A A A C
email

Terça-feira, 07/05/2019

Feliz Aniversário, EPF!

 

A Escola de Formação Paulo Freire (EPF) completa sete anos no dia 09 de maio, celebrando sua atuação na área de formação e valorização dos professores e demais servidores da Secretaria Municipal de Educação do RJ.

 

 


Conheça um pedaço da nossa história:


A EPF está localizada em um casarão histórico no Centro do Rio de Janeiro, construído em 1877, com o nome de Escolas Primárias da Freguesia de Sant'Anna. Em 1915 teve seu nome modificado para Escola Rivadávia Corrêa, abrigando a 2ª Escola Profissional Feminina, onde aconteciam oficinas de corte, confecções de chapéus e flores, espartilhos, datilografia e culinária.


No final dos anos 20, foi erguido um prédio anexo de cinco pavimentos e, em 1998, a Escola Municipal Rivadávia Corrêa passou a funcionar somente no prédio anexo, iniciando-se, então, a restauração da edificação do século XIX.


A partir de 2002, após a restauração, o casarão tornou-se a sede do Centro de Referência da Educação da Escola Pública da Cidade do Rio de Janeiro. Em 9 de maio de 2012 foi criada a Escola de Formação do Professor Carioca Paulo Freire e o Centro de Referência da Educação Pública passou a integrar a estrutura organizacional da escola de formação.


Em janeiro de 2019, a Escola passa a se chamar Escola de Formação Paulo Freire, estando a mudança do nome relacionada à ampliação de seu campo de atuação, agora, com ações que não se restringem mais aos professores, mas estendem-se para os demais servidores da educação do Município do RJ.


Para cumprir com suas atribuições, a EPF é formada, atualmente, por um gabinete e seis gerências, sendo elas: (1) Gerência de Formação Inicial; (2) Gerência de Formação Continuada do Professor Regente; (3) Gerência de Formação Continuada da Equipe Gestora; (4) Gerência de Fomento à Pesquisa e Avaliação Externa (5) Gerência de Ensino a Distância e o (6) Centro de Referência da Educação Pública da Cidade do Rio de Janeiro – Anísio Teixeira (CREP – AT).


Durante esta semana especial, cada Gerência contará um pouco da sua história ao longo desses 7 anos. Não percam!

 

Fonte: http://prefeitura.rio/web/epf/exibenoticias?id=9581643

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 07/05/2019

Escola Municipal Sergio Vieira de Mello – 2ª CRE

Tags: 2ªcre, água.

Os alunos da Escola Municipal Sergio Vieira de Mello participaram de atividades pedagógicas em comemoração ao Dia Mundial da Água.

 

O dia 22 de março é conhecido como Dia Mundial da Água. É um dia dedicado a reflexão sobre os cuidados que precisamos ter com este bem tão precioso para a nossa vida. A data foi criada pela ONU com o objetivo de ampliar as discussões sobre este assunto tão importante. O portal Brasil Escola reúne informações interessantes sobre a importância e criação do Dia Mundial da Água.

 

 

Atividades realizadas no Dia Mundial da Água.

 

As atividades foram realizadas pelas turmas da Educação Infantil, que têm como regente a professora Luciana Freitas. Os objetivos principais foram: desenvolver o conceito de sustentabilidade e aprender como usar a água de forma consciente.


Os alunos foram divididos em grupos e através da oralidade foram discutidas a importância da água na nossa vida e maneiras de como podemos usá-la com consciência. Mediante as indagações e colocações dos alunos, a professora problematizou a ideia do mais é menos, no sentido que precisamos ter cuidado com os recursos hídricos e utilizá-los de forma consciente.

 

 

Mural e atividade sobre a utilidade da água em nossas vidas.

 

 

Aquários construídos com potes de maionese.

 


Após essa dinâmica inicial, os alunos desenvolveram, com material de sobras de papéis, exemplos de usos da água no nosso cotidiano. A professora registrou essa atividade através da oralidade e foi confeccionado um cartaz sobre a conscientização do uso da água.

 

Os alunos também participaram de rodas de conversa sobre o lixo e a vida marinha. Ao final do dia, os alunos ouviram e cantaram trechos da música “Planeta Água”.

 


Agradecemos ao Coordenador Pedagógico Fábio de Souza que entrou em contato com o portal Rioeduca e compartilhou conosco esta atividade sobre o Dia Mundial da Água.

 

Quer saber mais? 

O contato da Escola Municipal Sergio Vieira de Mello é: emsvmello@rioeduca.net

Telefone: 3114-1244 / 3114-1245

 

 

 

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 07/05/2019

Escola Municipal Jornalista Orlando Dantas - 11ª CRE

Tags: 11ªcre, bullying, paz, sala de leitura, mediação de conflitos.

Semana de Combate ao Bullying na JOD!

 

Na semana de 04 a 11 de abril,  a Escola Municipal Jornalista Orlando Dantas (11.20.004) promoveu ações e atividades de prevenção ao Bullying na escola. O projeto “Diferente também é igual” foi idealizado pelas professoras Fátima TherezinhaAna Maria Silveira e Isabel Araújo e foi desenvolvido com as turmas de 4º e 5º anos da Unidade.

 

 

 

 

Segundo a coordenadora pedagógica Heloísa Coelho"o projeto quis mostrar aos alunos que apesar de aparentemente sermos todos diferentes, somos iguais na nossa convivência, por isso temos que ser respeitados em nossas diferenças. Dessa forma, todos nós devemos aceitar o outro sem distinção, destruindo assim, a prática do bullying."

 

Os alunos tiveram contato com a história do livro “O Pintinho Pelado”, de Noel Pádua Filho. O trabalho foi iniciado por um debate, depois foram desenvolvidos trabalhos escritos e maquetes, reproduzindo a ambientação da história.

 

Os alunos ainda produziram ilustrações e reescreveram a narrativa, construindo, assim,  um livro coletivo sobre o mesmo tema. 

 

 

 

 

A escola  procurou articular as práticas de escrita autoral, de revisão ortográfica e da percepção sequencial da narrativa com práticas voltadas para promoção da cidadania, empatia e respeito, em uma cultura de paz e tolerância mútua. 

 

As atividades foram desenvolvidas a partir da produção de texto coletivo e do trabalho com duplas produtivas. Desse modo, todo o processo foi pautado no estímulo de atitudes que valorizavam o respeito e a aceitação da qualidade da produção do outro.

 

 

Alunos e professores debatem sobre o Bullying e desenvolvem atividades

 

 

O bullying e a violência nas escolas tornaram-se grandes problemas. O Ministério da Educação tem atuado para combater isso, uma de suas medidas é o Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos.  Além disso, dia 7 de abril foi  instituído como o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência nas Escolas. A data foi criada em 2016, por meio da Lei nº 13.277. (http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/34487)

 

O trabalho das turmas culminou com a confecção do livro " A Bruxa e o Gato", totalmente confeccionado pelas crianças.

 

 

 

 

Mas... o que é bullying?


Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.

 

E o cyberbullying?


É o bullying que ocorre em meios eletrônicos, com mensagens difamatórias ou ameaçadoras circulando por e-mails, sites, blogs (os diários virtuais), redes sociais e celulares. Dessa forma, o anonimato pode aumentar a crueldade dos comentários e das ameaças e os efeitos podem ser tão graves ou piores.
 

 

Fonte: https://www.facebook.com/ministeriodaeducacao/

 

Sobre o tema, a Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (ABRAPIA) sugere as seguintes atitudes para um ambiente saudável na escola:

 

  • Conversar com os alunos e escutar atentamente reclamações ou sugestões;
     
  • Estimular os estudantes a informar os casos;
     
  • Reconhecer e valorizar as atitudes  no combate ao problema;
     
  • Criar com os estudantes regras de disciplina para a classe em coerência com o regimento escolar;
     
  • Estimular lideranças positivas entre os alunos, prevenindo futuros casos;
     
  • Interferir diretamente nos grupos, o quanto antes, para quebrar a dinâmica do bullying.

 

 

 

 

“- A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa.
- Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.
Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de
amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo,
cativa-me!”

O Pequeno Príncipe

 

 

Quer saber mais?

 

MEC: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/34487

Revista Nova Escola: https://novaescola.org.br/conteudo/1432/3-o-bullying-e-um-fenomeno-recente

 

Escola Municipal Jornalista Orlando Dantas

Rua Benedito Patrício, 248 Bancários 21910-220

emdantas@rioeduca.net

3368-8362 2463-7615

 

Diretora: Eliane de Araujo Gerbas

Diretora Adjunta: Jusie Lazaro alves do Nascimento

Coordenadora Pedagógica: Heloísa Coelho

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 07/05/2019

Escola Municipal Maria Clara Machado 7ª CRE

Tags: 7ªcre, projetos.

Brincadeiras e Brinquedos – Conhecendo o passado, refletindo o presente e projetando o futuro.

 

Na Escola Municipal Maria Clara Machado, os alunos da turma 1302, da professora Luciana Januário, desenvolveram o projeto Brincadeiras e Brinquedos com o objetivo de comparar e refletir sobre como as crianças brincavam antigamente e como brincam nos dias atuais.

 

 

 

A presente pesquisa sobre as brincadeiras e os brinquedos antigos x atuais faz parte do Projeto da E.M. Maria Clara Machado: “O Homem, o espaço, o tempo (interações e mudanças)”, que tem como um dos objetivos construir conhecimentos através da observação sobre o comportamento, estilo de vida e projeção de futuro. O trabalho é realizado a partir das histórias contadas, relacionando e/ou comparando o tempo de ontem, hoje e amanhã, possibilitando, assim, análise crítica sobre os diferentes modelos de sociedade.

 

Objetivo: Promover uma pesquisa de campo sobre as brincadeiras e os brinquedos da época dos pais e avós das nossas crianças e relacioná-los com as brincadeiras e os brinquedos atuais, estendendo a reflexão sobre os jogos eletrônicos e a importância e cuidados que devemos ter no cotidiano ao utilizar a tecnologia.

 

Metodologia: As crianças ficaram responsáveis pela busca de informações, em seu meio familiar, sobre os brinquedos e as brincadeiras do tempo passado e pela construção de listas comparativas entre o passado e a atualidade.

 

Aproveitou-se o momento para desenvolver as habilidades de escrita, por meio da descrição das diferentes brincadeiras e do uso dos brinquedos antigos.

 

A leitura, por sua vez, foi trabalhada a partir de textos e reportagens sobre a importância do brincar para a construção dos relacionamentos e das habilidades individuais das crianças.

 

 

               Mural com pesquisa de brincadeiras e brinquedos do passado.

 

 

 Mural com textos lidos sobre o uso da tecnologia.

 

 

Conclusões do trabalho a partir dos relatos da professora regente da turma 1302:

 

"Refletimos o nosso presente, pensando nas brincadeiras atuais e no uso dos jogos eletrônicos que, por sua vez, são preferência entre os nossos alunos. Nesse movimento de criar e de recriar novas brincadeiras que nos possibilitassem uma melhor relação com o meio ambiente, na construção e fortalecimento dos relacionamentos."

 

"Projetamos o futuro, através do olhar para os jogos eletrônicos e na importância do uso tecnológico para o desenvolvimento intelectual e dos relacionamentos virtuais, que se estendem além do nosso ciclo de relacionamentos pessoais. Ainda pontuamos sobre a importância do equilíbrio ao utilizar as ferramentas tecnológicas e a sobre a necessidade de brincar utilizando brinquedos e brincadeiras capazes de contribuir para o desenvolvimento e o crescimento pessoal de cada um."

 

Mural com brincadeiras e brinquedos projetados para o futuro.

 

 

 Produções da turma:

· Escrita da lista de brinquedos e brincadeiras;

· Escrita sobre como utilizar os brinquedos;

· Escrita das regras das brincadeiras antigas;

· Escrita de como utilizar os jogos eletrônicos;

· Escrita de cantigas de roda;

· Produção de texto coletiva como trabalho de conclusão.

 

     Alunas da turma 1302 com a professora Luciana.

 

 

A experiência perpassou os limites e vivências pessoais e auxiliou na compreensão da mudança do tempo cronológico e do tempo histórico. O trabalho da turma 1302 está exposto no mural da Escola Maria Clara Machado, com fotos, desenhos e escrita desenvolvida por nossos alunos.

 

Informações enviadas pela professora Luciana Ramos Januário.

 

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato da unidade escolar:

Escola Maria Clara Machado

email:emcmachado@rioeduca.net

telefone: 2494-9803

 

 

 

 

 

 

 


   
           



Yammer Share