A A A C
email
Retornando 25 resultados para o mês de 'Setembro de 2016'

Terça-feira, 27/09/2016

Campo de São Cristóvão a Pé: a Cada Passo, Uma Nova Descoberta

Tags: 1ªcre, projetos.

 

 

 

 

Projeto de Geografia ajuda a desenvolver nos alunos sentimento de pertencimento.

 

O projeto "Campo de São Cristóvão a pé: a cada passo, uma nova descoberta" foi realizado pelos alunos do 6°ano da Escola Municipal Gonçalves Dias, localizada em São Cristóvão e considerada a escola mais antiga em atividade de toda rede. Fundada em 1872, a escola atende hoje turmas do 6º ao 9º Ano do Enisno Fundamental, além do Programa de Educação de Jovens e Adultos, funcionando em 3 turnos.

O projeto fez parte da disciplina de Geografia e foi coordenado pelo professor Bruno Guimarães Carvalho. Neste trabalho, durante os meses de maio e junho, os alunos percorreram o Campo de São Cristóvão a partir da visitação de 3 pontos, a saber: Centro Cultural Maçônico, Museu de Astronomia e Paróquia de São Cristóvão.

 

 

Todo percurso foi uma tentativa de colocar em prática os conceitos de transformação da paisagem, representação cartográfica e orientação no espaço geográfico. Além disso, os alunos entraram em contato com a História de um espaço frequentemente vivido, mas pouco conhecido.

 

 

Um dos grandes objetivos deste trabalho foi o de incrementar a prática espacial dos alunos a partir da potencialização do grau de pertencimento do estudante com seu bairro. Para isso, nada melhor que percorrer e reconhecer os conteúdos tratados em sala no mundo real.

 

 

Como conclusão dessa visitação, os alunos construíram um "mapa vivo" do Campo de São Cristóvão na quadra da escola. Isto como tentativa de simular o trajeto vivenciado e inserir, durante a Mostra pedagógica da escola, o público dentro do mapa. Além disso, seguindo a estratégia de fortalecimento da identidade do público com seu espaço, foram escolhidos quatro alunos-guia que apresentaram os fatos relevantes da História da E.M. Gonçalves Dias.

 

 

Segundo a aluna Ana Clara Corrêa da turma 1604, "o melhor do projeto foi poder aprender o que jamais conseguiria dentro de sala". Já para a aluna Thamires Lopes da turma 1601 "foi importante conhecer lugares do próprio bairro para assim viver melhor nele".

 

Alunos monitores

 

"Campo de São Cristóvão a pé" foi um projeto enriquecedor tanto em seu planejamento, quanto em sua culminância, pois colocou em destaque a importância de se aperfeiçoar a experiência daquilo que já conhecemos como ferramenta para se atingir uma melhor convivência com os espaços e lugares frequentemente vividos.

 

E. M. Gonçalves Dias na Mídia: CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA LER A MATÉRIA

 

 

 

Para Saber Mais:

Escola Municipal Gonçalves Dias

Campo de São Cristóvão, 115 - São Cristóvão

Telefone: 3895-8630 E-mail: emgdias@rioeduca.net

Direção: Fabíola Daniele da Silva

Direção-Adjunta: Sandra de Oliveira

Professor Responsável pelo Projeto: Bruno Guimarães Carvalho

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 26/09/2016

Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

Tags: 5ªcre.

 


   


 Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

 

“A questão que se coloca é a importância de se entender a relação cultura e educação. De um lado está a educação e do outro a ideia de cultura como lugar, a fonte de que se nutre o processo educacional para formar pessoas, para formar consciência”.

(TRINDADE, 2000, p. 17)
   

A Escola Municipal (05.14.015) Barcelona em parceria com a Biblioteca Popular de Irajá João do Rio e o Projeto do grupo Mosaicos, através da Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro, desenvolveu com os alunos diferentes atividades culturais em um trabalho de excelência, proporcionando-lhes um enriquecimento enquanto educandos, cidadãos e sujeitos de múltiplas habilidades artísticas, que são estimuladas e descobertas nas respectivas oficinas.

 

Todas as quintas-feiras, os alunos da E. M. Barcelona vão à Biblioteca Popular de Irajá caminhando, acompanhados dos professores da escola, para participarem de atividades desenvolvidas pelo grupo Mosaicos. No mês de julho de 2016, foram feitas as seguintes oficinas, em três quintas-feiras diferentes: Batalha de Rap, Contação de Histórias e Teatro Interativo sobre Jogos Olímpicos.

 

 

Na biblioteca, os alunos são recebidos por um grupo formado por artistas que vão desenvolver várias oficinas culturais com os mesmos.

Acontece na Biblioteca Popular de Irajá - João do Rio - o projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida, com oficinas de artes, sessões de histórias, saraus de música e poesia, entre outras atividades culturais.


O evento, que vai até setembro com encontros semanais e programação gratuita, faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica e realizará sessões especiais de histórias sobre os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. O “Mosaicos” também convida grupos de outras frentes culturais.

Para viver democraticamente em uma sociedade plural é preciso respeitar os diferentes grupos e culturas que a constituem. A sociedade brasileira é formada não só por diferentes etnias, como também por imigrantes de diferentes países. Além disso, as migrações colocam em contato grupos diferenciados. Sabe-se que as regiões brasileiras têm características culturais bastante diversas e que a convivência entre grupos diferenciados nos planos social e cultural muitas vezes é marcada pelo preconceito e pela discriminação.

O grande desafio da escola é reconhecer a diversidade como parte inseparável da identidade nacional e dar a conhecer a riqueza representada por essa diversidade etnocultural que compõe o patrimônio sociocultural brasileiro, investindo na superação de qualquer tipo de discriminação e valorizando a trajetória particular dos grupos que compõem a sociedade.

Nesse sentido, a escola deve ser local de aprendizagem de que as regras do espaço público permitem a coexistência, em igualdade, dos diferentes. O trabalho com Pluralidade Cultural se dá a cada instante, exige que a escola alimente uma “Cultura da Paz”, baseada na tolerância, no respeito aos direitos humanos e na noção de cidadania compartilhada por todos os brasileiros. O aprendizado não ocorrerá por discursos, e sim num cotidiano em que uns não sejam “mais diferentes” do que os outros.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pluralidade.pdf

Parabéns à Escola Barcelona pela parceria com a Biblioteca Popular de Irajá e pelo trabalho dignificante e de grande êxito para a promoção de uma educação de qualidade, objetivando a formação de cidadãos. Parabéns ao grupo Mosaicos pela iniciativa fundamental na transformação e enriquecimento social.

 

Sobre “O Projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida” 

É um desdobramento do projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Repertório, que, ao longo do ano de 2015, foi acolhido de forma muito especial pela Biblioteca Popular Municipal de Irajá – João do Rio. O sucesso do projeto fez o grupo olhar para o futuro, propondo que a biblioteca seja também um espaço de experimentação e criação artística em diálogo com outras artes e outros artistas. Assim, contemplado pelo Programa Fomento Cidade Olímpica, o projeto Residência artística: Grupo Mosaicos Convida prevê, ao longo de cinco meses de trabalho, três estreias construídas em parceria com um artista/coletivo convidado, tendo como foco intersecções com as artes plásticas, a música e a dança.

O grupo
Nós somos atores, pesquisadores e músicos que resolvemos combinar nossos talentos e formações para contar histórias. Trazemos contos, aventuras, causos, sagas, canções e até umas “mentirinhas” de vez em quando para dividir com o nosso público essa tão antiga arte de narrar. A ideia é tecer com as histórias um novo fio de Ariadne: um que ao invés de levar à saída, traga as pessoas, sejam elas crianças ou crescidas, para dentro do imenso labirinto da literatura e também da tradição oral.
A trajetória
Desde 2008 o Grupo Mosaicos, idealizado por Luciana Zule e também composto por Maria Coelho e Rudi Garrido realiza seu trabalho em bibliotecas, livrarias, centros culturais, escolas, SESC´s, projetos vinculados à prefeituras, como o Ciranda de Histórias (RJ), além de programas de rádio e televisão. A pesquisa musical, relativa à proposta de trabalhar a música como fio condutor da narrativa tal qual a palavra, aproximou o grupo da linguagem do rádio, sendo esta hoje outra vertente de nosso trabalho.

Fonte: http://www.grupomosaicos.com/

 

Biblioteca Popular de Irajá
Avenida Monsenhor Félix, 512 - Irajá.
Telefone: 2482-3582
bpiraja.culturapresente@gmail.com
www.facebook/bibliotecapopulardeirajajoãodorio
Aberta de segunda a sexta, das 9h às 17h.

 

Sobre a escola:
A Escola Municipal Barcelona E/CRE(05.14.015) é uma escola que atende o Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano e o Supletivo PEJA no Regular Noturno. Está localizada na Rua Gustavo Martins 76, Irajá - 21220-480. O e-mail da escola é embarcelona@rioeduca.net e os telefones são 2482-3314 2482-9975. Atualmente a Escola está sob a direção de Luciani de Oliveira Bezerra.

 

Gostou da nossa publicação sobre a escola Barcelona? Gostaria de publicar e mostrar pra nossa rede o trabalho de excelência da sua escola? Entre em contato com o(a) Rioeducador(a) da sua CRE. Para as publicações das escolas da 5ªCRE, envie e-mail ou mande um WhatsApp para 996730934: 

 

 

 


                                    



 


 

 



   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 23/09/2016

Os Desafios da Inclusão Escolar no Século XXI

Tags: 4ªcre.

 

 

 

Inclusão escolar é acolher todas as pessoas, sem exceção, no sistema de ensino, independentemente de cor, classe social e condições físicas e psicológicas. Mas o termo é associado mais comumente à inclusão educacional de pessoas com deficiência física e mental. Na verdade, na escola inclusiva professores e alunos aprendem uma lição que a vida dificilmente ensina: respeitar as diferenças.

 

“Não há revelação mais veemente da alma de uma sociedade do que a forma pela qual ela trata suas crianças.” Nelson Mandela 

 

 

Como sabemos, a inclusão é mais do que ter rampas e banheiros adaptados. Na verdade, a equipe da escola inclusiva deve discutir e valorizar a cultura, a história e as experiências anteriores da turma. Além disso, as práticas pedagógicas e todas as atividades são selecionadas e planejadas para que todos aprendam.

Nesta perspectiva, o trabalho da E. M. Eneyda Rabello de Andrade é essencial para que o exercício social e profissional de seus professores estejam sustentado por uma rede de ações interdisciplinares, que se entrelacem no trabalho com as necessidades educacionais especiais dos alunos.

 

 

"A inclusão de estudantes com deficiência no sistema regular de ensino está baseada NA perspectiva de educação para todos, pois, ao serem feitas adaptações pedagógicas para um aluno que tenha algum tipo de deficiência, leva-se em conta distintas formas de aprender e de ensinar. Pensando em como realizar da melhor maneira as práticas inclusivas para essas pessoas, de forma a desenvolver suas potencialidades, busca-se também a qualidade do ensino para todos os estudantes, independentemente de terem ou não deficiência.

O uso de estratégias de ensino adequadas a diferentes tipos de necessidades específicas de aprendizagem só vem a contribuir para o desenvolvimento de todos os estudantes envolvidos no processo, ou seja, indivíduos com diferentes deficiências ou necessidades educacionais específicas, de diferentes origens socioeconômicas e contextos culturais distintos, com habilidades igualmente distintas entre si, poderão beneficiar-se de estratégias didático-metodológicas heterogêneas; afinal, em uma escola cada vez mais plural e democrática, não se pode supor que exista uma única forma de ensinar e aprender." Fonte: Fan Page do Facebook da Escola Municipal Eneyda Rabello de Andrade

O trabalho desenvolvido na E. M. Eneyda Rabello visa assegurar avanços efetivos ao processo de implementação da proposta inclusiva, e com isso promove a produção de conhecimentos através da integração das diversas áreas do conhecimento e da orientação às práticas pedagógicas dos educadores. 

 

 

 

 

Por assim dizer, toda a criança que está inserida na escola, seja ela com necessidade especial ou não, deve reconhecer em si o poder de aprender com os seus pares, devem perceber também  a sua aceitação por parte da escola, pois, é só deste modo que as diferenças deixarão de se evidenciar de forma negativa e consequentemente, evitarão a comparação entre elas.

 

Parabéns a todos os envolvidos nesse processo, em especial as professoras Carla Elisa Dias de Oliveira e Cleonice de Almeida, ambas da Sala de Recurso.

 

Contato da escola:

Escola Municipal Eneyda Rabello de Andrade  
Endereço: Praça Irineu Machado, 37 - Vigário Geral, Rio de Janeiro - RJ, 21241-350
Telefone: (21) 2475-9210                                                                                                     Professora Maria Cristina dos Santos Campos - Gestora da Unidade

 

Contato para publicações:

Ana Accioly - Representante Rioeduca 4ª CRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 
 
 
 
 

   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Quinta-feira, 22/09/2016

Mostra de Ciências no Programa de Educação de Jovens e Adultos

Tags: 8ªcre, peja.

 

 

 

 

Com o intuito de incentivar a criatividade e promover a aprendizagem prática, a professora Vanessa Mesquita organizou com sua equipe uma Feira de Ciências para os alunos do Programa de Educação de Jovens e Adultos. 

 

Professora Lúcia Maria falando sobre os benefícios da alimentação saudável

 

A Feira de Ciência é uma importante oportunidade para que os alunos coloquem em prática conhecimentos que foram construídos durante as aulas. Sua realização promove movimentação e interação entre alunos e professores.

Desde a escolha do tema até a preparação das atividades que serão desenvolvidas, o evento é repleto de oportunidades para refletir, compartilhar e aprender.
 

 

Aferição da pressão arterial para os alunos presentes na Feira de Ciências

 

No Ciep Professora Célia Martins Menna Barreto, as turmas do Programa de Educação de Jovens e Adultos, o PEJA, participaram de uma Feira de Ciências.

O evento aconteceu nos dias 28, 29 e 30 de junho.

A diretora adjunta do Ciep Célia Martins, professora Vanessa Mesquita e a professora Lúcia Maria trouxeram a proposta da Feira para a equipe da unidade escolar.

Mais do que experimentos científicos, um dos principais objetivos da Feira de Ciências foi aproximar os alunos da prática de atitudes que podem fazer a diferença em suas vidas.

 

 

Trabalho realizado pelos alunos com o tema: Tabagismo

 

Para desenvolver o tema “Saúde e Bem-Estar”, os alunos fizeram uma ampla pesquisa sobre o efeito do tabagismo no corpo humano. O saber vai muito além da campanha “Pare de Fumar ” e sim “Porque não devo fumar!”

Durante a Feira aconteceu também uma palestra sobre “Drogas e Seus Efeitos.”

A professora de Ciências, Lúcia Maria, aproveitou a pirâmide alimentar que foi produzida pelos alunos da turma 171 sob a supervisão da professora Ana Rosa, para discursar sobre a importância de consumir mais alimentos naturais e menos industrializados.

A Feira contou com a presença de uma profissional da Saúde, que foi convidada para aferir a pressão arterial dos alunos. Esse foi o momento propício para a reflexão sobre o uso moderado do sal e a prática de exercícios físicos.

 

Maria José, aluna do PEJA, realizando uma experiência sob o olhar atento dos seus colegas

 

"Essa feira de Ciências agitou a todos! Foi muito bom ver os alunos promovendo experiências, participando e envolvidos com cada proposta apresentada. Nosso objetivo era que os alunos aprendessem de uma forma diferente e acredito que alcançamos o que esperávamos. Agradeço aos professores:  Ana Rosa, José Onito, Lúcia Maria, Vania Teixeira e a professora orientadora, Luciana Lima. Nossa Feira foi um sucesso!"

                                                  Vanessa Mesquita - Diretora Adjunta do Ciep Célia Martins

 

 

Parabéns para todo o Ciep Professora Célia Martins Menna Barreto e em especial para as turmas do PEJA, pela participação e empenho na realização da Feira de Ciências.

Para conhecer mais a escola, visite a página no Facebook: Ciep Célia Martins.

Contato: ciepmbarreto@rioeduca.net

 

 

Alunos realizando a experiência do gerador de energia eólica

 

Para publicações das escolas da 8ª Cre, entre em contato com:

neildasilva@rioeduca.net

 

 

Não esqueça de deixar seu comentário aqui. Queremos saber a sua opinião!

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share