A A A C
email
Retornando 45 resultados para o mês de 'Setembro de 2013'

Quinta-feira, 26/09/2013

Conhecendo a Arte Através de Histórias

Tags: 9ªcre, blogdeescola, riodeleitores.

Conhecendo a Arte Através de Histórias é um projeto desenvolvido pela professora Renata Pinto de Azeredo Porto, da E. M. Atenas, 9ª CRE, com a turma 1.203, a partir da perspectiva sociocultural da arte brasileira. Esse foi o ponto de partida para contar a história "Tarsila e o Papagaio Juvenal".

 

 

O livro conta a história de Juvenal, uma ave bem divertida que gosta de frutas. Após a contação, houve uma conversa informal sobre a história, em que foi mostrada a ilustração do quadro "O Vendedor de Frutas”, pintado por Tarsila do Amaral.

 

 

 

Falou-se sobre as curiosidades do quadro e um pouco da vida e obra da artista com o intuito de despertar nos alunos o gosto pela arte e pelas histórias, aguçando a imaginação e inserindo-os na formação de pequenos leitores e apreciadores de todas as expressões artísticas.


A partir desse momento pleno de comunicação, troca de experiências e ludicidade, permeado pela curiosidade, foi proposto que a turma fizesse uma releitura do quadro "O Vendedor de Frutas", em que teriam que se retratar na pintura.

 

 

Dessa forma, foram surgindo várias "telas". Os alunos se mostraram bastante participativos e ao final foi confeccionado um cartaz para que todos pudessem admirar tanto o seu trabalho quanto os dos demais.

 

 

Conhecendo um pouco mais...


Tarsila do Amaral nasceu no dia 1º de setembro de 1886, no município de Capivari, em São Paulo. Filha do fazendeiro José Estanislau do Amaral e de Lydia Dias de Aguiar do Amaral, passou sua infância na fazenda.


Amava viver na fazenda, seu país, as festas, os amigos, desenhar e pintar o que via e imaginava. "O Vendedor de Frutas", datado de 1925, remete-nos para um mundo lírico do país tropical abundante em frutos e paisagens amenas. O pequeno barco que atravessa o oceano está repleto de símbolos, como os frutos da terra, sinal de abundância de um imenso país banhado pelas luzes dos trópicos. O personagem retratado em primeiro plano, com seu grande chapéu, é o símbolo do trabalho do campo. Em sua forma e cor faz rima com os abacaxis e as laranjas.


Esse quadro faz uma síntese do Brasil que inclui a agricultura, a religião (com a igreja atrás, em plano de fundo), a paisagem litorânea representada pelos coqueiros e o mar, a luz intensa, o trabalhador e o papagaio, todos símbolos do tropicalismo.

 

Professora Renata e a turma 1.203.
 

Parabéns, professora Renata pela sua iniciativa de trabalhar a arte através da leitura. E à equipe da E. M. Atenas por manter o blog da escola sempre atualizado, fazendo assim com que tenhamos a chance de compartilhar suas atividades.

 

Conheça o Blog da E. M. Atenas

 

Profª Márcia Cristina Alves, Representante da 9ª CRE
 E-mail: marciacerqueira@rioeduca.net
 Twitter: @marciacrisalves

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 26/09/2013

Alfa e Beto no Mundo dos Livros

Tags: 4ªcre.

 

Ir à Bienal significa fazer desse local uma extensão da sala de aula. E as crianças não hesitam em contar suas experiências sobre a visita. Pois lá elas entendem a importância desse ambiente e o quanto ele desperta a imaginação e a vontade de aprender.

 

"(...) quando a escola promove o letramento, ela está, na verdade, promovendo a inclusão social e dando ao aluno condição para o pleno exercício da sua cidadania. O letramento se torna, nesse contexto, uma 'questão de vida'” (BOZZA, 2005, p. 249) 

 

Visitas a espaços que promovem o letramento estão em perfeita harmonia com a proposta do do projeto Alfa e Beto. Segundo o texto extraído do Manual de Orientação da Pré-escola (p. 23), a essência da proposta pedagógica do Instituto Alfa e Beto repousa no conceito de aprender brincando e brincar aprendendo. Defendemos que toda interação pode levar à aprendizagem. E que quanto mais séria, mais lúdica e exploradora for a proposta, mais ampla será sua intervenção.

 

 

Alunos da Escola Municipal Suíça em visita à Bienal.

 

Alunos do Projeto ALFA e BETO vão à BIENAL

 

As turmas 1101 e 1102, que fazem parte do projeto Alfa e Beto foram à XVI Bienal do Livro 2013.


Para que as turmas fossem à Bienal, foi desenvolvido o projeto Alfa e Beto vai à Bienal. O intuito da Professora Fernanda Moreira não seria levá-los apenas como um passeio, mas que houvesse um significado concreto para os alunos.

 

Turma de 1º ano da professora Fernanda Moreira.

 

No primeiro momento, o projeto Alfa e Beto vai à Bienal partiu da leitura que é feita diariamente na aula, onde professor e alunos fazem leitura compartilhada tanto de livros que fazem parte do Programa como de outros livros paradidáticos.
No mês de agosto, inspirados nas lendas folclóricas, os alunos fizeram a recontagem da história do Saci Pererê junto com as Professoras da Sala de Leitura Sicília e Viviane.

 

Turma de 1º ano na Escola Municipal Suíça.

 

As turmas fizeram uma produção coletiva de forma divertida dando origem a um minilivro, sendo reproduzido em quantidade para que fossem distribuídos por cada aluno das turmas aos demais alunos da escola.

 

Alunos do 1º ano em atividade de produção coletiva.


Segundo a professora, é importante mostrar o que a leitura possibilita, que o aluno vá muito além da diversão, dando possibilidade de utilizá-la como elemento de criação e produção de novos textos.

Texto enviado pela Professora Fátima Barros - Gestora da Unidade Escolar 

 

De acordo com essa proposta de ensino, a aprendizagem do código está permeada pelas práticas sociais de utilização da escrita. Dessa forma, a leitura e a escrita se enchem de sentido e significado a partir de suas diferentes finalidades no contexto social. Afinal, numa sociedade letrada, não basta apenas aprender a ler e a escrever. É preciso praticar socialmente a leitura e a escrita, compreendendo as finalidades decorrentes nos diversos contextos de letramento. 

 

"A escrita é importante na escola, porque é importante fora dela e não o contrário." Emilia Ferreiro (2001)

 

 Professor, queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola. Aproveite este espaço que é feito para nós!

 

Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe

 


Professora Ana Accioly
 Representante Rioeduca.net da 4ª Coordenadoria Regional de Educação
anaaccioly@rioeduca.net
Twitter: @Ana_Acioly

 

COMPARTILHE E COMENTE!

 

                              

 

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (1)

Quarta-feira, 25/09/2013

A Música está no ar do EDI Dona Lindu

Tags: 3ªcre, blogdasescolas, educaçãoinfantil.

A linguagem musical é um excelente meio para o desenvolvimento da expressão, do equilíbrio, da autoestima e do autoconhecimento, além de poderoso meio de integração social. O EDI Dona Lindu aposta nisso para desenvolver seus projetos em 2013.

 

O Espaço de Desenvolvimento Dona Lindu proporciona o convívio com diversos ritmos musicais para sua comunidade escolar. Assim, desenvolve, através da música, um cidadão integral, em que o conhecimento é construído de forma significativa e prazerosa.


No Referencial Nacional da Educação Infantil (Volume 3) existe um capítulo que contempla a música como essencial ao desenvolvimento do zero aos seis anos. É nessa fase que a criança está desenvolvendo a percepção da sua identidade e do seu corpo no espaço.

 

http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume3.pdf.


“A música está presente em diversas situações da vida humana. Existe música para adormecer, música para dançar, para chorar os mortos, para conclamar o povo a lutar, o que remonta à sua função ritualística. Presente na vida diária de alguns povos, ainda hoje é tocada e dançada por todos, seguindo costumes que respeitam as festividades e os momentos próprios a cada manifestação musical. Nesses contextos, as crianças entram em contato com a cultura musical desde muito cedo e assim começam a aprender suas tradições musicais.” (RCNEI, p. 45)

 

Com a música, pode ser desenvolvida a linguagem oral e corporal. Além de ser uma ferramenta de interação e de comunicação, uma vez que já habita a vida da criança desde muito cedo. A Creche aproveita a alegria e o interesse que são explorados na música para criar um ambiente de aprendizagem divertido.

 

Com a apresentação de Zé Mathias e Trio Xodó, as crianças tiveram o contato com o ritmo do forró, conheceram os instrumentos que fazem parte dessa música, que são: triângulo, sanfona e zabumba. E se divertiram muito conhecendo a cultura nordestina e suas influências.

 

 

O chorinho, que surgiu da mistura de ritmos europeus, também faz parte da nossa cultura. As crianças adoraram conhecer esse ritmo em uma tarde incrível com uma apresentação, muita tranquilidade e alegria. 

 

Elas demonstraram curiosidade, exploraram os instrumentos e o ritmo, aprovando e construindo uma nova experiência que levarão para sua bagagem de aprendizagens significativas.

 


A equipe do EDI Dona Lindu utiliza-se da música em diversos momentos de aprendizagem. A expressão corporal e a linguagem das crianças são desenvolvidas desde muito cedo por suas educadoras através das coreografias e interpretações agregadas às musicas cantadas em sala de aula.

 


O blog do EDI é mais um prova que a música está no ar neste lugar. Visitem e comprovem!

Clique na Imagem

http://edidonalindu.blogspot.com.br/.

 

Parabéns para todos da equipe do EDI Dona Lindu!!
 

Escolas e professores, não deixem de compartilhar atividades ou projetos no nosso Portal Rioeduca. Procure o representante de sua CRE!!
Clique aqui para conhecer seu representante
.
 


Profª Elidia Correia

Representante 3ªCRE no Rioeduca

elidiacorreia@rioeduca.net

Twitter:  @ElidiaCorreia

Facebook: Elidia Correia  e  Grupo Rioeduca/3ª CRE

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 25/09/2013

Vinícius de Moraes em Canto e Versos no CIEP Gilberto Freyre

Tags: 8ªcre.

O CIEP Gilberto Freyre comemora o centenário de Vinícius de Moraes com um belo trabalho sobre os versos e as músicas do grande compositor. As atividades realizadas pelos alunos encheram a escola de beleza, arte e poesia! 

 

 

 

A educação é o maior e melhor instrumento gestor de mudança. Através dela, o homem consegue compreender melhor a si mesmo e o mundo em que vive.

 

O PEJA (Programa de Educação de Jovens e Adultos) foi criado para viabilizar o retorno de quem precisou interromper sua vida escolar e, agora, necessita recuperar o tempo perdido e alcançar a certificação.

 

Enquanto esses jovens e adultos buscam a conclusão dos estudos nas turmas do PEJA,  também compartilham experiências muito enriquecedoras, que contribuem para a sua formação geral.

 

 

Durante três meses, o projeto "CIEP Gilberto Freyre Canta e Versa Vinícius" selecionou diferentes trabalhos sobre o compositor. Os alunos do PEJA demonstraram muito talento para as produções artísticas com o tema do centenário de Vinícius de Moraes.

  

Painéis, caricaturas, paródias e até um coral foi apresentado na culminância do projeto, que aconteceu em julho. A participação dos alunos foi empolgante! O clima poético era percebido por todos que transitaram pelos corredores da escola. Alguns poemas e músicas eram já conhecidos por alguns, porém um grupo de alunos se deparou pela primeira vez com a genialidade do Poetinha e não foi difícil se encantar.

 

 

"Nossos alunos moram num local deflagrado, são carentes de muita coisa, porém são atenciosos, alegres e respeitosos. Acreditam na ascensão pela educação, por isso são concentrados, dedicados e comprometidos. Nos valorizam bastante (...). Tentamos usar dinamismo nas aulas, pois queremos o melhor para cada um deles. A todo tempo os conscientizamos que eles podem chegar onde quiserem, é só uma questão de tempo. Eles são maravilhosos!"

 

                    Trecho enviado em nome dos professores do PEJA do CIEP Gilberto Freyre.

 

 

"Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar

Ai, que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar!"  

 

"Quem canta seus males espanta" é um dito popular muito conhecido. Mas cantar também é uma forma de expressão que mexe profundamente com as nossas emoções.

 

O PEJA do CIEP Gilberto Freyre se emocionou e encantou quem assistiu à apresentação de algumas canções de Vinícius de Moraes na culminância do projeto. Esse projeto ficará na memória de todos os seus participantes!

 

 

"Foi um maravilhoso trabalho desenvolvido por aproximadamente três meses. Empenho, dedicação, responsabilidade, disposição e, acima de tudo, compromisso de professores, direção e alunos. Essa é a marca do CIEP Gilberto Freyre!"

                                                                          Professora do Peja Angela da Cruz Paula  

 

O Rioeduca parabeniza toda a equipe do CIEP Gilberto Freyre e, principalmente, reconhece a importância do alunos do PEJA para o sucesso de todas as ações nesse evento!

 

Assista ao vídeo abaixo, que expõe mais detalhes sobre o projeto:

 

 

Queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola!

Procure o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe!

 

Professora Neilda Silva

 Representante Rioeduca da 8ª Coordenadoria Regional de Educação

neildasilva@rioeduca.net

Twitter: @Prof_Neilda

 

COMPARTILHE E COMENTE!

 

                              

 

 

 


   
           



Yammer Share