A A A C
email
Retornando 23 resultados para o mês de 'Setembro de 2017'

Segunda-feira, 11/09/2017

Quem Canta e Dança...Encanta...E Seus Males Espanta!

Tags: 1ªcre, projetos, eventos, educacaoinfantil.

 

Diversidade Musical Brasileira serve como eixo norteador em Espaço de Desenvolvimento Infantil da 1ª Coordenadoria Regional de Educação.

 

Localizado no bairro do Estácio, bairro boêmio e um dos berços do samba da capital carioca, o EDI Beatriz Vicência Bandeira Ryff tem no Projeto “Quem canta e Dança... Encanta...E seus Males Espanta”, o eixo norteador para desenvolver em seus alunos o enriquecimento de suas vivências musicais, proporcionando um trabalho multidisciplinar através da musicalidade, permeado pelas diferentes áreas do conhecimento e buscando o desenvolvimento das crianças em seus aspectos físico, cognitivo, afetivo e social.

 


Pensado em conjunto por toda comunidade escolar, o projeto vem sendo desenvolvido ao longo do ano: no início foi trabalhado com o aluno a percepção para ouvir os diferentes sons que nos cercam. Os alunos foram levados a ter atenção com os sons do corpo, da natureza, dos animais, do ambiente que cerca a escola... Já no segundo bimestre os alunos tiveram contato com os diversos ritmos que fazem parte da cultura de nossa cidade e de nosso país.

 

 

Histórias e características do frevo, funk, samba, carimbó e forró, dentre outros , fizeram parte do cotidiano das crianças, que puderam estabelecer uma intimidade cultural e musical através das vivências com as características dos diversos ritmos.

 

 


O foco do trabalho ao longo do 3º bimestre são as brincadeiras cantadas, que fazem parte da memória cultural do povo brasileiro. As cantigas apresentam também a diversidade do nosso país.

 


Para finalizar o projeto anual, a unidade está planejando fazer a festa “Natal Brasileiro”, retratando os costumes através dos ritmos.


Renata Soares, Professora de Educação Infantil, nos fala: ”o projeto nos proporcionou um estudo e ampliou nossa visão musical onde realizamos diversas atividades relacionadas as múltiplas linguagens”. Para a professora Elaine Barcelos, “ o projeto trouxe um enriquecimento cultural e musical, através do qual fizemos uma grande viagem pelas regiões e ritmos trabalhados”.


Os mais encantados com o projeto são os pequenos: o aluno Rômulo, de 5 anos, diz “eu gostei do ritmo do carimbo”. Já o Aluno João Mateus, de 6 anos nos conta :”eu gostei de fazer o boné do funk e adorei a dança”. “Eu gostei muito do galo da madrugada e de fazer o guarda-chuva do frevo”, nos conta a aluna Sophia, de 6 anos.

 

 


Para Saber Mais:

EDI BEATRIZ VICÊNCIA BANDEIRA RYFF

Direção: Joseane Abrahão

Diretora Adjunta: Andrea Pacheco

Telefone: 2224-0979

E-mail: edibeatrizvbandeira@rioeduca.net


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 08/09/2017

A Importância da Ludicidade no Aprendizado

Tags: 10ªcre.

 

Na Escola Municipal Dione as atividades são apresentadas aos alunos de forma lúdica e não de forma mecanicista.


A E/CRE (10.19.057) Escola Municipal Professora Dione Freitas Felisberto de Carvalho está localizada à Avenida Padre Guilherme Decaminada, s/n°, Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade atende a 16 turmas, com 489 alunos, do 1° ao 5° ano do Ensino Fundamental. Tem como diretora, a professora Claudia Regina de Góes, como diretora adjunta, a professora Nívea Francisco de Novaes, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Isabel Maria de Sousa Silva.

 

Alunos durante aula de Educação Física com instrumentos musicais

 

Na Unidade Escolar, as atividades são elaboradas e difundidas pela Coordenadora Pedagógica Isabel Maria e pelo professor de Educação Física, Sandro Areas, que também realiza as atividades de estudo dirigido com finalidade no reforço das atividades de sala de aula.


Tanto nas aulas de Educação Física, quanto nas aulas de estudo dirigido, as atividades são apresentadas aos alunos de forma lúdica, e não de forma mecanicista.

O uso de jogos, brinquedos e brincadeiras fazem parte do planejamento de suas aulas e são usadas como ferramentas, visando o desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem dos alunos nas aulas.

 

Aula de Estudo Dirigido – Circuito Pedagógico com diferentes tipos de jogos.

 

Segundo o professor Sandro Areas, no brincar, o aluno envolve-se em atividades que irão enriquecer o acervo psicomotor, contribuindo em sua organização sensorial, perceptiva, cognitiva e espaço temporal e, assim, melhora sua propriocepção.

As aulas, também, contam com circuitos pedagógicos que tem o intuito de auxiliar os docentes em outras disciplinas (interdisciplinaridade), pois o lúdico é um grande facilitador para o aprendizado em sala de aula.

Atividade de Estudo Dirigido – Dinâmica da paz

 

— A participação dos alunos em atividades lúdicas, contribuem para o seu desenvolvimento, pois tais atividades são importantes para atitudes do aluno como: liderança, solidariedade, cooperação, senso de responsabilidade, além de desenvolver a sua autonomia e apresentar capacidade de tomar decisões. — explica a diretora adjunta Nivea.

— Elaborar um planejamento com conteúdos lúdicos nas aulas de Educação Física e Estudo Dirigido é algo gratificante, pois vejo a motivação não só dos alunos em vir para a escola estudar, como também da equipe em valorizar o seu trabalho como docente. — afirma a Coordenadora Pedagógica Isabel Maria.

 

Atividade envolvendo psicomotricidade

 

Quer saber mais sobre nossas aulas de Artes?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.057) E. M. Professora Dione Freitas Felisberto de Carvalho
Telefones: 3395-5143
Email: emdione@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 07/09/2017

Na alfabetização, o projeto identidade: respeito e amor

Tags: 9ªcre, identidade, alfabetização, projetos.

 

O projeto em questão se denomina Projeto identidade: respeito e amor,  que busca levar a criança a conhecer-se e reconhecer o outro. Saber que cada um tem seu jeito de ser e que deve ser respeitado pois isso é ato de amor e empatia. Na proposta realizada com a turma do 1º ano, da Prof. Thais Alcantara, da E. M. Prof. Antonio Boaventura, foram tratados os valores e a ética, de forma prazerosa e lúdica, para conscientizar o indivíduo em atitudes de respeito ao próximo.

 

[...] as crianças e os adultos precisam pertencer a um grupo social para comparar ideias e dividir experiencias com os outros. A proximidade cria vínculos que permitem cada um reconhecer a si e o outro[...]. Trata-se da comunidade como internalização do outro como um valor [...]. Comunidade pe uma qualidade do espaço que encoraja encontros, trocas, empatia e reciprocidade.
(Reggio Children, 2001, p.21)

 

O presente projeto dá-se início ao diálogo nas rodas de conversa com uma contação de história que geram discussão sobre o assunto tratado. Geralmente os livros tem intencionalidade na sua seleção gerando debates pelo grupo que apontam seus pontos de vista a respeito do tema tratado. O livro não “É MEU!NÃO EMPRESTO!” de Clarie Llewellyn trouxe várias situações cotidianas que foram apontadas pelas crianças além disse posicionamentos de opiniões foram ditas.Os assuntos abordados foram sobre família, escola, diferenças, regras de convivência (essa criada pelos alunos da turma e afixada em cartaz), situação-problema, amizade etc. 

 

Um relato:
Na contação da história “GENTE QUE MORA DENTRO DA GENTE” de Jonas Ribeiro, ao falarmos da capa tratando de suas inferências foi observado pela turma que se tratava do mundo, nesta oportunidade, de forma espontânea peguei meu Mapa Mundi e apresentei essa abordagem de maneira clara, além disso, entenderam que “todas as pessoas cabem dentro do nosso coração” (aluna Maria Alice) e momentos de abraços entre eles foram observados e registrados.

 

Outra proposta trabalhada foi o reconhecendo o eu e o outro. Neste trabalho foi necessário a utilização de um espelho para reconhecer-se.
Observar suas próprias características é o primeiro passo de perceber-se como indivíduo. Neste contexto foram utilizados livros que tratam da miscigenação brasileira e suas influencias na formação da cultura brasileira. Livros como Menino Poti de Ana Maria Machado, Menina bonita do laço de fita (Ana Maria Machado) e alencando temas como preconceito e bullyng nas rodas de conversa.



 

Um relato:
Uma criança negra ao escolher a cor para pintar a cor da sua pele pegou o lápis “cor de pele”. Surpreendo me neste caso em constatar que a criança não se reconhece e não se descreve como vê. Existem várias influências a respeito disso como a influência que a mídia incorpora na sociedade com a beleza-padrão que é europeia.

 

Em concordância com o tema identidade, criamos o boneco da turma. Logo no início, contou com a participação da família doando, quando possível, itens para confecção do boneco de pano. As primeiras experiencias relacionaram-se com a disciplina Ciências e seus objetivos nos descritores do 2º bimestre, com o assunto partes do corpo: cabeça, tronco e membros.
 

Com as partes da meia cortados cada criança ajudou a montarmos o corpo do boneco apontando suas características e respectivas funções. Além disso, fizemos o registro com o corpo de uma criança:

    

O próximo passo foi criar uma conversa sobre a história do boneco. Para isso foi criado com texto coletivo a história do boneco.

 

Também houve a participação dos responsáveis na sugestão de um nome e seu significado, no dia que os alunos trouxeram os nomes foi feita uma votação para escolha do nome. O nome do boneco que venceu foi Antônio por homenagear o professor Antônio Boaventura cujo o nome atual da escola.  Houve ainda a escolha do local de nascimento do boneco Antônio, que se desdobrou em outras atividades como o chá de bebê pelo seu nascimento. 

 

  

 

 

 

 

A turma 1102 tem vivido muitas experiencias com o boneco Antonio. A partir delas, a professora Thaís tem realizado o trabalho de alfabetização com os alunos. Em situações significativas de escrita e leitura, as crianças tem registrado palavras em listas, textos, gráficos e tabelas.

 

 

          

 

As aventuras com o boneco Antonio acontecem nos diferentes momentos na escola, na contação de histórias e brincadeiras no pátio. E, estendem-se também às atividades de casa, nas visitas no final de semana. A família continua participando da vida do Antônio e das aprendizagens das crianças.

 

     

 

   

 

Último relato:

“A turma 1102 tem muitas questões ainda a trabalhar principalmente na área de relacionamento e solução dos problemas cotidianos, porém já se pode observar uma preocupação uns com os outros (quando machucam, quando choram querem saber porque e conversam).” Prof. Thais Alcantara

 

Parabens à Prof Thais e a Turma 1.102 pela riqueza de vivências na aventura de aprender a conviver, ler e escrever!

 

DADOS DA UNIDADE:

E. M. Primario Antonio Boaventura

Rua Nova Era, S/N, Campo Grande

Direção: Andriana e Andrea

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 06/09/2017

A Aprendizagem Colorindo a Vida!

Tags: 8ªcre, artes visuais.

 

 

Artistas foram a inspiração da aprendizagem no Ciep Padre Paulo Correa de Sá. Através do projeto "Cores da Vida", os alunos foram motivados a produzirem releituras de grandes obras, após aprofundarem seus conhecimentos sobre a vida e o impacto dessas obras na sociedade brasileira.

 

 

 

“Escola é... o lugar onde se faz amigos não se trata só de prédios, salas, quadros programas, horários, conceitos...

Escola é, sobretudo, gente, gente que trabalha que estuda, que se alegra, que se conhece, que se estima...”
                                                                                                                                                                                                                                                                                                          Paulo Freire

 

 A arte de ensinar crianças precisa aliar o processo ensino-aprendizagem ao prazer de brincar, promovendo a alegria de aprender na sala de aula, proporcionando um colorido característico ao universo infantil.

Pensando dessa maneira o Ciep Padre Paulo Correa de Sá está desenvolvendo durante o presente ano letivo, o projeto "As Cores da Vida!", com ênfase na Literatura Infantil, nas diversas linguagens artísticas e nas brincadeiras infantis.

O projeto está dividido em 4 etapas, por bimestre:

1º Colorindo o imaginário infantil
2º Pintando e repintando a vida
3º Brincando e aprendendo
4º Colorindo o mundo

 

 

 

No encerramento do 2º bimestre, o Ciep Padre Paulo vivenciou a etapa "Pintando e Repintando a Vida". O objetivo foi trabalhar os caminhos coletivos da diversidade, da paz e da aprendizagem.

Nessa etapa do projeto anual, os alunos fizeram a releitura das obras de grandes artistas, com o intuito de despertar neles o gosto pela pintura e pelas artes em geral.

Conhecer a biografia de grandes pintores e realizar a reprodução de suas obras, os aproxima desse universo que é tão rico em criatividade e beleza.

As técnicas da realização das atividades foram variadas: dobraduras, mosaico, pintura livre e pinturas em material reciclado

 

 

O ponto alto do projeto foi a Mostra de Trabalhos que aconteceu no dia 4 de agosto. Cada turma elegeu um grande pintor para ser inspiração para as produções.

Os professores e os alunos, após escolherem um artista, trabalharam sua biografia, suas obras e suas contribuições para a sociedade. Em seguida produziram diferentes releituras das obras que conheceram e fizeram a exposição nos corredores da escola.

A participação do professor Julio Guimarães, regente de Artes Visuais, enriqueceu ainda mais um projeto que toda a escola se identificou como seu.

O presente projeto além de trazer cor e alegria para a escola, proporcionou oportunidades de aprendizado em outras diferentes áreas, como leitura, escrita, interpretação e análise.

 

 

"Todas as crianças estavam maravilhadas e fizeram uma grande roda à volta das cores. E as cores murmuraram:

- Nós somos as cores, as cores da vida! E para ver a vida cor-de-rosa é preciso abrir o coração, porque nada nem ninguém é completamente negro ou branco. As crianças, então, dançaram e cantaram as cores da vida (...)"

                                                                                                  Trecho de  Histórias para Sonhar, de Sandrine Monnier-Murariu

 

 

O Rioeduca parabeniza professores e alunos do Ciep Padre Paulo pela realização do projeto!

 

Contato do Ciep Padre Paulo: cieppsa@rioeduca.net

 

Sua escola também está realizando um projeto relevante? Compartilhe conosco você também.

 


 


   
           



Yammer Share