A A A C
email
Retornando 100 resultados para o mês de 'Setembro de 2012'

Sexta-feira, 21/09/2012

III Mostra Regional do Projeto Ciência Hoje

Tags: 8ªcre.

 

 

No dia 13 de setembro aconteceu a III Mostra Regional do Projeto  Ciência Hoje.

As escolas da 8ª Coordenadoria de Educação que participam do projeto, estiveram na Lona Cultural Hermeto Pascoal, em Bangu, para apresentarem os experimentos feitos pelos alunos. 

 

 

 

 

 

 Alunos explicando os precessos da experiências

 

 

O Projeto Ciência Hoje é desenvolvido nas escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Este projeto tem o objetivo de despertar os alunos para o saber científico.

As turmas de 5º ano e Projeto de Realfabetização recebem uma revista para cada aluno.

Os professores passam por capacitação e durante o ano letivo planejam suas atividades inserindo propostas da Revista Ciência Hoje.

A Revista Ciência Hoje traz experimentos que estimulam os alunos a descobrirem e a chegarem por si mesmos aos conceitos científicos mais importantes.

 

 

 

 Diversas experiências e demonstrações das escolas da 8ª Coordenadoria de Educação

 

 

 

No dia 13 de setembro, na Lona Cultural Hermeto Pascoal, em Bangu, as escolas da 8ª Coordenadoria de Educação participaram da III Mostra Regional do Projeto Ciência Hoje.

Na Mostra, as escolas apresentaram os experimentos que foram realizados a partir de sugestões da Revista Ciência Hoje.

Um breve passeio pela exposição era suficiente para perceber o quanto os alunos se envolveram com as atividades.

Os alunos explicavam como foi feita a experiência e quais os conceitos que foram aprendidos.

 

 

 

 

 

 

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino."

                                                         Paulo Freire

 

 

 

Diferentes assuntos como a formação do arco-íris, o sistema solar, o efeito do lixo no ambiente e o processo da cárie nos dentes foram  trabalhados nas escolas e expostos na Lona Cultural.

O Projeto Ciência Hoje tem o objetivo de estimular a curiosidade e o saber científico, através de experiências práticas e atividades lúdicas nas salas de aula.

Além das turmas do 5º ano e dos projetos de Realfabetização, todas as escolas recebem exemplares da revista para a Sala de Leitura. Assim, todos os professores podem ter acesso ao material e desenvolver as experiências na sala de aula.

 

 

 As escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro preparam os futuros cientistas do nosso país!

 

 

O Rioeduca parabeniza todas as escolas que participaram da III Mostra Regional do Projeto Ciência Hoje da 8ª Coordenadoria de Educação.

 

 

Professor, você desenvolve algum projeto usando a Revista Ciência Hoje?

Entre em contato com o representante de sua CRE e compartilhe suas experiências!

 

 

Meus Contatos:

Email: neildasilva@rioeduca.net

Twitter: Prof_Neilda

 

 

 

 

                                       

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 21/09/2012

Protagonismo Tirando a Droga de Cena

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, saúde, blogsderioeducadores.

 

Tornar o aluno sujeito de sua própria aprendizagem é o objetivo de todo professor. A professora Joice Pinter colocou seus alunos para construir conhecimento para toda a comunidade escolar da Escola Municipal Levy Neves, da 3ª CRE.

 

 

O blog faz parte das aulas de língua portuguesa da turma 1801. Lá, a professora registra informações relevantes ao planejamento de cada aula como já vimos no post Escrevinhar pra Valer – Prof.ª Joice Pinter. Foi lá que ela registrou a paródia de marchinha de Carnaval que agora será retomada.

Frequentando o curso sobre Prevenção à Dependência Química, na 3ª CRE, ela resolveu inscrever-se no Concurso Tirando a Droga de Cena. A proposta foi apresentada aos alunos no post Tirando a Droga de Cena: Que Tal Fazermos um Vídeo ?

 

 

 

 

 

 

 

Ela apresentou outros vídeos vencedores para exemplificar. A marchinha O Crack não é Bom, produzida em fevereiro, foi escolhida com fio condutor do vídeo. Segundo a professora: “ O vídeo trata das músicas de carnaval que insinuam direta ou indiretamente o uso de drogas como álcool, lança -perfume, além de posturas de embriaguez encaradas naturalmente como brincadeiras típicas de carnaval.

Os textos, interpretados pelos alunos no vídeo, questionam essas músicas e posturas, problematizando o tema em questão. A criação de uma marchinha seria a proposta de alertar os jovens dos perigos da utilização das drogas .

Ao final, a série de imagens deixa um recado para aquele menino da comunidade, que solta pipa e ainda não tem ideia do perigo das drogas em sua vida “ Ei, você aí, não fume isso aí!”. Em seguida, as imagens abordam o triste retrato dos jovens zumbis destruídos pelo crack, abandonados pelas ruas em sono profundo e sendo detidos por agentes públicos nas cracolâncias, deixando em destaque a mensagem final: O crack não é bom.”

 

 

 

 

 

 

 

 

O vídeo foi roteirizado e produzido em conjunto. As dependências da escola e entorno serviram de cenário. O resultado é uma colagem de imagens e diferentes linguagens utilizadas para expressar seus pensamentos e refletir sobre temas importantes como o uso de entorpecentes. Apesar dos poucos recursos audiovisuais, a mensagem é bastante clara. A droga não deve fazer parte do teatro da vida.

 

 

 

 

 

 


Confiram este e outros projetos e atividades das turmas da professora Joice Pinter em seu blog Escrevinhar pra Valer. A barra lateral contém várias sugestões de atividades, textos e jogos. Não percam!

 

 

 

 

 

 

Imagens e textos retirados do blog ou enviados pela professora via e-mail

 

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 21/09/2012

Comitê de Gênero

Tags: 10ªcre, extensividade, comitê, de, gênero.

 

Na segunda-feira, 17 de setembro de 2012, o auditório da 10ª Coordenadoria Regional de Educação esteve lotado. Foi lá que aconteceu a apresentação do Comitê de Gênero, para professores, diretores, diretores adjuntos e coordenadores pedagógicos das escolas das regiões administrativas de Santa Cruz, de Sepetiba e de Guaratiba.

 

 

 O evento foi planejado e organizado pela Gerência de Educação da 10ª CRE  e contou com a participação das professoras Elvira Lúcia e Renata D’Acri, vindas do nível central da SME Rio, que fizeram a apresentação do Comitê de Gênero, falando sobre a trajetória, ações e projetos que estão sendo previstos para os próximos anos.

 


O encontro, voltado principalmente para os coordenadores pedagógicos, contou também com a presença de diretores, diretores adjuntos, professores e representantes dos diversos setores da 10ª CRE.

 


 Além dos professores participantes ficarem conhecendo em pormenores, o Comitê de Gênero, tiveram a oportunidade de acompanhar a palestra feita pelo odontólogo Dr. Jarbas, do Programa Saúde na Escola (PSE), que falou sobre sexualidade e apresentou os vídeos: “Era uma vez outra Maria” e “Minha vida de João”, para ilustrar a sua exposição e caracterizar o quanto é urgente refletirmos sobre a equidade de gênero.

 

 

Clique nos links abaixo e veja os vídeos
“Era uma vez outra Maria”

http://www.youtube.com/watch?v=BxMLYl_ANrA 

 

Minha vida de João - Parte 1
http://migre.me/aL03Q


Minha Vida de João - Parte 2
http://migre.me/aL0f3
 

 


 Vendo cada um dos vídeos e analisando o significado da palavra “equidade”, chegamos à conclusão que equidade não é o mesmo que igualdade, mas sim a virtude daqueles que manifestam senso de justiça, imparcialidade e respeito à igualdade de direitos.

 


Ouvindo as palavras das professoras Elvira Lúcia e Renata D’Acri, principalmente quando fizeram comentários sobre a questão da gravidez na adolescência, fato cada vez mais comum entre jovens alunas das escolas da rede municipal do Rio de Janeiro, chegamos à conclusão de que precisamos, como educadores, agir com rapidez, e ao mesmo tempo com muita sensibilidade e compreensão para que nossas meninas não deixem de continuar estudando, planejando suas vidas, e sonhando com um mundo melhor.

 

 

 


Neste sentido, o Comitê de Gênero, que é uma das inúmeras iniciativas da Extensividade da SME Rio, vem atuando e promovendo ações, sempre visando colaborar com a melhoria do desempenho dos alunos e sua permanência na escola, mesmo em situação de gravidez precoce.

 


Recentemente, a Extensividade da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, promoveu um seminário para a troca de experiências sobre o tema “Gravidez... é uma questão de escolha?”, conforme relataram as professoras Elvira e Renata, na palestra realizada na 10ª CRE.

 


Ao falar sobre sexualidade, o Dr. Jarbas sugeriu várias atividades e dinâmicas que podem ser aplicadas aos adolescentes em sala de aula, chamando a atenção para a necessidade de parceria das escolas com os postos de saúde, clínicas da família e outras unidades da Secretaria Municipal de Saúde, principalmente para orientar e acompanhar de perto as alunas grávidas.

 


 O encontro dos professores da 10ª CRE com as representantes do Comitê de Gênero serviu para lembrar o compromisso da igualdade entre mulheres e homens, conforme está previsto na Constituição Federal de 1988, mas, principalmente, para reafirmar que o respeito à igualdade de direito, independe da lei, e deveria acontecer pelo próprio sentimento de cada um.

 


 Na sua fala de encerramento e de agradecimentos, a professora Rosa Lúcia Raimundo, gerente da GED da 10ª CRE, ressaltou a importância daquele encontro, com especial motivo de parcerias, intercâmbio de experiências e somatório de conhecimentos pedagógicos, sempre em benefício dos alunos.

 

 

 

 

 

Na foto acima a professora Renata D'Acri, do nível central da SME Rio, na palestra de apresentação do Comitê de Gênero para diretores, coordenadores pedagógicos e professores da 10ª CRE.

 

 

Contatos: Sinvaldo do Nascimento Souza, professor representante da 10ª Coordenadoria Regional de Educação (10ª CRE) –  Twitter @SinvaldoNSouza
E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 20/09/2012

Aprendendo a gostar de ler na E. M. Professora Sonia Mota Molisani

Tags: 10ªcre, educação, infantil, riodeleitores, patrono.

 

Roda de leitores, hora do conto, empréstimo de livros, pesquisa para complementação das tarefas escolares, dramatização de textos literários e teatro de fantoches são algumas das inúmeras atividades desenvolvidas na Sala de Leitura Professora Edna de Medeiros, da E. M. Sônia Mota Molisani.

 

 

A Escola Municipal Professora Sônia Mota Molisani está situada na Estrada de Santa Eugênia, bem no centro da localidade conhecida como Sete de Abril, no bairro de Paciência, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

 


É um dos logradouros mais movimentados do bairro, tendo, em sua área de entorno, a Igreja Católica Jesus Salvador do Mundo, a Creche Municipal Adalto Bastos, o Posto de Saúde Dr. João Batista Chagas e a Clínica da Família Dr. Lourenço de Melo, além de intenso comércio.

 

 

 


O prédio é do tipo “Lelé” e a E. M. Sonia Molisani foi inaugurada em 1991, na administração do prefeito Marcello Nunes de Alencar, tendo como secretária de Educação a professora Mariléa da Cruz.

 


É um espaço bonito, simpático, bem arborizado e acolhedor. Há murais produzidos com muito carinho e arte, tanto nas áreas de circulação como no interior das salas.

 


Há registro fotográfico de algumas atividades realizadas na escola e preocupação constante com a limpeza e manutenção do aprazível jardim interno, onde as crianças costumam se reunir para brincar no parquinho, e os professores aproveitam o pouco tempo livre dos intervalos, para o bate-papo amigo e troca de ideias sobre as atividades pedagógicas do dia a dia.

 

 

 

 

 


A equipe da direção da escola, composta pelas professoras Valéria Cristina, diretora; Sandra Rita, diretora adjunta e Laudemira, coordenadora pedagógica, bem como a professora Rosângela Trindade estão na unidade escolar desde a sua inauguração, há mais de vinte anos.

 


O texto do Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Professora Sonia Mota Molisani, que se propõe a trabalhar a partir de um novo conceito de ensino, começa falando sobre a importância da participação de todos e do significado do trabalho em equipe, cada um contribuindo com a sua individualidade em benefício de todos.

 


Conversando com a diretora Valéria Cristina, durante a minha visita feita para a postagem do Rioeduca, e acompanhando o trabalho dos professores em sala de aula, pude ver um pouco do compromisso dos profissionais na crença da responsabilidade social da educação.

 


Valéria também fez questão de frisar a preocupação de todos com o desejo da inovação, ressaltando a prerrogativa da unidade escolar na construção de um Projeto Político Pedagógico em consonância com as necessidades e anseios da comunidade escolar.

 


A E. M. Professora Sonia Molisani funcionar em dois turnos, com início às 7h e 15 minutos da manhã e encerramento às 17h e 45 minutos da tarde, com 920 alunos matriculados, em turmas da Educação Infantil ao 5º ano.

 


A escola também possui alunos participantes do Projeto Nenhuma Criança a Menos, que tem proporcionado ajuda inestimável aos alunos que ainda precisam de aulas de reforço escolar, com a ajuda da estagiária Kátia e da voluntária Andréia.

 

 

 

 


 

 

Falando sobre o seu trabalho na Sala de Leitura, a professora regente Roberta da Silva Pereira, começou explicando a origem da denominação, em homenagem póstuma feita à professora Edna de Medeiros, que deu aulas na E. M Sonia Molisani.

 

 

 

 

 

 

 Clique no link ouça e veja o depoimento da diretora Valéria Cristina, da coordenadora pedagógica Laudemira e da professora regente da Sala de Leitura, Roberta, sobre a Escola Municipal Sonia Mota Molisani e seus projetos.
http://youtu.be/tLCNN2uk_L0
 


Roberta lembrou que a sala de leitura é o lugar onde o aluno aprende a gostar de ler, onde tem contato com os livros e se encanta com as histórias lidas e ouvidas, sendo, portando, um espaço destinado à formação de leitores que interpretam e reinterpretam a realidade na construção diária do presente e das experiências que servirão de base para o futuro.

 


De forma resumida, o que se pretende com o trabalho em execução na Sala de Leitura Professora Edna de Medeiros, é motivar o aluno da Escola Municipal Sonia Molisani para uma leitura prazerosa, para que ele possa desenvolver suas potencialidades criativas e venha a se tornar um cidadão formador de opinião, sempre capaz de interagir no contexto social.

 


Como faz parte da Escola Municipal Sonia Mota Molisani desde a sua fundação, a diretora Valéria Cristina conhece muito bem a comunidade escolar, seus professores, funcionários, pais e responsáveis pelos alunos ali matriculados e também o bairro de Paciência, onde a escola está localizada.

 


Valéria descreve cada recanto do bairro, aponta as suas características e define aproximadamente o quantitativo de alunos matriculados na E.M Sonia Molisani, que recebe crianças de diversas partes do bairro de Paciência.

 


Um dos orgulhos da diretora é a da participação da Escola Professora Sonia Mota Molisani no desfile da Semana da Pátria, no bairro de Paciência.

 


Segundo Valéria Cristina, a escola vem abrilhantando os desfiles há muitos anos. A participação é quase total, segundo declarou a diretora, que fez questão de apresentar alguns dos professores responsáveis pelos ensaios dos alunos que estarão desfilando, participando do Pelotão da Bandeira e apresentando uma coreografia especial, que neste ano estará prestando homenagem ao centenário de nascimento de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

 

 

 

 

 

 

 


Outro motivo de orgulho da diretora da E. M Professora Sonia Mota Molisani é o trabalho de integração de alunos que apresentam algum tipo de problema físico, necessitando de equipamentos para locomoção, como cadeira de rodas, ou anomalias que provocam o retardamento na aprendizagem. Todos estão muito bem integrados no ambiente escolar e têm apresentado resultados favoráveis quanto ao aprendizado, segundo declarou a diretora.
Percorrendo as salas pude constatar dois casos exemplares: o primeiro do aluno Kaíque, muito bem integrado à turma 1201, onde participa de todas as atividades com os seus colegas e o segundo da aluna Maryanne, cinco anos, que está integrada à turma EI 21, e vem sempre acompanhada pela mãe, Jeane.

 

 

 

 

 

 


A Escola Municipal Professora Sonia Mota Molisani tem um papel de destaque na comunidade do Sete de Abril, no bairro de Paciência, e vem fazendo parceria com os postos de saúde e com outras instâncias do bairro, nas campanhas de combate ao mosquito da dengue, atendimento médico e odontológico e desempenho na preservação do meio ambiente.

 

 


Acreditando na possibilidade de modificar o conceito de ensino, objetivando construir uma escola em permanente diálogo com a comunidade onde se encontra inserida, a equipe da direção, professores e funcionários da E.M Sonia Molisani investem cada vez mais nas atividades de incentivo à leitura tendo como meta primordial a educação de qualidade.

 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share