A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Julho de 2016'

Sexta-feira, 08/07/2016

Aventura pela Ásia: Conhecendo a China e o Japão

Tags: 9ªcre, creche, educação infantil, projeto.

 


 

 

 

Aventura pela Ásia: Conhecendo a China e o Japão – Os alunos da Creche Municipal Professora Flora Santina Ferrari Braz, da 9ª CRE, viajaram pelo oriente para conhecer esta cultura milenar.

 

 

Na companhia do personagem Kung Fu Panda e seus amigos, os alunos da Creche Flora Santina descobriram as riquezas da Ásia. Desembarcaram na China, lugar onde vivem o maior número de pessoas no mundo com a missão de conhecer uma nova Cultura, novos jeitos e costumes, bem diferentes dos nossos. Empolgados na companhia do Panda, o grande dragão guerreiro, conheceram as artes marciais e descobrimos o corpo através do kung fu. Imitando o amigo Panda, as crianças se divertiram e descobriram o corpo através dos movimentos e aprenderam o valor da amizade. Aprenderam sobre a Festa do Dragão, animal símbolo da Cultura Chinesa que representa o esforço necessário para superar obstáculos até alcançar seus sonhos e sucesso.

 

 

Conheceram ainda a arte chinesa do Tangran. Descobriram as cores e formas geométricas e, através dessa arte chinesa, que se parece com um quebra-cabeça de 7 peças, aprenderam a formar diferentes figuras e desenhos. No desafio do Tangran, as crianças puderam desenvolver noções matemáticas de cores, formas, contagem e ainda, desenvolver o pensamento, o raciocínio lógico e a resolução de problemas.

 

 

Continuando a aventura pela Ásia, é hora de visitar o Japão. Em japonês Nihon koku que significa "Origem do Sol". Um país onde a Cultura e os jeitos de viver misturam as riquezas dos antepassados e as tecnologias do Novo Mundo. O Japão se destaca pela qualidade de vida, pelas inovações tecnológicas e ainda pela preocupação em proteger o meio ambiente diante do progresso e desenvolvimento. No Cantinho conectados, as crianças foram incentivadas a desenvolver novas habilidades como a coordenação motora, a autonomia, a concentração e a linguagem através de divertidas brincadeiras. Curiosas e empolgadas, experimentaram novas tecnologias e fizeram grandes descobertas.

 

 

Os alunos observaram que a forma de falar e escrever dos japoneses é muito diferente da nossa, combina o Kanji de origem chinesa com dois alfabetos silábicos japoneses, o hiragana e katakana. As crianças puderam praticar registros japoneses através do desenho e suas simbologias relacionando-os a nossa forma de linguagem habitual através do letramento. Nessa aventura, conheceram muitas histórias e lendas.

 

 

Aprenderam a fazer origami, a arte tradicional e secular japonesa de dobrar o papel, criando diferentes figuras e objetos sem cortá-lo ou colá-lo. No desafio do Origami as crianças puderam desenvolver a concentração, a imaginação e construíram conceitos matemáticos importantes.

 


 

Terminando essa viagem, os alunos conheceram e experimentaram os sabores da culinária tradicional japonesa, que tem como alimento principal o arroz branco, que lá é chamado de hakumai. Ao contrário de nossa cultura, não utilizam talheres e para comer. Eles usam o hashi, originário da China, consiste em dois pequenos bastões de madeira, plástico ou metal. Os japoneses se alimentam de frutos do mar, como peixes e outros produtos marinhos (como algas) e na maioria das vezes os comem cru e chamam de sashimi. Empolgados com essas descobertas, as crianças prepararam receitas deliciosas para a Mostra de sabores do Oriente:

  • Yakisoba, cujo nome significa, literalmente, "macarrão de sobá frito". O prato, conhecido internacionalmente, é composto por legumes e verduras que podem ou não ser fritos juntamente com o macarrão e aos quais se agrega algum tipo de carne;
     
  • Hakumai, tradicional arroz branco cozido em forma de bolinhos;
     
  • Sushi de frutas;
     
  • Umeboshi ou chá verde, como conhecemos;
     
  • E os famosos biscoitos da sorte chineses!

 

 

Para ver mais trabalhos realizados pela creche, acesse o blog

 

Contato com a U.E. pelos telefones 2415-7907 e 3462-7237 ou pelo e-mail cmpferrari@rioeduca.net.


 

 

 

 

 


                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Rita Faleiro Ver Comentários (0)

Quinta-feira, 07/07/2016

Ampliando o Vocabulário – Atividade de Leitura e Escrita

Tags: 3ªcre, alfabetização, leitura, escrita.

 

 

 

 

A Professora Flávia Rodrigues de Oliveira e sua Turminha, a 1201, encontraram, através do processo "Ampliando o Vocabulário", uma divertida maneira de (RE)descobrir/construir coletivamente a escrita de novos vocábulos. O trabalho deu tão certo que envolveu toda a Escola José Marti.

 

 

O processo é realizado ao longo do ano letivo toda vez que um fonema com maior dificuldade é identificado ou novo é lançado.

Na implementação do projeto, a professora definiu com a Coordenadora Pedagógica os seguintes objetivos:

1) Estimular a criatividade incentivando a escrita;
2) Trabalhar as dificuldades ortográficas de forma lúdica;
3) Desenvolver a estrutura da frase (iniciar com letra maiúscula, ponto final, evitar a repetição de palavras e conectividade).

 

 

1º) Na Roda de Leitura a escolha de um livro/história que possibilite a exploração dos fonemas a serem trabalhados (Além de outras questões como: autor, ilustrador, tema, editora e interpretação com informações explícitas e implícitas no texto). Neste dia a história escolhida foi: "No barraco do carrapato" e os fonemas RR e R (brando).

2º) A professora faz duas colunas e incentiva os alunos a falarem palavras com “RR e R brando” (as intervenções vão acontecendo naturalmente e de forma interativa).

3º) Os alunos constroem individualmente frases que devem conter uma palavra de cada coluna. Há algumas regrinhas para essas construções. São elas:
1- Não é permitido usar "é bonito" e "é do".
2- Uma vez usada a palavra ela não pode ser repetida em outra frase.

 

 

4º) Esgotadas todas as palavras, a professora coloca ao lado de cada frase uma cor, que será a legenda do gráfico. Inicia-se então a votação. Os alunos escolhem a frase que mais gostaram e cada um recebe um quadradinho em branco, devendo pintá-lo da cor correspondente a frase escolhida.

5º) A professora chama cada aluno e este cola o seu voto no gráfico(que vai sendo construído pelos alunos).

6º) Análise do gráfico. Com a exploração de tantos dados forem possíveis: qual a frase mais votada, qual a menos votada, qual a diferença da mais votada para a menos votada, teve empate, dentre outras.


 

7º) Os alunos copiam todas as frases no caderno.

8º) Outros desdobramentos: ilustrar as frases construídas (em dupla ou individualmente); Construir uma história (texto individual, em dupla, em grupo ou coletivo) a partir de uma das frases dentre outras.

Aí é com você, professor!!! O importante é começar. As ideias vão brotando, desabrochando. 

 

 

“...Com os vídeos da MultiRio que temos assistido em nossos Centro de Estudos, relatando experiências bem sucedidas e estudo de temas pedagógicos, as professoras têm se mostrado bastante satisfeitas e entusiasmadas em realizar algumas das atividades exibidas com suas turmas, fazendo as devidas adaptações e criando a partir do visionado...” Renata Dutra (CP da E. M. José Marti).

 

 

Localizada no bairro do Engenho da Rainha, a Escola Municipal 03.12.029 José Marti foi fundada em 04 de junho de 1964 e tem como missão “Proporcionar uma educação de qualidade aos alunos da E. M. José Marti, promovendo um trabalho cooperativo, oportunizando vivências e buscando práticas inovadoras que favoreçam o seu desenvolvimento integral”.

Sobre o patrono:

José Julián Martí Pérez, nascido em Havana no dia  28 de janeiro de 1853 e falecido em Dos Ríos, em 19 de maio de 1895, foi um político, pensador, jornalista, filósofo, poeta e maçom cubano. Foi organizador, em 1895 da Guerra Necessária. Seu pensamento transcendeu as fronteiras de sua Cuba natal para adquirir um caráter universal. Em seu país natal, também é conhecido como «El apóstol».

Em 1869, com apenas dezesseis anos, publicou a folha impressa separatista "El Diablo Cojuelo" e o primeiro e único número da revista "La Patria Libre". No mesmo ano, passou a distribuir um periódico manuscrito intitulado "El Siboney". Mais tarde, dedicou-se ao estudo do Direito, obtendo o doutorado em Leis, Filosofia e Letras da Universidade de Saragoça em 1874.

 


 

Parabéns à professora  Flávia Oliveira e toda a  Turminha 1.201 pelo excelente  trabalho de alfabetização que vem sendo feito. 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 07/07/2016

1º Arraiá da Adoção na Fazenda Modelo

Tags: adoção, animais, sepda.

 

 

 

 

O objetivo principal é a adoção dos animais abandonados na Cidade do Rio de Janeiro.

Todos os animais oferecidos no Arraiá da Adoção são vermifugados, esterilizados e microchipados, visando sempre o bem-estar animal.

 

 

No local a SEPDA - Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais oferece os seguintes serviços: agendamento de esterilização, adoção, vacinação e atendimento clínico.
 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 06/07/2016

Livros em Movimento

Tags: 2ªcre, literatura.

 

 

 

O projeto Livros em Movimento é uma parceria entre a Mídia Educação e as Salas de Leitura.

 

O relato que vamos conhecer hoje foi enviado pela professora Denise Senhora, regente da Sala de Leitura da Escola Georg Pfisterer. Ela nos conta como o projeto foi realizado na unidade escolar e sua contribuição para que os alunos adquiram gosto pela leitura.


O Projeto Livros em Movimento é um Projeto da Mídia e Educação, e como o próprio nome diz, o objetivo é levar os livros para o maior número possível de Salas de Leitura, criando um movimento de leitura criativo e lúdico para os alunos. A escola que recebe a sacola pode ficar com a mesma por um mês e escolher a atividade que pretende realizar, depois de realizada a atividade, ela seguirá para outra unidade escolar, criando assim um movimento contínuo de leitura.

 

Iniciando o Projeto com a leitura de um Conto de Fadas escolhido pelo aluno.

 

O livro escolhido pela Sala de Leitura Polo Georg Pfisterer foi Contos de Fadas, de Ana Maria Machado. Neste livro a autora faz uma coletânea de vários autores clássicos de contos de fadas e seus contos mais conhecidos, dentre eles: Charles Perrault, Hans Christian Andersen e Irmãos Grimm.


O trabalho foi realizado usando as técnicas de Roda de Leitura e Roda de Conversa  com a participação dos professores de Língua Portuguesa nas turmas de 7, 8º e 9º anos.

 

Parceria com os Professores de Língua Portuguesa.


A roda de leitura se iniciou com o esclarecimento do que seria feito. Os alunos conversaram sobre a origem dos contos de fada e sobre os “autores”. Foi perguntado aos alunos se eles tinham lembranças de alguém que lia histórias para eles em casa. As turmas se encantaram com a proposta da leitura dos contos. Os livros foram distribuídos e o objetivo era que escolhessem um conto para ser lido individualmente e em silêncio que , aliás, foi total. Após a leitura, a proposta era que falassem do conto lido, a maioria contou sua história e no decorrer dessa conversa foi verificado que alguns alunos não conheciam o conto, outros, uma versão diferente e também dos desdobramentos que os contos tiveram atualmente, como filme e animações. O professor de Língua Portuguesa pediu que os alunos, ao relatarem seus contos, gravassem em áudio nos celulares para verem a diferença entre a linguagem oral e escrita.

 

Roda de conversa sobre o conto lido e utilização do celular para a gravação da fala, que depois será escrita e entregue para o professor.

 

Numa outra turma a conversa girou entre as diferenças das versões dos contos de fadas. No depoimento dos alunos percebe-se o estranhamento diante da versão do livro e para eles a visão que tinham dos contos de fada mudou. Antes achavam que tudo era “lindo” e agora viram que as histórias originais nada tinham de bucólico. Entenderam que essas histórias eram de um tempo que o estágio da infância não era considerado.


Interessante perceber que alguns alunos só conhecem a versão da Disney (Cinderela), segundo comentários dos próprios alunos.

 

Nas turmas de 9º ano o começo da conversa foi sobre a origem dos contos de fada, as características principais e os elementos dos contos. Os livros foram distribuídos para que olhassem o sumário, verificando os autores e os contos que cada um escreveu e que escolhessem um para ler.

 

Alunos participando da atividade.

 

Após a leitura, a roda de conversa girou em torno do conhecimento que tinham dessas histórias e suas versões. Posteriormente leram um trecho da história, além de a contarem para os colegas. Nessa turma, o professor de Língua Portuguesa também pediu para que gravassem a fala para depois transcrever para a linguagem escrita, percebendo a diferença entre uma linguagem e outra.

 

Agradecemos a professora Denise Senhora e aos professores participantes do projeto por compartilharem conosco esta rica experiência de incentivo ao gosto pela leitura.
 

O contato da unidade escolar é: empfisterer@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share