A A A C
email
Retornando 330 resultados para a tag '2ªcre'

Segunda-feira, 17/12/2018

Cultura Indígena: Conhecer, Respeitar e Valorizar

Tags: 2ªcre, literatura.

 

Os alunos do segundo ano da Escola Municipal Albert Schweitzer participaram de uma atividade que proporcionou o conhecimento e a valorização da cultura indígena.

A Lenda do Filtro dos Sonhos

 


A professora Anne Silvia, regente da turma do 2º ano na Escola Municipal Albert Schweitzer, contou ao portal Rioeduca sobre o projeto relacionado à cultura indígena, desenvolvido com seus alunos.


Como atividade inicial a professora pesquisou junto com os alunos sobre a cultura indígena. Depois conversaram sobre a existência de várias tribos, seus costumes, tradições e regiões onde habitam. E assim, montaram um cartaz coletivo com as descobertas.


Durante a pesquisa, a professora conta que mostrou aos alunos um objeto e perguntou se alguém o conhecia. Alguns alunos responderam: “A minha tia tem.”, “A minha mãe também tem.” e “Eu já vi em uma loja.”. Mas ninguém soube dizer o nome e nem a sua origem.

 

 


Após esse questionamento, a professora disse para eles que aquele objeto se chamava Filtro dos Sonhos. Explicou que o Filtro dos Sonhos é um amuleto de proteção que surgiu na tribo indígena norte-americana Ojibwa, e que depois chegou as tribos indígenas do Brasil. Contou também que segundo a lenda, o filtro teria o poder de purificar e filtrar os sonhos ruins. E que hoje em dia muitas pessoas (indígenas ou não) ainda usam esse objeto como amuleto, ou simplesmente para decorar suas casas.

 

 


Em seguida, a turma ouviu uma das várias lendas que existem sobre os filtros. Lenda do Filtro dos Sonhos que foi escolhida para leitura:

 

“Uma aranha fiava sua teia próximo à cama da avó. Todos os dias ela observava a aranha trabalhar. Alguns dias depois, o neto entrou e, ao ver a aranha na teia, pegou uma pedra para matá-la. Mas a avó não deixou. O garoto achou estranho, mas respeitou o seu desejo. A velha mulher voltou-se para observar mais uma vez o trabalho do animal e, então, a aranha falou:


" Obrigada por salvar minha vida. Vou dar-lhe um presente por isso. Na próxima Lua Nova vou fiar uma teia na sua janela. Quero que você observe com atenção e aprenda como tecer os fios. Porque esta teia vai servir para capturar todos os maus sonhos e as energias ruins. O pequeno furo no centro vai deixar passar os bons sonhos e fazê-los chegarem até você.”


Quando a Lua chegou, a avó viu a aranha tecer sua teia mágica e, agradecida, não cabia em si de felicidade pelo maravilhoso presente: “Aprenda”, dizia a aranha. Finalmente, exausta, a avó dormiu. Quando os primeiros raios de sol surgiram no céu, ela acordou e viu a teia brilhando como joia, graças às gotas de orvalho capturadas nos fios. A brisa trouxe penas de pomba que também ficaram presas na teia, dançando alegremente e, por último, um corvo pousou na teia e deixou uma longa pena pendurada. Por entre as malhas da teia, o Pai Sol sorria alegremente. E a avó, feliz, ensinou todos da tribo a fazerem os filtros de sonhos. E até hoje eles têm afastado o pesadelo de muita gente.”

 

(Fonte: Texto de Adília Belotti | Via: Somos Todos Um)

 

As crianças adoraram a lenda, ficaram encantados com a sua magia. Após a leitura, a professora propôs que cada um fizesse o seu próprio filtro. Eles adoraram a ideia! Ela ajudou na parte mais difícil, a “teia” e também na colagem para formar o círculo. Os pequenos colocaram as miçangas e as penas.


Quando os alunos terminaram de confeccionar os filtros, a professora Anne conversou com eles sobre os sonhos do sono (que são fantasias /pensamentos durante o sono) e os sonhos que são desejos (anseios que poderão se tornar realidade).

 

 

 

Cada criança teve a oportunidade de falar sobre os sonhos bons e ruins que costumam ter durante o sono. Depois, conversaram sobre os sonhos que eles têm vontade de realizar. Essa parte foi muito interessante e produtiva. A professora perguntou qual o sonho (desejo) de cada um, e o que eles achavam que poderiam fazer para conquistá-lo. Alguns alunos responderam: “Para realizar esse sonho preciso estudar muito.” e “Preciso de muito dinheiro para conseguir.”


Para finalizar, a professora pediu para cada um escrever no papel e amarrar no filtro o sonho que gostaria de realizar. E assim vários desejos foram para o papel: “Quero ser veterinária”, “Quero ser médica.”, “Quero ser jogador de futebol.”, “Quero ir para a Disney.”

 

 

 


A atividade realizada possibilitou aos alunos conhecer, aprender e a valorizar mais os costumes indígenas. Com a Lenda do Filtro dos Sonhos, puderam ver como as tradições são passadas de geração em geração e que muitos objetos de origem indígena circulam também fora das tribos. Foi também muito significativo, o momento de contar e compartilhar com os amigos os sonhos que cada um almeja alcançar.


Material utilizado para a confecção dos filtros: jornal, tinta guache, linha encerada, miçangas e penas.
O trabalho desenvolvido também abrangeu:


Língua Portuguesa (escrita / leitura e fixação do dígrafo NH), Matemática (formas geométricas planas) e Ciências (reutilização de material: jornal).

 

Agradecemos a professora Anne Silvia por compartilhar conosco esta atividade de incentivo a leitura, ao conhecimento e ao respeito a cultura indígena. 

 

Quer saber mais?

O contato da Escola Municipal Albert Schweitzer é: emschweitzer@rioeduca.net

Telefones: 2245-5572 2225-1692

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 29/11/2018

Aprender Ciências é Bom Demais!

Tags: 2ªcre, ciências.

 

Os alunos do 5º ano da Escola Municipal Mata Machado participaram de atividades lúdicas que ajudaram a fixar o conteúdo de Ciências do 4º bimestre.

 

 

As professoras Daniela Loureiro e Renata Carvalho, regentes das turmas de 5º ano da Escola Municipal Mata Machado, trabalharam dentro do conteúdo do 4º bimestre o Sistema Solar e as Fases da Lua. As atividades propostas foram muito criativas, envolvendo materiais diversos, o que despertou o interesse dos alunos.

 

 

 

 

A primeira atividade foi sobre o Sistema Solar. As crianças tiveram a oportunidade de montar um Sistema Solar percebendo a existência dos oito planetas, suas órbitas e sua posição em relação ao Sol. Para isso foram necessários os seguintes materiais:

 

  • Um LP ou bandeja redonda de papelão;
  • Massinha colorida;
  • Papel laminado;
  • Cola.

 

 

 

Em duplas, os alunos montaram as maquetes consultando o Caderno Pedagógico, observando tamanho e ordem dos planetas em relação aos outros e ao Sol. A atividade foi muito divertida!

 

 

 

 

A segunda atividade foi sobre as Fases da Lua. Para materializar o conteúdo, os alunos montaram uma pequena maquete, demonstrando as quatro fases da Lua. O material utilizado foi:

 

  • Biscoito com recheio branco;
  • Colher de plástico;
  • Prato descartável.

 

Reunidos em duplas, os alunos esculpiram nos biscoitos os desenhos referentes as quatro fases da Lua. Sem dúvidas, essa atividade, além de divertida, foi muito gostosa!

 

 

 

 

 

 

Eu gostei muito do trabalho do Sistema Solar, porque eu aprendi muita coisa. Eu não sabia a ordem certa dos planetas. No trabalho sobre as fases da Lua foi tudo maravilhoso e a professora explicou tudo direitinho para a gente. No dia 12/11, a gente fez uma atividade deliciosa com biscoitos. Além de deliciosa, a atividade foi muito interessante." – Isabelle Castro, aluna da turma 1.501, comentando sobre as atividades desenvolvidas nas aulas de Ciências.

 

Agradecemos as professoras Daniela e Renata por compartilharem conosco estes relatos de atividade lúdicas que ajudam na construção do conhecimento.

 

Quer saber mais?

O contato da Escola Mata Machado é: emmatta@rioeduca.net

Telefones: 2493-0898 2492-1224

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 27/11/2018

Darwin e a Seleção Natural: Guerra de Bicos

Tags: 2ªcre, ciencias.

 

Os alunos da Escola Municipal Francisco Manuel participaram de uma aula prática de Ciências para compreender melhor como funciona a seleção natural.

 

Para um melhor entendimento sobre a seleção natural e como ela funciona, os alunos do sétimo ano da Escola Municipal Francisco Manuel foram convidados pela professora de Ciências, Deborah Senra Amado, a participarem de uma desafio: A GUERRA DOS BICOS.

Com as observações de Charles Darwin nas Ilhas de Galápagos, a aula prática visou simular o processo de seleção natural através da disponibilidade de alimentos da ilha.

 

 

 

A atividade foi realizada com grande sucesso e interesse dos alunos, que na busca pela “alimentação”, puderam perceber com clareza que na natureza os recursos são limitados, e nem sempre dispomos dos melhores meios para sobreviver.

 

Com o objetivo de refazer as observações do famoso cientista, Charles Darwin, os alunos foram divididos em grupos de quatro integrantes. Dessa forma, foi feita a distribuição das sementes aleatoriamente para cada grupo. Os integrantes do grupo escolheram um tipo de simulador de bico pegador de sementes,  coletaram as sementes em trinta segundos e as contaram.

 

 

 

 

As sementes coletadas em cada rodada deveriam ser separadas. Após cinco rodadas, de trinta segundos cada, foi observado quais sementes foram coletadas e quais sobraram. Os alunos que não conseguissem pegar nenhuma semente eram eliminados do jogo. No final da atividade, os alunos verificaram quais sementes foram coletadas e por quais pegadores.

 

 

 

 

Assim os alunos puderam perceber que na luta pela sobrevivência, aqueles que dispõem dos melhores mecanismos de caça, mais adaptados aos recursos disponibilizados pelo meio ambiente, tem mais chances a sobrevivência.

 

 

 

 

Desta forma, os alunos entenderam como age a seleção natural, selecionando os seres vivos mais adaptados ao ambiente, enquanto os demais vão sendo eliminados, já que não conseguem se adaptar.

 

Todos os alunos gostaram muito de realizar a atividade. A aluna Isabela conseguiu pegar trinta e quatro sementes com uma tesoura serrilhada, pegando sementes de mamão, melão, maracujá e laranja. Ela conta que achou legal ser um pássaro por um dia, isso a fez entender melhor a seleção natural. Já para o aluno Arthur, que escolheu um pregador duro para pegar as sementes, a atividade não foi nada fácil, pois era de difícil articulação. Mesmo assim, para ele a experiência valeu, pois foi divertido e interessante, esclarecendo melhor a seleção natural.

 

Por fim, a aluna Bruna Gabriela escreveu que a atividade da seleção natural foi bem divertida, porém foi difícil pegar algumas sementes. Com isso, ela pôde perceber que nem todos os pássaros conseguiriam sobreviver, apenas os que conseguissem pegar uma maior diversidade de sementes. Ela conseguiu coletar sessenta e quatro sementes e foi a vencedora do jogo reunindo o maior número de sementes com uma maior diversidade.

 

Agradecemos a professora Deborah Senra por compartilhar conosco estas atividades de ensino de Ciências e desejamos sempre muito sucesso a toda comunidade escolar.

 

 

 O contato da Escola Francisco Manuel é: efmanuel@rioeduca.net

Telefones: 3238-4592 ou 3238-4591

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 13/11/2018

Aprender a Ler de A a Z: O Aniversário do Senhor Alfabeto

Tags: 2ªcre, alfabetizacao, literatura.

 

Os alunos do terceiro ano da Escola General Humberto de Souza Mello participaram, ao longo do ano, de um projeto de incentivo à leitura que culminou com uma grande festa de aniversário.

 

O projeto “Aprender a Ler de A a Z” envolveu a comunidade escolar e despertou nos alunos o gosto pela leitura. A professora Vera Nácia iniciou o projeto com a turma no início do ano com o objetivo de motivar os alunos a lerem e a escreverem e, secundariamente, mas não menos importante, desenvolver algumas competências socioemocionais como responsabilidade, cuidado, empatia e amabilidade. Em reportagem anterior a esta, é possível conhecer mais sobre o projeto, basta clicar aqui.

 

Comemoração do aniversário do senhor Alfabeto.

 


No mês de setembro, aconteceu a culminância do projeto: uma festa de aniversário para o senhor Alfabeto. Os alunos demonstraram-se entusiasmados e envolvidos com a organização da festa, que gerou muita leitura e escrita durante as aulas.


Etapas da segunda fase do projeto:

 

 

  • Confecção da lista de presente;
  • Preparação de presente e cartões de aniversário;
  • Confecção do convite;
  • Preparação da festa: lista das comidas e bebidas, arrumação do painel e da mesa;
  • Oficina de cupcake com o tema letras;
  • Comemoração do aniversário do senhor Alfabeto e das crianças que fizeram aniversário no mês de setembro.

 

Cupcakes preparados na oficina.

 

 

Atualmente, a professora Vera Nácia está regente da Sala de Leitura da escola e a professora Flávia Rossi deu continuidade ao projeto com a turma, iniciativa que também foi abraçada pela direção da Unidade Escolar.

 

 

Alunos animados comemorando o aniversário do senhor Alfabeto.

 


Abaixo seguem alguns relatos dos alunos sobre a participação no projeto:

 

“Cara, tipo ... eu tô muito ansiosa pra festa dele, ai meu Deus!!!” - Aluna Ketlen falando com as amigas da turma sobre o aniversário do senhor Alfabeto.


“Tia, posso levar o Senhor Alfabeto para casa? - Aluna Ana Luisa

 

“Essa foi a melhor festa de aniversário que fui.” - Aluno Daniel

 

“É tão gostoso fazer cupcake, que delícia!” – Aluna Samyra

 

Agradecemos a professora Vera Nácia por compartilhar conosco registros esta atividade de incentivo a leitura e a escrita, mostrando como as atividades lúdicas são importantes no cotidiano dos educandos. Desejamos sucesso a toda comunidade escolar!

 

Quer saber mais?

O contato da Escola General Humberto de Souza Mello  é: emglmello@rioeduca.net

Telefones: 2284-1569 / 2284-1254

 

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

 


 


   
           



Yammer Share