpeza e organização da sala de aula; criação de uma horta ou jardim; cartaz, poema, paródia e dramatização sobre a importância do meio ambiente; confecção de roupas com material reciclado; vídeo com uma entrevista sobre o combate à dengue e coleta de óleo de cozinha para reciclagem." Texto enviado pela Professora Luciane Lessa - Coordenadora Pedagógica

 

 

Somente com iniciativas como essas é que se torna possível acreditar na possibilidade de mudar condutas e valores e, assim, formar pessoas que, através da disseminação de suas convicções, trabalharão por uma nova maneira de relacionar-se com o mundo e seus recursos Naturais.

Sabemos que o trabalho pedagógico deve se concentrar nas realidades de vida social mais imediatas. O conhecimento da realidade é produzido a partir das experiências dos indivíduos e suas trajetórias pessoais. Através de trabalhos como esses, os quais são diretamente relacionados com a educação ambiental tem-se o verdadeiro desenvolvimento de uma conscientização focada no interesse do aluno pela preservação e construído de forma coletiva.
  

 

Parabéns aos envolvidos pelo trabalho realizado!
 

 

 

Contato :

Escola Municipal Odilon Braga
Praça Laguna, 15 - Cordovil Rio de Janeiro - RJ
(21) 3352-3617
https://www.facebook.com/emodilonbraga/
Direção – Luis Carlos Gomes e Rosângela Mariano
Coordenação Pedagógica – Professora Luciane Lessa
Sala de Leitura Monteiro Lobato – Professora Rosângela Viana

 

 

 

Contato para publicações:

Ana Accioly - Representante Rioeduca 4ª CRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

                               

 
 
 
 

   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Quinta-feira, 14/07/2016

Descobrindo o Mundo da Escrita através das Cartas

Tags: 8ªcre.

 

 

 

 

O Projeto Correios que foi desenvolvido com o 3º ano na Escola Municipal Antônio Austregésilo deu tão certo, que em breve se estenderá para todos os alunos da unidade. Apesar de toda a modernidade, as cartas ainda têm o poder de sensibilizar e encantar quem envia e quem as recebe.

 

Aluna Vytoria Serra, pronta para entregar as cartas da turma 1302

 

A carta possui um valor social importante por se tratar de um meio de comunicação acessível a todos.

É um meio de comunicação que exige o desenvolvimento da escrita e da leitura, tanto para quem escreve quanto para quem lê, portanto pode e deve ser usada em projetos de alfabetização. 

Mesmo diante das inovações tecnológicas atuais, é percebido que uma carta ainda pode surpreender e encantar quem as recebe.

 

 

Na Escola Municipal Antônio Austregésilo foi desenvolvido o Projeto Correios, para os alunos do 3º ano.  

A professora Rosa Maria (que faz o acompanhamento da escola) e os professores regentes do 3º ano organizaram durante duas semanas as atividades de preparação das cartas.

Para cada turma foi confeccionada uma caixa de Correio. Os alunos ficaram curiosos com a novidade. A partir daí as professoras apresentaram o envelope e conversaram sobre o remetente e o destinatário. 

Cada professora ensinou e intermediou os detalhes de como escrever uma carta e sugeriu que os alunos escrevessem para os seus colegas de turma ou para os funcionários da escola.

 

 

No momento da escrita das cartas, os alunos construíram e desenvolveram algumas habilidades. Testando as possibilidades, revisando seus próprios textos e expressando-se pela escrita, o Projeto Correios conquistou os alunos e as professoras.

Com as cartas prontas e depositadas nas caixas, o momento mais esperado ainda estava por vir. As professoras confeccionaram as roupas para os alunos que foram escolhidos para serem os carteiros da turma.

 

 

"Os alunos demonstravam estar muito empolgados com as cartinhas! A alegria ao receber as cartas foi contagiante e motivadora de novas escritas (...) em breve o projeto será estendido para toda a escola, pois acredito que escrevendo e compartilhando escritas todos poderão desenvolver-se cada vez mais!"

                                                                  - Professora Rosa Maria -

              (Professora de Acompanhamento Estratégico da Escola de Formação Paulo Freire)

 

 

Professora Rosa Maria e o aluno Jorge Gabriel, carteiro da turma 1301

 

Para entrar em contato com a escola:

Email: emaustragesilo@rioeduca.net

 

Para novas publicações da 8ª Cre, entre em contato com:

Professora Neilda Silva

neildasilva@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 13/07/2016

Alimentação Saudável no EDI Monsenhor Cordioli

Tags: 7ªcre, projetos.

 

 

 

 

O EDI Monsenhor Cordioli desenvolveu atividades de promoção de saúde, alimentação saudável e criação de horta escolar. 

 

Vivenciando o Projeto ‘Rio, juntos somos mais artes’ e aproveitando a proposta da semana da alimentação promovida pela Secretaria Municipal de Educação no mês de maio, o EDI Monsenhor Cordioli desenvolveu com as crianças reflexões importante sobre alimentação saudável.

 

     Alunos reunidos para conhecer várias frutas.      

 

A promoção de uma alimentação saudável no espaço escolar pressupõe a integração de ações em três pontos fundamentais: ações de estimulo à adoção de hábitos alimentares saudáveis, ações de apoio à adoção de práticas saudáveis na alimentação na escola e na família.

Assim, sabendo que o tema alimentação saudável é pertinente ao currículo da educação infantil e observando a crescente curiosidade das crianças a respeito dos alimentos (naturais e industrializados), trabalhamos essa temática com as crianças de modo que pudessem ter noções significativas para a construção de hábitos alimentares saudáveis na escola e em suas famílias.

  Brincando de Jogo da Memória das frutas.

 

Os trabalhos realizados tinham como objetivo conscientizar as crianças e seus responsáveis sobre a promoção da saúde por meio de alimentos saudáveis de forma atraente, lúdica e educativa e a criação de uma horta nos jardins da escola.

A partir de rodas de conversa apresentamos músicas sobre o tema, histórias, releitura da obra o ‘Vendedor de frutas’ de Tarsila do Amaral e apresentação de alguns alimentos (legumes, frutas e industrializados) para que as crianças pudessem concretizar o aprendizado.

 

      Gráfico sobre frutas preferidas e cartaz coletivo sobre Salada de Frutas.

 

Foram confeccionados trabalhos individuais e coletivos sobre as características dos alimentos (frutas e legumes) e os alunos também construíram a pirâmide dos alimentos e refletiram sobre a quantidade de gordura e açúcar consumidos. As crianças puderam perceber a importância e a necessidade da higienização dos alimentos e das mãos, tanto para o consumo quanto para o preparo.

 

                                                            Exposição de trabalhos sobre alimentação.

 

Elas experimentaram frutas sentindo cheiros, sabores e tato com a realização de salada de frutas, confecção de bolos, percepção da cesta de verduras (perceberam a cor, a textura, o cheiro de algumas hostaliças e temperos).

Através de rodas de conversas, as crianças refletiram sobre alguns alimentos não saudáveis (industrializados, pirulitos, balas, doces, refrigerantes, entre outros) que devem ser consumidos com moderação e fizeram gráficos construindo noções de quantidade, classificação e agrupamento, e  fizeram a sementeira de temperos para a horta.

 

                                            Diferenças dos alimentoa saudáveis e não saudáveis.

 

Os responsáveis foram conscientizados por meio de bilhetes e informes a respeito do tema, visualizaram os trabalhos expostos no pátio de entrada da unidade escolar, enviaram frutas para a confecção da salada de frutas e mudas de hortaliças para a horta.

 

    Crianças saboreando salada de frutas.

 

Com esse trabalho, os professores também aprenderam enquanto ensinavam e perceberam que as crianças  aprenderam  mais sobre alimentação saudavél e sobre os alimentos em geral.

 

Informações enviadas pela professora Apolônia Regina Ferreira.

 

Parabéns aos envolvidos pelo trabalho realizado!
 

 

Contato do EDI Monsenhor Cordioli:

edicordioli@rioeduca.net

Contato para publicações:

Roberta Vitagliano - Representante Rioeduca 7ª CRE

robertavitagliano@rioeduca.net

 

 

 

 

                               

 
 
 
 

   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 13/07/2016

Dia I - Dia da Conscientização da Inclusão

Tags: iha, inclusão.

 

 

 

DIA I – Dia da Conscientização da Inclusão do Aluno Público-Alvo da Educação Especial na Unidade Escolar (Escola/Creche/EDI)

Circular E/SUBE/CED n.º 055 - Rio de Janeiro, 28 de junho de 2016.

 

Senhor(a) Coordenador(a) de E/SUBE/CRE,
Senhor(a) Gerente da E/SUBE/CRE/GED,
Senhor(a) Diretor(a) de Escola,
Senhor(a) Diretor(a) de Creche,
Senhor(a) Diretor(a) de EDI,

       A Secretaria Municipal de Educação, através do Centro de Referência Instituto Municipal Helena Antipoff, é responsável pela implementação de políticas públicas para a educação na perspectiva inclusiva de alunos público-alvo da Educação Especial. Os avanços, até aqui conquistados, são o resultado de ações coletivas da sociedade, tais como a legislação brasileira, os movimentos das famílias, as práticas pedagógicas dos Professores das Salas de Recursos, a formação continuada dos Professores pelo IHA.


2. Neste momento, para fortalecer as ações educacionais, propomos, às Unidades Escolares da Rede Municipal de Ensino, o dia 27 de julho de 2016 como o Dia I – Dia da Conscientização da Inclusão do Aluno Público-Alvo da Educação Especial na Unidade Escolar.


3. O objetivo é promover a reflexão das ações das Escolas/Creches/EDIs no que se refere à Inclusão do aluno público-alvo da Educação Especial em seus espaços, favorecendo a aprendizagem em um ambiente que não exclui, que não estigmatiza e que não ignora novos desafios. A abordagem do tema Inclusão demanda a renovação da escola na formação da geração heterogênea e diferente que está presente na comunidade escolar, sejam docentes, discentes, responsáveis ou funcionários de apoio.


4. Ressaltamos a importância da interlocução entre todos os profissionais da escola, uma vez que, para a construção de ações democráticas, não pode haver barreiras nem limitações, de qualquer ordem, que possam resultar no segregacionismo e na discriminação do indivíduo. Dessa forma, entendemos que, para haver unidade, é necessário que todos participem da construção do Projeto Político Pedagógico Inclusivo de sua escola.


5. Importante a ênfase no dia 27 de julho como o DIA I – Dia da Conscientização da Inclusão do Aluno Público-Alvo da Educação Especial na Unidade Escolar, já que a organização desse dia será excepcional, tamanha a importância de se pensar a educação inclusiva como um todo!


6. Para o êxito do DIA I, Escolas/Creches/EDIs deverão desenvolver algumas etapas que subsidiem a discussão, tais como a diagnose da escola quanto aos alunos público-alvo da Educação Especial, a exposição de trabalhos da Classe Especial, da Sala de Recursos e de projetos pedagógicos inclusivos já realizados. Necessário também que o planejamento desse dia letivo seja voltado para a temática da Inclusão e, consequentemente, culmine com a produção de um documento em que constem:

  • ações para a educação na perspectiva inclusiva;
     
  • avaliação de seus resultados;
     
  • elaboração de novas metas para assegurar a qualidade do ensino, em consonância com seu Projeto Político Pedagógico;
     
  • acessibilidade universal;
     
  • Lei Brasileira da Inclusão – LEI N.º 13 146, DE 6 DE JULHO DE 2015.
     


7. Desse modo, com o intuito de garantir à comunidade escolar o devido espaço de discussão dessa temática e a consequente produção desse documento, Escolas/Creches/EDIs deverão se organizar da seguinte forma: 

  • Aula nos três primeiros tempos do 1.º turno e nos três últimos tempos do 2.º turno. Assim, haverá um período contínuo de discussão entre os 2 turnos.
     
  • Nas escolas de turno único, as duas horas finais do dia deverão ser dedicadas às discussões do DIA I.

 

8. Na oportunidade, agradecemos o empenho, o compromisso e a participação de todos os segmentos da comunidade escolar envolvidos na realização de ações de conscientização da Inclusão do aluno público-alvo da Educação Especial nas Escolas/Creches/EDIs. Entendemos que grandes desafios já foram enfrentados, com avanços significativos, e que muito ainda temos a realizar.


9. Entendendo, ainda, que devem ser compartilhadas novas ações voltadas para a efetiva política de inclusão na Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro, aceitamos, como resultado desse Dia I, o envio de contribuições das Escolas/Creches/EDIs. Solicitamos que o envio se dê diretamente para o e-mail katiasilva013@rioeduca.net.

 

10. Seguem, em anexo, referências bibliográficas que poderão nortear as discussões/reflexões.

 


Atenciosamente,


Katia Nunes
Diretora II da E/SUBE/CED/IHA


Maria de Nazareth Machado de Barros Vasconcellos
Coordenadora da E/SUBE/CED
 

 

 

 

                            

 

 

 

 


   
           



Yammer Share