A A A C
email
Retornando 403 resultados para a tag '10ªcre'

Segunda-feira, 08/08/2016

Mente Sã, Corpo São

Tags: 10ªcre.

 

 

 

Projeto desenvolvido pelos professores e direção da Escola Municipal Professor Francisco José Antonio trabalhando a cultura, sociedade, economia e curiosidades de vários países.

 

A E/CRE (10.19.073) E. M. Professor Francisco José Antonio está localizada à Via A4, s/n° – Conjunto Santa Veridiana – Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade Escolar atende atualmente alunos da Pré-Escola ao 5° ano e tem como diretora a professora Carmelita Maria Mathias Edde, como diretora adjunta, a professora Jaqueline Silva Carvalho, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Fabiana Dias Alves Saraiva Von Abel.

A direção da Unidade Escolar acredita que cada indivíduo constrói uma personalidade forte e equilibrada quando pautado em valores humanos milenares como fortaleza, temperança, justiça e prudência, que direcionam ao fortalecimento do caráter e ao aprimoramento humano, buscando a conquista da felicidade duradoura e permanente.

— Estes valores fundamentam a ética nas relações sociais, individuais, étnicas, sexuais e religiosas, assim como a ação da escola, espaço no qual estas relações éticas acontecem. Reconhecemos, assim, que a fundamentação ética é o caminho para nosso trabalho. — afirma a diretora Carmelita

Sendo assim, a escola está desenvolvendo o projeto “Mente sã, corpo são”, visando oportunizar a possibilidade de refletir a questão ética alinhada aos valores Olímpicos e Paralímpicos, e, ainda, traçar um paralelo com os 4 pilares da Educação Contemporânea: aprender a ser, fazer, viver juntos e conhecer.

 

Alunos da Unidade Escolar

 

Cada professor trabalhou com sua turma um país específico ao longo do ano, estudando conforme o foco atribuído a cada bimestre e o projeto foi organizado em 4 eixos.

A Educação Infantil, da professora Joeci, apresentou o México, trabalhando a identidade partindo das obras da pintora Frida Kahlo.

 

Trabalho da Educação Infantil

 

As turmas 1101 e 1102, da professora Carla, apresentaram os Estados Unidos, trabalhando a genealogia e as relações de parentesco. Além disso, falaram sobre as semelhanças e diferenças entre Estados Unidos e Brasil.

Os alunos apresentaram uma dança, a qual podemos verificar no vídeo abaixo.

 

 

Alunos do 1° ano com trabalho sobre os Estados Unidos

 

As turmas 1201 e 1202, da professora Andrea, apresentaram o Egito, explicando que existem pirâmides milenares neste país. Além disso, trabalharam a importância da bandeira e seu significado.

 

Alunos do 2° ano com trabalho sobre o Egito

 

As turmas 1301 e 1302, da professora Tânia, apresentaram a Austrália e através da Rosita, uma menina aborígene, a turma criou um funk, que você pode assistir no vídeo abaixo. 

 

 

A turma 1401, da professora Fabiana, apresentou Israel, trabalhando a sua cultura, suas famílias e algumas paisagens e festas.

A turma 1402, da professora Jaqueline, apresentou o Japão, trabalhando a cultura Japonesa, a valorização da sabedoria dos mais velhos, a importância do silêncio e saber ouvir e refletir.

 

Alunos do 4° ano com trabalhos sobre Israel e Japão

 

A turma 1501, do professor Paulo, apresentou a Polônia, trabalhando os aspectos educacionais, economia, cultura e sobre a bandeira.

A turma 1502, da professora Renata, apresentou a França, trabalhando curiosidades, culturas e explicando que brincadeiras ensinadas de gerações em gerações, como a amarelinha, são de origem francesa.

A turma 1503, da professora Miriam, apresentou a Grécia, onde os alunos apresentaram um telejornal, explicando sobre sociedade, religião, economia, arte e cultura.

 

Alunos do 5° ano com trabalho sobre Polônia, França e Grécia

 

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/SUBE/CRE (10.19.073) E. M. Professor Francisco José Antonio
Telefone: 3395-7524
Email: empantonio@rioeduca.net

 

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724


 

                               

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 25/07/2016

Arraiá da Cidade das Crianças

Tags: 10ªcre, arraiá.

 

 

 

 

Festa típica realizada no parque da Cidade das Crianças com alunos da Rede Municipal e toda a Comunidade Escolar.

 

Comunidade Escolar e a apresentação da quadrilha

 

A Cidade das Crianças Leonel Brizola está localizada à Rodovia Rio Santos, Km 1, Santa Cruz, numa área total de 186.000 metros quadrados, e oferece atividades educativas, culturais, esportivas e de lazer para os alunos da Rede Municipal e toda a comunidade escolar. No dia 9 de julho de 2016 foi realizado o Arraiá da Cidade das Crianças, um momento cultural importante para a região, resgatando os valores, aspectos sociais e costumes do folclore brasileiro.

A proposta pedagógica desenvolvida na festa foi voltada para a extensividade escolar, com perspectiva de oferecer opção cultural para a população da nossa região e para todos os que tiveram oportunidade de apreciá-la, vindo de outros bairros do Rio de Janeiro.

 

Comunidade Escolar no Arraiá da Cidade das Crianças

 

A festa teve shows, apresentação de danças com quadrilhas, barracas de comidas típicas recheadas de delícias, brincadeiras, sorteios e brinquedos infláveis.

— Há três anos, a E/SUBE/CRE (10.19.074) E. M. Ricardo Brentani foi inaugurada dentro do Parque Cidade das Crianças, contando sempre com a parceria dos que nele trabalham, sendo este, um espaço de lazer e cultura para nossos alunos e suas famílias. Desde então, o tradicional Arraiá realizado pelo Parque é muito aguardado por nossos alunos, professores, funcionários e comunidade escolar, fazendo parte do nosso calendário de atividades, inserida em nosso Projeto Político Pedagógico, onde são abordadas suas particularidades, tais como: comidas típicas, brincadeiras e danças. Tradicionalmente, também, realizamos uma apresentação de dança, onde nossos alunos se dedicam aos ensaios visando nossa participação na festa. A Arraiá do Parque Cidade das Crianças, além de proporcionar um momento cultural de lazer e alegria para nossos alunos, promove a integração efetiva de nossa escola com sua comunidade escolar. — afirma a diretora Cristiane Losque.

 

Apresentação de dança dos alunos da E. M. Ricardo Brentani

 

A programação contribui para a manutenção cultural de alguns hábitos e valores que permeiam não só este período do ano, mas em muito nossa própria história no que se refere principalmente às questões musicais, comidas e bebidas características, modos de viver e de interpretar a sociedade.


— Muito bom ver o esforço da 10ª CRE para manter acesa uma tradição que está um pouco esquecida em nossa cidade. A festa junina da Cidade das Crianças cumpriu essa missão. Logo assim que chegavam, os alunos se contagiavam num ambiente, totalmente seguro, que parecia saído de um sonho, muito colorido, muitos brinquedos e muitos sorrisos. A apresentação da quadrilha foi um show a parte, prendendo a atenção de todos. Os alunos da E/SUBE/CRE (10.19.002) E. M. General Gomes Carneiro se divertiram e aproveitaram muito. — afirma o diretor José Roberto.

— A festa foi uma oportunidade de descontração e ampliação de conhecimentos através das diversidades de brincadeiras, pois constituiu uma temática rica onde puderam ser explorados diversos tipos de aprendizagens. O parque da Cidade das Crianças possui um espaço bem amplo, acolhedor, seguro, convidativo e mudou a rotina dos alunos da E/SUBE/CRE (10.19.022) E. M. Luis Caetano de Oliveira, proporcionando horas de lazer que favorecem a melhoria de sua bagagem cultural. — afirma a diretora adjunta Monica Cunha

 

Coordenadora da CRE, Gracinha Muller e professores da E. M. Ricardo Brentani

 

Durante o fim de semana, o espaço está aberto ao lazer, oferecendo, inclusive, outras atividades culturais à comunidade escolar em geral. Além de oferecer atividades complementares aos alunos da Rede Municipal, a Cidade das Crianças apresenta a proposta de socialização e integração entre as famílias residentes nas comunidades vizinhas e em outras regiões, tendo em vista que recebe visitantes de vários bairros da cidade e, até mesmo, de outros municípios. Sendo assim, o entretenimento oferecido de forma saudável e dinâmica ao público em geral tem o objetivo de propiciar espaço público de qualidade em uma região carente de alternativas culturais e artísticas.

 

Folder do Arraiá da Cidade das Crianças

 

Quer saber mais sobre a festa?
Entre em contato com o parque.

Cidade das Crianças Leonel Brizola
Telefone: 2418-8069
Email: ccleonelbrizola@rioeduca.net

 

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724

 

 

                               

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 11/07/2016

A Curiosidade Como Mediadora da Aprendizagem

Tags: 10ªcre, leitura.

 

 

 

Projeto desenvolvido pelos professores da escola trabalha as diversas possibilidades de aprendizagem nas pequenas coisas.

 

A E/SUBE/CRE (10.19.038) E. M. Pedro Mota Lima está localizada à Estrada de Paciência, 368 – Cosmos, zona oeste do Rio de Janeiro. A Unidade Escolar atende atualmente alunos do 1° ao 5° ano e tem como diretora, a professora Maria Ines Bolzan, como diretora adjunta, a professora Sabrina da Silva Ribeiro, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Priscila Neves da Silva Moraes.

 

Equipe de direção e professores da E. M. Pedro Mota Lima

 

Em 2015, os professores resolveram unir esforços e abraçar um novo projeto. O tema principal era a curiosidade e o objetivo era mostrar aos alunos as infinitas possibilidades de aprendizagem existentes nas pequenas coisas ao redor deles. O projeto foi elaborado com base no livro “Anapédia em, O caso do Mar Colorido”, escrito pela professora regente Sheila Ramos da própria Unidade Escolar, e para se aventurar por essa história, ser curioso era o principal requisito.

O primeiro contato dos alunos com o projeto foi no segundo semestre de 2015, quando os professores trabalharam a história partindo da apresentação do enredo para o reconhecimento dos personagens e de suas principais características. Além de vivenciarem o momento de autógrafos, os alunos foram estimulados a construir uma sinopse do livro que faria parte das próximas edições.

Pensando na proposta e nas outras histórias da Anapédia, já escritas pela autora, o grupo elaborou diferentes abordagens para, estrategicamente, alcançar todos os alunos.

A primeira estratégia e o ponto central do projeto passaram a ser “O Jornal Mural”: um espaço para descobertas e curiosidades dos alunos, com base em diferentes temas propostos pelo corpo docente e escolhidos por cada turma, individualmente. Com a troca de experiências e sempre com informações “curiosas”, “O Jornal Mural” logo se tornou um elo importante entre os alunos, reunindo todo o trabalho da escola e estimulando a interação entre as turmas.

 

Jornal Mural

 

Outro artifício utilizado foi o material impresso chamado de “Plantão Anapédia”, cujo conteúdo aborda sempre um tema de interesse público escolhido pelo professor da turma. Neste jornal impresso são apresentadas aos alunos diferentes possibilidades de abordagem do tema desenvolvido em cada exemplar.

A “Hora do Conto”, uma atividade já executada pela escola há algum tempo, foi adaptada para fazer parte do projeto. No início do ano, cada turma recebeu a tarefa de elaborar uma “Hora do Conto” para apresentar para a Unidade Escolar. O tema pode ser proposto pelo professor da classe ou pode ser retirado de sugestões existentes no “Jornal Mural”. Pode ser um teatro, um jogral, um coral ou uma música, sempre com o propósito de construir com o grupo um reconhecimento da arte e do artista.

Além disso, foi introduzida no Projeto a chamada “Pesquisa Curiosa”, composta por atividades elaboradas pelo docente para envolver a família do aluno. Atividades como pesquisa, leitura de livro ou a execução de uma simples receita, fazem desta etapa um forte vínculo do responsável com a vida escolar da criança.

 

Alunos na apresentação de teatro

 

— Todo esse projeto nasceu a partir do contato da equipe pedagógica com o trabalho pessoal da professora Sheila Ramos. Desde 2009, ela tem trabalhado para construir uma nova perspectiva de leitura que possa levar seus alunos a conhecer mais do mundo que os cerca e a aprender com ele. Com aproximadamente 14 narrativas, Sheila tem viabilizado a construção de conceitos e abordagens de diversos assuntos a partir do uso do lúdico aliado a uma característica intrínseca de toda criança: a curiosidade. Suas histórias contam com um forte apelo infanto-juvenil de modo que seus personagens são caracterizados para estar o mais próximo possível da realidade do seu público leitor. — afirma a diretora Maria Ines.

Sua personagem principal é Ana Maria (Anapédia), menina de 10 anos que protagoniza a maioria das histórias e também é parte integrante do projeto da escola.

 

Apresentação teatral do alunos da professora Sheila

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/SUBE/CRE (10.19.038) E. M. Professora Pedro Mota Lima
Telefone: 3394-2916
Email: empmota@rioeduca.net

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724

 


 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 27/06/2016

Fazendo Cinema nas Escolas da 10ª CRE

Tags: 10ªcre, cinema, artes.

 

 

 

Professor de artes cênicas da 10ª CRE desenvolve produções audiovisuais com alunos desde 2003 e conquista diversos prêmios.

 

Em 2003, o professor de artes cênicas, Claudio Garcia, mudou a estratégia de suas aulas, trocando o teatro pelas produções audiovisuais. Desde então, já produziu mais de 100 vídeos nas Escolas Municipais Monteiro Lobato e Narcisa Amália, ambas localizadas em Guaratiba.

No começo, sem muita experiência, produzia muitos filmes documentários e programas de tv em forma de debate. Com o tempo, começou a fazer filmes de ficção que logo conquistaram espaço em festivais e mostras audiovisuais. Em 2015, completou 10 anos consecutivos com filmes na Mostra Geração do Festival do Rio e comemora todo ano como se fosse a primeira vez.

— Fico feliz de poder levar alunos para verem seus filmes na tela grande. Alguns alunos pisaram pela primeira vez em um cinema para assistir ao próprio filme. — comenta o professor Claudio.

 

 

Professor Claudio Garcia com alunos da E. M. Monteiro Lobato, no Festival do Rio 2015.

 

Em suas aulas, os alunos são responsáveis por sugerir ideias e temas para os filmes. Depois de escolhida a melhor ideia pelo grupo, os alunos partem para a escrita do roteiro, escolha dos papéis e funções que cada um deve desempenhar. Na sequência, entram na fase de gravação, onde os próprios alunos são responsáveis pela filmagem, captação do áudio, direção, produção e atuação. A edição, geralmente fica a cargo do professor, mas alguns dos filmes foram editados pelos próprios alunos.

Claudio percebe que há uma melhora significativa na relação dos alunos envolvidos com suas atividades como estudantes. Fazer um filme é um trabalho coletivo, onde os alunos assumem suas funções e as desempenham com muita responsabilidade. Além disso, com a valorização de sua autoestima, o aluno se sente mais confiante e interage mais nas atividades de sala de aula nas outras disciplinas.

— Um dos objetivos deste trabalho é dar voz a esses jovens, potencializando o protagonismo juvenil. Fazer um filme sobre assuntos de seus interesses, cria um canal de comunicação direto com os outros alunos, que se veem representados e por consequência valorizam o trabalho dos alunos produtores. E todo mundo ganha. — destaca Claudio.

 

Alunas da E. M. Narcisa Amália e a diretora Maria José com os 3 prêmios que ganharam com o filme “Um Dia Quase Perfeito”.

 

Falando em ganhar, os filmes produzidos com a orientação do professor vem se destacando em diversos festivais de cinema no Brasil e até no exterior. Esse ano dois dos filmes realizados na E. M. Narcisa Amália conquistaram troféus de melhor filme em festivais nacionais: “Um Dia Quase Perfeito” (2014) - 1º Festival de Cinema Estudantil de Alvorada-RS, realizado em fevereiro e “Ai, Cadê Meu Cartão?” (2015) – 7º FestCine/Festival de Cinema Estudantil de Barra do Piraí/RJ, que aconteceu no dia 21 de maio.

Alguns festivais renderam tablets, netbooks, câmeras e computadores, para os alunos, para o professor e para a Unidade Escolar. É o caso dos prêmios conquistados em São Paulo, no Festival Literatura em Vídeo, onde disputaram com filmes de alunos de escolas públicas e particulares de todo o Brasil. Em 2011, venceu com “Dona” (E. M. Narcisa Amália/2011) e em 2012, com “Vida em Manchetes” (E. M. Monteiro Lobato/2012) e os alunos viajaram para a festa de premiação acompanhados do professor Claudio.

 

O Professor e os alunos da E. M. Monteiro Lobato recebendo prêmio por “Vida em Manchetes”, na premiação que aconteceu em São Paulo, em 2012.
 

Também ganhou 2 anos seguidos o Concurso Tirando a Droga de Cena, promovido pela Prefeitura do Rio com dois filmes da E. M. Monteiro Lobato: “Viajando na Parada” (2010) e “Homem Que É Homem” (2011). 

 

Os alunos da E. M. Monteiro Lobato com seus netbooks conquistados no Concurso Tirando a Droga de Cena 2011.

 

No entanto, o professor gosta de frisar que os prêmios são resultados de muito esforço e dedicação dos alunos, mas não são o objetivo do trabalho.

— Não fazemos filmes pensando em prêmios. Buscamos fazer bons filmes para que os adolescentes curtam. Nem sempre conseguimos. Alguns filmes tem um excelente processo, mas o resultado final nem é tão bom. Mesmo assim inscrevemos alguns em festivais, porque acho importante poder trocar com outros jovens que estão produzindo conteúdo audiovisual em suas escolas. E se o prêmio vem, fico feliz porque sei que cada um deu o máximo de si e fez por merecer. — afirma Claudio.

 

O Professor e os alunos responsáveis pelos filmes da E. M. Monteiro Lobato e E. M. Narcisa Amália
ao final do debate na Cidade das Crianças.

 

Em 2015, a 10ª CRE convidou o professor Claudio a fazer uma mostra de seus filmes na Cidade das Crianças. Além dos alunos realizadores da E. M. Monteiro Lobato e da E. M. Narcisa Amália, mais seis escolas estiveram presentes, onde durante 1 hora assistiram a 10 filmes de curta metragem e participaram de um debate com os responsáveis pelos filmes.

Em 2016, Claudio está realizando 4 filmes na E. M. Monteiro Lobato e 5 na E. M. Narcisa Amália. Em junho, os roteiros - que já estão sendo escritos pelos alunos - serão concluídos e na sequência começam as gravações.

 

Alunos da E. M. Narcisa Amália gravando o filme “Um dia Quase Perfeito”

 

E paralelamente Claudio ainda consegue tempo de levar sua carreira de ator. No teatro, segue realizando apresentações da peça em que atua e, também, escreveu e dirigiu: “Valentim Mestre” que conta a história de Mestre Valentim, genial escultor brasileiro do século XVIII responsável por inúmeras intervenções artísticas e urbanísticas do Rio de Janeiro no período colonial. 

Na TV, participou de algumas novelas da Rede Globo, “Fina Estampa”, “Amor à Vida”, “Império” e a mais recente delas “Liberdade, Liberdade”, onde fazia um carcereiro.

 

Claudio em cena em Liberdade, Liberdade.

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com as Unidades Escolares.

E/SUBE/CRE (10.26.002) E. M. Monteiro Lobato
Telefone: 3407-6324
Email: emlobato@rioeduca.net

E/SUBE/CRE (10.26.005) E. M. Narcisa Amália
Telefone: 3377-1212
Email: emnamalia@rioeduca.net

Blog do professor Claudio Garcia: 
http://nvguaratiba.blogspot.com/

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share