A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Julho de 2016'

Quarta-feira, 13/07/2016

Criatividade: Entrevista com o Professor Alex Sandro Gomes

Tags: criatividade, entrevista, alex gomes.

 

 

Como trabalhar a criatividade na escola? Podemos ensinar? É uma habilidade que já é atávica?

 

Acompanhe a entrevista com o Professor Alex Sandro Gomes e vamos abrir o debate.

 

Rioeduca: Por que a Criatividade é tão importante para a educação?

Alex Sandro Gomes: Pois ela permite que se crie soluções que ainda não foram pensadas. Mais importante que ensinar respostas é necessário desenvolver as habilidades para formular perguntas e de criar soluções possíveis. A criatividade entre nas duas habilidades.

 

Rioeduca: Será que todos nós somos criativos?

Alex Sandro Gomes: Sim. A criatividade é um tipo de raciocínio. Algumas pessoas podem ter habilidades mais desenvolvidas que outras, mas todos temos uma versão dessa raciocínio e estamos sempre o evoluindo.

 

Rioeduca: A criatividade pode ser apreendida ou incentivado?

Alex Sandro Gomes: Ela pode ser desenvolvida por meio de vivências, desafios, dinâmicas, expressões. Sempre que somos solicitados a encontrar uma solução para o que ainda não sabemos a resposta, entram em ação raciocínios que combinam nossos conhecimentos anteriores. Quanto mais relações e quão mais inusitadas forem as associações melhor para o desenvlvimento da criatividade.

 


Rioeduca: Existem pessoas que já nascem criativa?

Alex Sandro Gomes: Pode ser que sim, visto que parte do que conseguimos fazer depender de nossa constituição física. Nascemos com inclinações específicas e podemos dizer que algumas pessoas nascem mais inclunadas a desenvolver com mais facilidades o raciocínio criativo.

 


Rioeduca: Qual seria o eixo estruturante de uma boa formação de professores para a criatividade em educação?

Alex Sandro Gomes: Seria um eixo que estimulasse a produção de formas distintas de expressão de conhecimentos. Ao construir uma ampla gama de representações, as pessoas são naturalmente levadas e pensar sobre as distintas propriedades entre os conceitos envolvidos. Os professores precisam desenvolver habilidades para criar situações didáticas distintas para ensinar um mesmo conceito. Na mesma direção, os professores precisam desenvolver habilidades para planejar didáticas que permitam relacionar conceitos tal qual são definidos em distintas áreas do conhecimento. Assim eles estão ajudando os alunos a desenvolver raciocínios por meio dos quais combinam elementos para propor como novas soluções. Os seja, o professor precisa ajudar a desenvolver o raciocínio criativo.

 


Rioeduca: Pensando no professor criativo, como ele pode planejar as aulas, sequências e cenários utilizando as técnicas de design?

Alex Sandro Gomes: O raciocínio de design é uma forma estrutura em um 'método' do pensamento criativo. O método é uma estratégia de resolução de problemas que permite lidar com uma grande quantidade de variáveis. Ele ocorre em ciclos e passa por fases tais como: imersão, síntese, ideação, prototipagem e avaliação. Para cada uma dessas fases são conhecidas técnicas que ajudam na construção das soluções. Esse método é hoje muito bem estabelecido e muito usado em muitas áreas da atividade humana. No voume 3 da série Professor Criativo tentamos explicar como o método de design pode ser adotado no planejamento docente e assim fazer com que o professor também usufrua desse método em sua prática.

 


Rioeduca: Como superar a simples utilização das TIC´s para uma experiência de aprendizagem autentica e inovadora?

Alex Sandro Gomes: A efetividade do uso de TIC's na prática docente não pode prescindir de um planejamento detalhado pois é uma atividade complexa e envolve muitas variáveis. Estamos propondo usar o método de design para planejar esse tipo de experiência de aprendizagem. Dessa forma, entendemos que o professor poderá ao planejar eliminar riscos ao insucesso, detalhar pequenas necessidades, identificar suas necessidades e assim usar as TIC's com mais conforto em sua prática, ao mesmo tempo que consegue obter melhor retorno e aceitação de suas iniciativas.

 


Rioeduca: Em um mundo que demanda cada vez mais soluções criativas para problemas complexos qual seria o papel do professor nesse cenário?


Alex Sandro Gomes: Ajudar com que os alunos sejam mais inteligentes e mais criativo que a geração que os educa. Esta frase foi elaborada por Jean Piaget ainda na década de 1970.


Para saber mais acesse Série Professor Criativo

 Ou acesse os Livros.

Volume 1

Volume 2

Volume 3

 


Alex Sandro Gomes é Engenheiro Eletrônico (UFPE, 1992), Mestre em Psicologia Cognitiva (UFPE, 1995) e concluiu o doutorado em Ciências da Educação pela Université de Paris v (René Descartes) em 1999. Atualmente é Professor no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, Bolsista de Produtividade Desen. Tec. e Extensão Inovadora 2 do CNPq e membro da Academia Pernambucana de Ciências. Atua com a concepção de ambientes colaborativos de aprendizagem. Publicou mais de 200 trabalhos em periódicos especializados e em anais de eventos, orientou ou co-orientou mais de 60 dissertações de mestrado e teses de doutorado na área. Atuou como coordenador dos eventos SBIE e IHC, promovidos pela SBC. Atuou como membro das comissões especiais de Interação Humano Computador e Informática Educativa da SBC. É líder do grupo de pesquisa Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional . É Coordenador das comunidades de software livre Amadeus e Openredu.

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/07/2016

Brincando com a Matemática

Tags: 6ªcre, matemática.

 

 

 

O professor Vinícius Borovoy, parceiro da Escola Municipal Cornélio Pena, desenvolveu com os alunos do 5.º ano, no mês de abril, várias atividades lúdicas para trabalhar diversos conceitos matemáticos essenciais para o desenvolvimento do raciocínio lógico. Vamos conferir?

 

"A proposta dos jogos é sensacional! Adorei! Jogos lúdicos interessantes, princicpalmente a utilização de cartas e a maneira como foi conduzido pelo professor Vinícius também!" - Prof.ª Luciene Picolo (1501)

 

Na sua opinião, qual é a disciplina escolar mais odiada entre os estudantes? Certamente, a maioria de vocês irá responder: Matemática. Talvez por acharem-na difícil, abstrata ou desnecessária, muitos estudantes a veem como a matéria mais difícil de todas, a vilã dos boletins. Mas ela não é um bicho de sete cabeças!

 

Um grupo de professores da Escola Municipal Cornélio Pena, localizada em Irajá – Zona Norte/RJ, está provando que dá para tornar a Matemática atraente. Os estudantes do 5.º ano estão adorando as atividades desenvolvidas pelo professor Vinícius Borovoy, um grande parceiro da escola, e pelas professoras Luciene Picolo (turma 1501), Verônica Rodrigues (turma 1502) e Lídia Lacerda (Coordenadora Pedagógica), que ajudaram a mediar as etapas dos exercícios práticos.

 

"Um dos pontos que ressalto foi a relevância atribuída à exploração do próprio corpo e do ambiente, envolvendo noções geométricas, a vida das crianças e a intertextualidade." - Prof.ª Verônica Rodrigues (1502)

 

Dramatemática foi o nome escolhido para este conjunto de atividades que utilizou o corpo para trabalhar conceitos matemáticos e desenvolver um raciocínio que possibilite aos alunos compreender os conteúdos de forma clara e objetiva.

 

No Jogo da Corrente, os alunos se organizaram em círculo a partir das respostas que davam às charadas matemáticas, que foram baseadas nos conceitos básicos das quatro operações. Em seguida, o professor Vinícius solicitou que cada um imaginasse que estava segurando uma bola e com movimentos e expressões corporais mostrasse aos colegas algumas características dessa bola (grande/pequena/leve/pesada). Assim que os alunos adivinhavam, a criança em destaque se apresentava e falava onde a Matemática estava presente em seu dia a dia.

 

"O diálogo de qualquer conhecimento nos espaços escolares com o cotidiano dos alunos, o torna mais significativo e gera aprendizagem." - Prof.ª Lídia Lacerda (Coordenadora Pedagógica)

 

Após esta etapa inicial, os alunos andaram pelo espaço demarcado realizando algumas ações dadas pelo mediador, professor Vinícius Borovoy: andar rápido/de forma lenta, sentindo-se o homem mais alto/baixo do mundo, parar quando ouvisse um número par e andar quando ouvisse um número ímpar, entre outros.

 

No exercício Hipnotismo, os alunos foram organizados em duplas. Um de cada vez orientava a movimentação corporal de outro com a palma da mão. Segundo o professor Vinícius, o objetivo era trabalhar diferentes movimentos e a concentração. No Criando Cenas, as crianças do 5.º ano criaram uma cena em que a Matemática tivesse presente e apresentaram para a turma.

 

Atividade "Hipnotismo"

 

No Jogo de Cartas – Ligeirinho, um aluno ficava em frente ao outro e, ao mesmo tempo, retiravam uma carta de cima do monte gritando “Ligeirinho!”. As cartas eram colocadas perto do rosto de cada um, de forma que se pudesse ver a carta do colega e não a sua. Neste momento, o mediador anunciava a soma das cartas. Quem primeiro falasse o valor correto de sua própria carta que, somado ao do colega, deveria dar o total revelado pelo professor.

 

Segundo a Coordenadora Pedagógica, professora Lídia Lacerda, os alunos ficaram tão empolgados com as atividades que durante o recreio continuaram fazendo as tarefas com seus pares. “Quando teremos de novo? Gostei muito!”, declarou com alegria a aluna Amanda (1502). “Semana que vem tem mais?”, questionou Mateus (1501).

 

Atividade "Jogo de Cartas - Ligeirinho"

 

Todas as disciplinas ajudam a desenvolver o raciocínio, é verdade. Mas não podemos negar que, entre elas, a Matemática é a mais poderosa! Trabalhar com números, cálculos e outros conceitos básicos, seja dos mais fáceis aos mais difíceis, é uma poderosa arma para aprender a raciocinar melhor e mais rápido.

 

Parabéns a toda equipe da Escola Municipal Cornélio Pena e, em especial, ao professor Vinícius Borovoy e às professoras Luciene Picolo, Verônica Rodrigues e Lídia Lacerda por proporcionarem aos alunos uma educação que estimula a descoberta, desenvolve o raciocínio e a concentração e mostra o prazer em aprender! É um orgulho tê-los na 6.ª Cre!

 

Quer saber um pouco mais sobre o trabalho que é desenvolvido com os alunos do 5.º ano? Entre em contato com a escola!

 

 

Escola Municipal Cornélio Pena / (21) 3375-9696

E-mail: emcpena@rioeduca.net

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós! Até a próxima semana!

 


 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/07/2016

Informativo Multirio - 12 de julho

Tags: informativo.

 

 

Multirio | News Ascom

MultiRio Siga-nos no Twitter
Clique

Curso para professores de Educação Infantil na Web

A faixa de programação Interações Pedagógicas, da MultiRio Web TV, agora traz conteúdos voltados para educadores de creches e pré-escolas da Rede. O primeiro programa, que vai ao ar nesta sexta (15), aborda o conceito de neurociências. Em meio a outros assuntos, o novo módulo também levanta questões sobre desenvolvimento infantil, geografia da infância, papel das brincadeiras e dos profissionais de Educação Infantil. Assista todas as sextas, às 9h e às 14h30, pela Web TV.

Uma viagem pelas diversas culturas existentes no mundo

A nova pós-produção da MultiRio mostra ao público como diferentes sociedades se adaptam às mudanças, comportamentos, hábitos e tradições. No episódio de estreia, nesta sexta (15), Como Vivemos destaca a alimentação de povos como árabes, asiáticos e latinos. Entre temas como vestuário, arquitetura e festividades, a série propõe uma reflexão sobre as diversas formas de se viver, além de explorar as identidades e peculiaridades de cada lugar. Não perca! É às 14h45, no canal MultiRio (26 da NET) e na BandRio.

Sono na sala de aula

Relativamente comum, o problema pode estar associado a fatores ambientais e características fisiológicas. Ainda assim é confundido com TDAH. Leia no Portal MultiRio.

Siga-nos no TwitterA MultiRio não tem um perfil oficial no Facebook. Informações sobre a Empresa você encontra no Portal MultiRio e na nossa página no Twitter. Se você já faz parte desta rede social, seja um seguidor: twitter.com/multirio
MultiRio

Secretaria Municipal de Educação
MultiRio - Empresa Municipal de Multimeios

Para não receber mais este informativo,
envie e-mail para multiriocomunica@multirio.rio.rj.gov.br.

Tel: 1746/Fora RJ: (21) 3460-1746 • ouvidoria.multirio@rio.rj.gov.br

 

 

 

 

 

                            

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 11/07/2016

A Curiosidade Como Mediadora da Aprendizagem

Tags: 10ªcre, leitura.

 

 

 

Projeto desenvolvido pelos professores da escola trabalha as diversas possibilidades de aprendizagem nas pequenas coisas.

 

A E/SUBE/CRE (10.19.038) E. M. Pedro Mota Lima está localizada à Estrada de Paciência, 368 – Cosmos, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade Escolar atende atualmente alunos do 1° ao 5° ano e tem como diretora, a professora Maria Ines Bolzan, como diretora adjunta, a professora Sabrina da Silva Ribeiro, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Priscila Neves da Silva Moraes.

 

Equipe de direção e professores da E. M. Pedro Mota Lima

 

Em 2015, os professores resolveram unir esforços e abraçar um novo projeto. O tema principal era a curiosidade e o objetivo era mostrar aos alunos as infinitas possibilidades de aprendizagem existentes nas pequenas coisas ao redor deles. O projeto foi elaborado com base no livro “Anapédia em, O caso do Mar Colorido”, escrito pela professora regente Sheila Ramos da própria Unidade Escolar, e para se aventurar por essa história, ser curioso era o principal requisito.

O primeiro contato dos alunos com o projeto foi no segundo semestre de 2015, quando os professores trabalharam a história partindo da apresentação do enredo para o reconhecimento dos personagens e de suas principais características. Além de vivenciarem o momento de autógrafos, os alunos foram estimulados a construir uma sinopse do livro que faria parte das próximas edições.

Pensando na proposta e nas outras histórias da Anapédia, já escritas pela autora, o grupo elaborou diferentes abordagens para, estrategicamente, alcançar todos os alunos.

A primeira estratégia e o ponto central do projeto passaram a ser “O Jornal Mural”: um espaço para descobertas e curiosidades dos alunos, com base em diferentes temas propostos pelo corpo docente e escolhidos por cada turma, individualmente. Com a troca de experiências e sempre com informações “curiosas”, “O Jornal Mural” logo se tornou um elo importante entre os alunos, reunindo todo o trabalho da escola e estimulando a interação entre as turmas.

 

Jornal Mural

 

Outro artifício utilizado foi o material impresso chamado de “Plantão Anapédia”, cujo conteúdo aborda sempre um tema de interesse público escolhido pelo professor da turma. Neste jornal impresso são apresentadas aos alunos diferentes possibilidades de abordagem do tema desenvolvido em cada exemplar.

A “Hora do Conto”, uma atividade já executada pela escola há algum tempo, foi adaptada para fazer parte do projeto. No início do ano, cada turma recebeu a tarefa de elaborar uma “Hora do Conto” para apresentar para a Unidade Escolar. O tema pode ser proposto pelo professor da classe ou pode ser retirado de sugestões existentes no “Jornal Mural”. Pode ser um teatro, um jogral, um coral ou uma música, sempre com o propósito de construir com o grupo um reconhecimento da arte e do artista.

Além disso, foi introduzida no Projeto a chamada “Pesquisa Curiosa”, composta por atividades elaboradas pelo docente para envolver a família do aluno. Atividades como pesquisa, leitura de livro ou a execução de uma simples receita, fazem desta etapa um forte vínculo do responsável com a vida escolar da criança.

 

Alunos na apresentação de teatro

 

— Todo esse projeto nasceu a partir do contato da equipe pedagógica com o trabalho pessoal da professora Sheila Ramos. Desde 2009, ela tem trabalhado para construir uma nova perspectiva de leitura que possa levar seus alunos a conhecer mais do mundo que os cerca e a aprender com ele. Com aproximadamente 14 narrativas, Sheila tem viabilizado a construção de conceitos e abordagens de diversos assuntos a partir do uso do lúdico aliado a uma característica intrínseca de toda criança: a curiosidade. Suas histórias contam com um forte apelo infanto-juvenil de modo que seus personagens são caracterizados para estar o mais próximo possível da realidade do seu público leitor. — afirma a diretora Maria Ines.

Sua personagem principal é Ana Maria (Anapédia), menina de 10 anos que protagoniza a maioria das histórias e também é parte integrante do projeto da escola.

 

Apresentação teatral do alunos da professora Sheila

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/SUBE/CRE (10.19.038) E. M. Professora Pedro Mota Lima
Telefone: 3394-2916
Email: empmota@rioeduca.net

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724

 


 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share