A A A C
email
Retornando 4 resultados para a tag 'combate'

Sexta-feira, 29/03/2019

CIEP Metalúrgico Benedicto Cerqueira - 5ª CRE

Tags: dengue, mosquito, combate, arbovirose, 5ªcre.

 

As professoras Priscila Rodrigues, Célia Pereira e os alunos do CIEP Metalúrgico Benedicto Cerqueira se engajaram na Semana de Combate às Arboviroses.

Os alunos amaram falar de um assunto tão importante de forma lúdica e criativa. Confira!

 

 

Uma vez por semana, os alunos do 5º ano realizam uma aula de Oficina de Produção Textual. Essa aula tem como objetivo desenvolver a autonomia no processo da escrita, a produção textual criativa e o desenvolvimento do pensamento crítico social. 

 

Em cada aula, é  apresentado um gênero textual e um tema a ser discutido. Em um segundo momento, há uma discussão sobre a temática e uma produção textual a partir das conclusões e trocas feitas durante a discussão. Após isso, há uma revisão e um momento de reescrita para adequar o texto quanto a estrutura, a pontuação,  a clareza, entre outros elementos.

 

 

 

Foi solicitado pela SME, que na semana de 18 a 22 de fevereiro fosse abordada a temática Combate às Arboviroses. Logo, o tema foi trabalhado com atividades diversificadas de forma multidisciplinar e lúdica.

 

A Oficina de Produção Textual foi uma das maneira de abordar o tema. Durante a oficina, foi proposto que os alunos da turma 1501 escrevessem histórias em quadrinhos sobre as Arboviroses e os estudantes da turma 1502 elaborassem textos informativos, que divulgassem aos leitores ações de prevenção das doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti.

 

 

 

 

A aula rendeu bons frutos, pois os alunos abordaram a temática com propriedade em suas produções escritas. A aluna Júlia Meira (Turma 1501), por exemplo, continuou a pesquisa em casa e montou um vídeo de animação intitulado “5º ano vs Aedes”, disponível a seguir:

 

 

 

 

Para produzir o vídeo, a aluna utilizou como recurso os aplicativos de celular Gachaverse e KineMaster que possibilitaram a caracterização física e psicológica dos personagens, a elaboração do diálogo e a inserção da trilha sonora. A aluna esclareceu que os “bonecos” ficam disponíveis no aplicativo e o usuário pode caracterizá-los a partir das opções ofertadas.Como pano de fundo, foi usada a música educativa “Zum, zum, zum, zum, zum” interpretada por Yasmin Veríssimo. 

 

Ao continuar a atividade em casa, a aluna demonstra que a aprendizagem quando significativa, perpassa os muros da escola, estimula a continuidade da busca pelo conhecimento e contribui para a formação do aluno pesquisador.

 
 

 


Uma outra atividade proposta para os alunos foi a produção do repelente caseiro. Durante sua preparação, foi possível desenvolver conhecimentos científico, matemático e linguísticos.

 

No campo da linguagem, se trabalhou o gênero textual receita; na matemática foram exploradas as medidas de capacidade, as operações de adição e multiplicação e as relações de custo x benefício (sistema monetário); já no campo científico foi discutida a eficácia do uso do repelente (industrializado e caseiro), assim como, outras formas de prevenção, características do vetor e sintomas das doenças.


Os alunos levaram uma cópia da receita para casa, de modo que pudessem compartilhar com seus familiares.
 

 

Para a culminância da Semana contra as Arboviroses foi elaborado um Quiz com perguntas relacionadas a tudo que foi aprendido em sala de aula. As atividades contribuíram para a construção de cidadãos críticos e conscientes que suas atitudes podem ajudar a melhorar o ambiente em que estão inseridos.

 

O objetivo maior desse projeto foi despertar em cada aluno a sua participação e protagonismo para a resolução de um problema que afeta toda a nossa sociedade. Se todos contribuíssem nesse combate à proliferação do mosquito, venceriamos as Arboviroses. 

 

Recursos utilizados:

Textos de diferentes gêneros sobre as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti (Revista em quadrinhos “ Menino Maluquinho: Maluquinhos contra a Dengue”, folder sobre a Dengue, entre outros.)
Folhas de ofício
Hidrocor
Ingredientes para a receita ( álcool, cravo da índia e óleo de bebê).

Metodologia: aula expositiva dialogada, experiência e pesquisa.

 

Parabéns pelo trabalho tão importante e fundamental na busca de uma melhor qualidade de vida ! 

Essa luta é de todos nós e os alunos do CIEP Metalúrgico Benedicto Cerqueira  já aprenderam, de fato, essa lição!

 

Sobre a escola:

CIEP Metalúrgico Benedito Cerqueira
Diretor: CLEIDE DE ABREU ARAUJO
Endereço: Rua Sidônio País 227
Bairro: Cascadura 
Telefone: 3355-3697
E-mail: ciepbenedito@rioeduca.net 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 19/04/2016

Alunos da Sala de Recursos Multifuncional Reforçam o Combate ao Aedes aegypti

Tags: 6.ªcre, combate, dengue.

 

 

Os alunos da Sala de Recursos Multifuncionais da Escola Municipal Grandjean de Montigny também entraram na luta contra o mosquito Aedes aegypti. Entre você também neste combate!

 

Esta Sala de Recursos, localizada na Zona Norte do RJ – Pavuna, atende alunos com várias deficiências. Segundo a professora da turma, prof.ª Mara Malheiros, eles são assíduos e convivem em harmonia respeitando a limitação do outro.

 

"Esse mosquito é muito perigoso", disse o aluno Ryan Moura

 

A professora Mara Malheiros, regente desta turma, realizou no final do mês de março um trabalho de conscientização de seus alunos na batalha contra o mosquito causador da Dengue, Chikungunya e Zika. Eles foram incentivados a participar de várias atividades de prevenção e eliminação do vetor.

Inicialmente, a educadora conversou informalmente com as crianças sobre o assunto e estes contaram situações familiares envolvendo o mosquito Aedes aegypti. Citaram pessoas que já ficaram doentes e também o cuidado que se deve ter para evitar água parada. Vários recursos foram utilizados para a maior fixação do conteúdo em estudo e atendimento às necessidades educacionais de cada aluno: vídeos, slides informativos, cruzadinha digital e colagem.

 

Incentivar atitudes de prevenção ao mosquito, evitando sua proliferação e, consequentemente, as doenças transmitidas foi um dos principais objetivos da ação realizada

 

Ao final da aula, cada aluno foi nomeado “Agente contra o mosquito”, cargo de muita responsabilidade, sendo orientado a cuidar do ambiente em que vive, alertando sua família e vizinhos. “Temos que acabar com esse mosquito!”, relatou a aluna Manoella Cristiny. 

“É uma proposta a longo prazo, mas espera-se que cada criança contribua e ajude a combater o mosquito, através de suas atitudes, em casa e na escola”, mencionou Mara Malheiros. Graduada em Pedagogia, pela Unigranrio, especialista em Informática Educativa, pela Unicarioca, a professora em questão tem uma vasta experiência na área de Educação Inclusiva e Tecnologia.

 

A atividade realizada pelos alunos e pela professora foi nomeada como Xô, Aedes Aegypti!

 

Ela atua como professora dos municípios do Rio de Janeiro e Nova Iguaçu. No primeiro, trabalha no Atendimento Educacional Especializado às crianças com necessidades educacionais especiais. No segundo, atualmente, exerce a função de Orientação Pedagógica, mas já esteve à frente do Laboratório de Informática Educativa de uma escola de Educação Especial.

Toda essa mobilização promovida pela Professora Mara Malheiros tem como meta alertar não só os alunos e seus familiares, mas também os outros professores e funcionários da unidade escolar para a necessidade de combater o Aedes, pois sua proliferação é uma ameaça importante à saúde pública. O setor educacional tem o potencial de alcançar um público muito grande, por isso a escola é importante centro de mobilização e conscientização da comunidade, interna e externa.

 

A professora Mara Malheiros é graduada em Pedagogia (Unigranrio) e especialista em Informática Educativa (Unicarioca). Foi Embaixadora e Coordenadora da pasta Educação Especial, ambos da plataforma Educopédia.

 

O tema continuará em discussão no ambiente escolar em que se encontram os alunos da Sala de Recurso Multifuncional da Escola Municipal Grandjean de Montigny, devido a necessidade de cuidado permanente com a erradicação dos criadouros do mosquito.

Diante disso, precisamos parabenizar a professora Mara Malheiros por engajar seus alunos nesta ação. A figura da criança como alguém interessado nessa causa irá sensibilizar e recrutar vários adultos para esta luta. Afinal, um mosquito não é mais forte que um país inteiro!

 

Quer saber um pouco mais? Entre em contato coma escola e com a prof.ª Mara Malheiros!


Escola Municipal Grandjean de Montigny / (21) 3358-1080
E-mail: emmontigny@rioeduca.net


Prof.º Mara Malheiros / (21) 964123199
E-mail: 
maramoreira@rioeduca.net

 

Até a próxima semana!

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 22/02/2016

Mobilização dos Estudantes Contra o Zika.

Tags: zica, mec, combate, mosquito.

 

 

 

 

 

 

Ações Para Enfrentamento à Proliferação do Mosquito Aedes aegypti

 

Mais uma vez, o Brasil precisa da participação de todos nas ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre de chikungunya e da febre pelo vírus Zika.

Divulgue essas informações para sua família, seus colegas e para a comunidade em seu bairro. Contamos com sua ajuda no combate ao mosquito e a todas as suas terríveis consequências. O mosquito não pode ser mais forte que um país inteiro.

 

 

Material informativo 

 

Carta aos Diretores

Carta aos Professores

Carta aos Estudantes da Educação Básica

Carta aos Trabalhadores da Educação

Carta aos Familiares

 

 

Material para ser usado na campanha

Filipeta 

Folder

 

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share


Segunda-feira, 10/12/2018

SME e Defesa Civil capacitam servidores para prevenção e combate a incêndio

Tags: combate, incêndio.

 

Secretaria de Educação e Defesa Civil capacitam servidores para prevenção e combate a incêndio

 

Trinta e três servidores da Secretaria Municipal de Educação (SME) participaram nesta sexta-feira (7/12) do curso teórico e prático “Ações de primeira resposta para prevenção e combate a incêndio e treinamento de escape”. A ação aconteceu no prédio sede da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil, no bairro de Vila Isabel. A parceria das duas pastas ocorre desde 2014 e tem o objetivo de formar multiplicadores de conhecimentos em toda a Rede Municipal de Ensino. Para 2019, os protocolos de prevenção, combate e escape de incêndios chegarão aos diretores, professores e estudantes da Rede Municipal.

 

A ação promovida pela Gerência de Desenvolvimento Técnico-Administrativo (GDTA) da SME foi direcionada para servidores das 11 Coordenadorias Regionais de Educação que representam o programa Acesso Mais Seguro.

 

Para a gerente do GDTA, Sandra Kormann, o curso em parceria com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros é um momento de fortalecimento da cultura da prevenção na Rede Municipal de Ensino. “Esse treinamento busca garantir mais segurança para os servidores nas suas práticas do trabalho e na vida deles”.

 

Aura Liane, responsável pelo programa Acesso Mais Seguro na SME, esclarece que haverá ampliação do treinamento para que as escolas se qualifiquem ainda mais para a prevenção. “Os servidores das CREs que foram capacitados visitarão as unidades e, a partir disso, será promovida a divulgação do conhecimento, sinalização e formação de grupos de suporte em relação à prevenção e fuga de incêndios a partir da realidade das unidades”.

 

Instrutor do Centro de Treinamento da Defesa Civil, o capitão do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro José Cleudes Linhares deu lições para identificar riscos residenciais e prediais. “É de suma importância para nós a parceria com a SME porque essa turma sai daqui com outra visão de prevenção e comportamento para o combate ao incêndio, evitando acidentes e multiplicando conhecimento”, disse.

 

 

Na parte da tarde os servidores testaram na prática, com auxílio do capitão Cleudes, o que aprenderam sobre a propagação do fogo. No pátio do prédio da Defesa Civil, eles testaram diferentes tipos de extintores de incêndio para casos de vazamento de gás liquefeito de petróleo (GLP) em cilindro e focos de incêndio em produtos inflamáveis sobre materiais sólidos, como a madeira.

 

A funcionária da Gerência de Educação da 9ª CRE, Sandra Cristine, aprovou o treinamento que recebeu e promete divulgar as lições na coordenadoria e nas unidades que visitar. “Foi muito bom aprender que ações simples podem impedir um incêndio e também como reconhecer os extintores e os seus usos. É um conhecimento que precisa ser levado adiante”.

 

 

Fonte: ASCOM SME

Fotos: Paulo Araújo


   
           



Yammer Share