A A A C
email
Retornando 94 resultados para a tag 'familia'

Sexta-feira, 17/05/2013

A Família, Foco do EDI Buriti Congonhas

Tags: 5ªcre, familia.

Em comemoração ao Dia das Mães, o EDI Buriti Congonhas realizou atividades que demonstraram o carinho que toda a equipe sente pelas responsáveis de seus pequenos, promovendo atividades que agradaram todas as mamães.

 

Na semana de 24 e 30 de abril, o Espaço de Desenvolvimento Infantil Buriti Congonhas realizou atividades com as mães de seus alunos, iniciando assim as homenagens a esta data. As atividades/reuniões do dia 24 foram realizadas por segmento: berçários, maternais I e maternais II e no dia 30 de abril foi a vez do Pré.


“O objetivo destas reuniões é levar as mães a conhecerem a rotina do EDI, a equipe da turma de seu filho(a) e a unidade como um todo. Busca-se, a partir desta interação, o reconhecimento e a parceria com o nosso cotidiano, além de conscientizar sobre a importância do responsável na qualidade do atendimento às crianças, visando estreitar os laços entre família e escola. Também propõe refletir e entender o que é um trabalho em equipe e, ainda, expor o nosso objetivo maior que é o bem-estar e o desenvolvimento da criança”, relata a diretora, professora Luciana Feidman Prietos.


Durante as reuniões, foram realizadas atividades que propiciaram o envolvimento do responsável no projeto anual do EDI Buriti: "Nessa Bossa eu vou... Descobrindo a magia de Vinicius de Moraes”.

 

Projeto com Foco na Família

 

As atividades das reuniões referenciaram o projeto com foco na família, assim distribuídas:

 

  • Berçários - a reunião foi realizada em parceria com a pedagoga Maria José, representante do CRAS Zózimo. Os assuntos tratados foram: rotina da creche, papel da família na educação da criança e desenvolvimento infantil;

 

 

  • Maternal I - num primeiro momento, para se ambientarem ao projeto e à magia de Vinicius de Moraes, os pais ouviram a música "A Casa". Em seguida, realizaram atividades de dobradura de casa e um desenho da família, valorizando sempre a importância da família na vida da criança;

 

 

  • Maternal II - foi realizada uma conversa informal com os responsáveis sobre a importância da família no contexto escolar. Depois, fizeram uma atividade em que desenharam as suas famílias e escreveram sobre o que a família representa na vida de cada um.

 

Segundo a diretora, professora Luciana Prietos, as reuniões foram muito proveitosas e agradáveis, abrindo um canal de troca e parceria muito importante para a qualidade do atendimento à criança.

 

Desejamos que todas as mamães do EDI Buriti Congonhas tenham vivido no dia das Mães muitos momentos de alegria e prazer ao lado de seus filhos amados, assim como todas as mamães professoras e funcionárias.

 

Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Visitem, acompanhem e comentem os blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheçam os blogs da 5ª CRE.

 

Acompanhem, também, nosso grupo no Facebook:

https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

 

                               


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 28/01/2013

A Escola da Família

Tags: 1ªcre, familia.


 

Nossos jovens já estão quase voltando às aulas. Para muitos, é um momento de alegria, no qual poderão rever os amigos, e se preparar para novos desafios. Para outros, no entanto, é uma época de ansiedade, por estarem iniciando os estudos em uma nova instituição, ou por terem vivido uma experiência difícil em algum período de sua vida escolar.

 

São muitos e diversos começos e recomeço,s mas de uma questão temos certeza: para que o aluno construa ao longo do ano letivo uma história de sucesso, as duas instituições, Escola e Família devem formar uma equipe, pois tem em comum o objetivo principal, que é a educação de qualidade.

 

Escola e Família - Equipe de Sucesso

 

Escola Municipal Portugal.
 

 

Sabemos que durante o ano, conflitos de ideias ou opiniões surgem, e que há problemas a serem solucionados. Por isso mesmo, é fundamental que os pais participem e conheçam o projeto pedagógico da instituição, frequentem as reuniões, visitem o espaço escolar e acompanhem de perto a vida do seu filho. Isso é possível, olhando os cadernos e livros, dialogando sobre como foi o dia na escola e, desse modo, estreitar cada vez mais os laços entre o jovem, a escola e a família.

 

Escola Municipal Marechal Espiridião Rosas

 

Em nossa sociedade, a família e a escola são legal e moralmente as duas grandes agências socializadoras responsáveis pela educação de nossas crianças. Segundo o texto da Constituição Federal de 1988, artigo 205 “A Educação, direito de todos e dever do estado e da família, será promovida com a colaboração da sociedade, visando o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.” Portanto, acreditamos que juntos, família e escola podem trabalhar para uma educação cada vez mais eficaz e eficiente.

 

Escola Municipal Floriano Peixoto

 

Para a aproximação maior de pais e responsáveis, as unidades escolares realizam eventos, culminância de projetos, palestras e encontros. No entanto, sabemos que há pais que trabalham durante toda a semana e, por isso, as unidades escolares da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro têm um Calendário Escolar Anual, no qual as Reuniões dos Responsáveis são realizadas aos sábados. As Creches e EDIs (Espaços de Desenvolvimento Infantil) também contam com pelo menos um sábado por mês para comparecerem às unidades, com a finalidade de participarem ainda mais da vida escolar de seus filhos.

 

 

 

Ações de Parceria 

 

 

Escola de Pais-  Todos os sábados, os pais ou responsáveis pela criança que frequenta o PIC (Primeira Infância Completa) têm aula sobre como cuidar de bebês e crianças no que se refere aos seguintes temas: nutrição, saúde, estimulação do cérebro e fortalecimento dos vínculos familiares. Cada espaço conta com uma biblioteca circulante, que contém livros para bebês que os pais levam para casa e devolvem no sábado seguinte.

 

Escola de Pais na Creche Arara Azul

 

Mães Voluntárias - Uma das ações do Programa Escolas do Amanhã, é a presença de mães que se dispõem  a atuar na instituição com o objetivo de sensibilizar alunos e famílias sobre a importância da escola em suas vidas. Elas também auxiliam monitorando a frequência e o comportamento dos alunos e suas relações.

 

 

A Professora Valéria, Gerente de Educação da 1ª Coordenadoria de Educação afirma que “Nossa sociedade vem passando por várias transformações e nossas famílias acompanham essa transição. Existe uma gama diversa nas formações familiares. Contudo, para os educadores e a escola, o conteúdo é mais importante do que a forma. Família e escola convergem suas ações para um mesmo objetivo: a formação de sujeitos que aprendem a conhecer, a fazer, a conviver, a ser, enfim, que aprendem a ser felizes."

 

 

Escola Municipal Morro dos Telegráfos

 

A partir desses projetos, programas e ações desenvolvidas em nossas escolas, temos a certeza que cada ano será um marco de crescimento na parceria entre responsáveis e educadores, afinal o salto de qualidade na educação é uma questão de compromisso com a vida de milhares de jovens, que precisam ultrapassar seus desencontros e alcançar uma educação qualificada e feliz!

 

Calendário Escolar 2013

 

Clique AQUI para conhecer o Calendário Escolar 2013 e já anotar em sua agenda o seu compromisso com os encontros que terá com a instituição de seu filho. Também indicamos o Livro "Depende de você: como fazer de seu filho uma história de sucesso" de Andrea Ramal e que já faz parte das bibliotecas de nossas escolas.

 

 

Desejamos um 2013 de muito sucesso e qualidade para professores , pais e alunos!!!!

 

 

* Professor, queremos conhecer e divulgar o blog e os projetos desenvolvidos por sua escola. Aproveite este espaço que é feito para nós! Entre em contato com o representante do Rioeduca em sua Coordenadoria e participe. *

 



Professora Rute Albanita
   Representante Rioeduca.net da 1ª Coordenadoria Regional de Educação
ruteferreira@rioeduca.net
Twitter: @Rute_Albanita

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 21/01/2013

Família, a Chave do Sucesso!

Tags: 6ªcre, família.

 

Não basta ser pai ou mãe, tem que participar! Esse slogan é verdadeiro e a cada dia se faz mais necessário. Destacaremos aqui a importância da força da família e  mostraremos que amar é participar ativamente.

 

 

Você está em casa, sentado no sofá, e seu filho faz a grande revelação: "Quero ser piloto de avião!". Depois, decide que, mais do que piloto, quer ser o comandante para usar um uniforme ainda mais bonito e falar ao microfone da aeronave. No outro dia, diz que, em vez de querer estar na cabine, o sonho mesmo é sentar em uma poltrona de passageiro e viajar pelo mundo.

 

 

E agora? Você dá corda a cada mudança de planos ou tenta ajustar o sonho dele ao que acredita ser bom e possível? Em seguida, você pensa no velho conceito: "o que é bom para mim, também é bom para ele?". A resposta vai chegar daqui a alguns anos. E, ao longo desses anos, o sonho vai mudar. O que todos os pais querem, na verdade, é que os filhos tenham sucesso na vida e, assim, sejam felizes. Então, cabe à família educá-los para realizarem seja qual for o  seu sonho.

 

 

 

A animação "Família e Escola" fala sobre a influência dos pais nas decisões dos filhos.

 

 

Essa jornada começa com o que chamamos ambiente empreendedor. Uma educação nesses moldes permite à criança, mais do que realizar sonhos, desenvolver valores como ética, autonomia, criatividade, colaboração, perseverança, sustentabilidade e capacidade de tolerar a incerteza e, também, de aprender com os erros. Esses valores são fundamentais para que eles tenham um sonho que realmente valha a pena.

 

 

 

Educação formal, transmissão de valores, experiência e paixão pelo que faz. A família pode, sim, ajudar seu filho a ter sucesso na vida.

 

 

Exemplo, Conversa e Brincadeira

 

 

Mas, afinal, como se cria um ambiente empreendedor? Primeiro, dando o exemplo. Não adianta falar sobre ética e respeito ao próximo e maltratar todos. E, quando falamos em ética, não estamos só nos referindo às relações interpessoais, mas, também, com o meio ambiente e com tudo o que nos cerca. O empreendedor não olha apenas para si, mas para toda sociedade.

 

 

Em segundo lugar, com muita conversa. Um canal de diálogo aberto com as crianças é fundamental. As conversas devem acontecer de forma natural, com base nas experiências trazidas pelas crianças. Se seu filho chega em casa contando que os meninos da classe estão tirando sarro de uma menina, pergunte como ele agiu. Ele fez coro com os amigos ou ficou quieto? É possível ter boas discussões sobre valores brincando. Afinal, essa é a  linguagem que as crianças entendem e, cá entre nós, a mais gostosa.

 

 

 

A família deve ser a principal responsável pela formação da criança, além de apoio importante no processo de adaptação para a vida em sociedade. Uma boa educação dentro de casa garante uma base mais sólida e segura no contato com as adversidades culturais e sociais.

 

 

É Hora de fazer de Conta!

 

 

Parece óbvio que as crianças devam brincar, mas não é isso o que costuma acontecer. De olho no sucesso dos filhos no futuro, muitos pais incluem novos cursos ou experiências, mas deixam a brincadeira de lado.

 

 

O melhor da brincadeira é que ela diverte, permite a troca de afeto e, realmente, ensina. Ao brincar sozinha, a criança desenvolve criatividade e autonomia; ao se divertir com um amigo, aprende ética e colaboração. E, em cada brincadeira, outros valores vão sendo conquistados. Ao colocar as roupas do pai ou da mãe, ela desempenha papéis que poderá ter no futuro. É uma espécie de treino!

 

 

Muitas vezes, a correria do dia a dia limita os elementos da família, porque se pensa que o melhor está nas brincadeiras mais elaboradas. Segundo a educadora Maria Ângela Barbato, Coordenadora do Núcleo de Cultura, Estudos e Pesquisas do Brincar da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), não precisa ser nenhuma brincadeira tradicional ou elaborada, que obrigue a família a planejar com antecedência.

 

 

Família e Escola, a Chave do Sucesso!

 

 

O dia a dia nos mostra que os amigos contam na formação da personalidade a partir de determinada idade, normalmente entre os 10 ou 12 anos. Entretanto, há que se  apostar na influência que os pais tiveram durante a primeira infância na criação de valores. "A partir de certa época, os filhos saem da família e vão ver o que há no mundo. É aí que os pais precisam acreditar na educação que deram às crianças. Os filhos buscam outro modelo, mas inspirados nos valores aprendidos em casa", afirma a psicóloga Sandra Leal Calais, professora da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

 

 

Para ajudá-las a percorrer esse caminho, não podemos deixar de lado, naturalmente, a importância de uma educação de qualidade. Mas, pensando em um ambiente empreendedor, o que seria uma boa escola? Certamente a que, além do conteúdo, provoca na criança o desejo de buscar novos conhecimentos  nos mais diversos meios.

 

 

 

É impossível colocar à parte escola e família, pois, se o indivíduo é aluno e filho, ao mesmo tempo, a tarefa de ensinar não compete apenas à escola, porque o aluno aprende através da família, dos amigos, das pessoas que ele considera significativas, dos meios de comunicação, do cotidiano. Sendo assim, é preciso que professores, família e comunidade tenham claro que a escola precisa contar com o envolvimento de todos.

 

 

 

 

É necessário que família e escola interajam de forma responsável, como parceiras de caminhada, pois ambas são responsáveis pelo que produzem, podendo reforçar ou contrariar a influência uma da outra.

 

 

A família pode oferecer muito mais levando seus filhos a teatros, cinemas, shows, museus, parques, zoológicos, fazendo-a conhecer novos lugares. É assim que a criança conhece outras histórias, diferentes da sua. E, quanto mais exposto a atividades diversas, mais chances  a criança terá de encontrar algo que realmente lhe dê prazer, seja por hobby ou profissão.

 

 

Família e escola precisam criar, através da educação, uma força para superar as suas dificuldades, construindo uma identidade própria e coletiva, atuando juntas como agentes facilitadores do desenvolvimento pleno do educando. É preciso, portanto, que a família (independentemente de sua composição) cumpra os seus deveres, assim como, a Escola faça valer sua proposta pedagógica como meta, para que ambos possam atingir seus objetivos na formação dessas crianças e jovens adolescentes.

 

 

Para tornar, portanto, a escola um ambiente empreendedor, o primeiro passo é estabelecer regras que fortalecerão essa parceria, permitindo que a aprendizagem dos filhos e alunos se efetive claramente através de seus desempenhos, tanto no lar quanto na escola.


 

 

 

 A Escola sozinha não conseguirá levar a diante a responsabilidade de educar e ensinar, já que a responsabilidade maior da escola está em ensinar e a da família está em educar. A especificidade da Escola não pode ser desviada para funções que não sejam suas e o ensino deve ser aplicado para o crescimento intelectual, social e econômico de cada aluno, individualmente.


 

 

 

 

 

É de suma importância o comparecimento dos pais  na escola dos filhos. Não basta apenas olhar cadernos e perguntar como estão, é preciso participar, fazer-se presente nesse acompanhamento. Através dessas ações, efetiva-se a parceria que a escola precisa para ensinar com qualidade.


 

 

 

 

De acordo com Içami Tiba, a educação é um projeto, que não pode ser simplesmente de qualquer forma. Deve ser muito elaborada, pois é o futuro do filho e da família que estão em jogo...”. Por isso, as ações de educar e ensinar devem ser compartilhadas entre as duas instituições: família e escola.

 

 

Sinal Vermelho!

 

 

Se por um lado há uma lista de coisas que a família pode fazer para ajudar as crianças, por outro lado, é bom tomar cuidado para não atrapalhar, mesmo com a melhor das intenções. As famílias precisam ficar atentas para não lotar a agenda de seus filhos de atividades ou impedir, aos poucos, seus filhos de sonhar.

 

 

Os responsáveis não precisam se assustar com as ideias malucas que as crianças têm sobre o próprio futuro. Deixe-os sonhar! E nada de  viver antecipando desejos, os quais a família julga que os filhos terão. Por exemplo, se a criança recebe presentes demais, nem consegue escolher o  que deseja ganhar de aniversário. Parece um detalhe, mas desejar é o primeiro passo para que, mais tarde, ela possa realizar seus sonhos e, em seguida, voltar a sonhar.

 

 

 

Cena do filme À Procura da Felicidade - Motivação

 

 

Como vimos acima, não basta ser pai ou mãe, tem que participar! Esse slogan é verdadeiro e a cada dia se faz mais necessário. Esta matéria destaca a importância da força da família e mostra que  amar não é fazer, mas sim participar ativamente. Atuando dessa forma, a família ajudará a tornar seu filho uma história de sucesso nos estudos e na vida!

 

 

Essa matéria é uma homenagem a todas as famílias dos alunos da 6ª Coordenadoria Regional de Educação. Famílias estas que asseguram a sobrevivência dos filhos e o seu crescimento saudável; acariciando e estimulando as crianças no sentido de  transformá-las  em seres capazes de se relacionar competentemente com o seu meio físico e social.

 

 

Desejamos a todas as famílias da 6ª CRE um 2013 de muito SUCESSO! Nós somos a seXta CRE!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na  6ªCRE

Twitter: @PatriciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 04/07/2012

O Banco Verde do PET Fernando de Azevedo

Tags: 10ªcre, riosustentável, pet, riocidadnia, rioescolada, família.

O Pólo de Educação pelo Trabalho, PET, da Escola Municipal Fernando de Azevedo, da 10ª CRE, vem desenvolvendo, desde 2008, o projeto do Banco Verde, iniciativa louvável, em tempos de Rio +20, quando tanto se fala em sustentabilidade

 

Sustentabilidade, segundo a definição que encontro aqui no meu Houaiss eletrônico, é a característica ou condição do que e sustentável, isto é, daquilo que pode ser sustentado, passível de sustentação.

 


Então, quando falamos em abastecimento renovado do conjunto das substâncias necessárias à conservação da vida, estamos nos referindo à sustentabilidade.

 


Foi exatamente a partir das reflexões sobre o meio ambiente, sustentabilidade e produção diária de toneladas e mais toneladas de lixo, que surgiu, no Pólo de Educação pelo Trabalho da Escola Municipal Fernando de Azevedo, a proposta de se criar o Banco Verde.

 


A professora Marilúcia Galvão Ferreira da Silva, idealizadora do projeto, começou a incentivar os alunos e também professores a participarem de ações relacionadas à coleta seletiva do lixo no âmbito da Escola Municipal Fernando de Azevedo.

 


A partir daí, na oficina de protagonismo juvenil do PET, que faz parte do Programa de Extensividade da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, foram surgindo muitas ideias, com a implantação do Banco Verde, do Bazar Verde e da possibilidade de reaplicação dos projetos em outras unidades escolares, com a primeira franquia já funcionando na Escola Municipal Princesa Isabel, que fica ao lado da E. M Fernando de Azevedo.

 

 

 


De 2008 até hoje, o Banco Verde do PET Fernando de Azevedo vem  alcançando resultados magníficos, com premiações desde 2009, quando o projeto foi classificado em primeiro lugar no Prêmio Inovar para Crescer nas Escolas, tendo como tema: “soluções para problemas urbanos”.

 


Em 2010, o Banco Verde voltou a ser premiado em primeiro lugar, em concurso promovido pela Fundação Banco do Brasil e Revista Fórum Região Sudeste, na categoria “Aprender e Ensinar Tecnologias Sociais”.

 


Com a brilhante trajetória de realizações, menções honrosas e prêmios, o Pólo de Educação pelo Trabalho da Escola Municipal Fernando de Azevedo  foi convidado a formar parceria com o Projeto Carioquinha, oportunidade em que foram abertas mais quatro agências temporárias do Banco Verde.

 


Naquela oportunidade, os alunos do PET Fernando de Azevedo recolheram, em dez dias de trabalho, cerca de duas toneladas de garrafas PET, recebendo como premiação um passeio pelos pontos turísticos da Cidade do Rio de Janeiro, em ônibus fornecido pelo Programa Carioquinha.

 


Segundo a professora Marilúcia, em matéria publicada na Revista Fórum, na seção “Aprender e ensinar tecnologias sociais – transformação e desenvolvimento em debate na escola”, o Banco Verde possui moeda própria, que é utilizada na troca de materiais recicláveis levados pelos alunos.

 


A antiga cantina da escola, espaço que estava desativado, tornou-se o banco para as operações de troca. Para cada grupo de dez garrafas pet, por exemplo, é feita a troca por uma moeda verde, que servirá para a aquisição de produtos feitos com os próprios materiais reaproveitáveis ou recicláveis.

 


Ainda de acordo com a professora Marilúcia, para divulgar o projeto, os alunos da Escola Municipal Fernando de Azevedo organizaram um cine clube, cujo ingresso é pago com a moeda verde ou com material reciclável.

 


Outras iniciativas, como a organização de gincanas e o bazar verde, cujos produtos à venda são todos feitos com material reciclável, também contribuem para divulgar o projeto que tanto sucesso vem fazendo no âmbito escolar e na comunidade.

 


Quase tudo é reaproveitado na Escola Municipal Fernando de Azevedo e no Pólo de Educação pelo Trabalho. “As embalagens Tetra Pak são utilizadas na oficina de artesanato e são transformadas em carteiras, que também são vendidas no Bazar Verde. Parte do material é utilizada na oficina de teatro, tanto na produção do cenário, como na confecção dos figurinos. Na oficina de musica, os materiais são transformados em instrumentos, e os papelões seguem para a oficina de pintura. Já na oficina de informática, os alunos montam gráficos do Banco Verde”, conclui a professora Marilúcia, em seu texto publicado na Revista Fórum.

 


O Banco Verde do Pólo de Educação pelo Trabalho da Escola Municipal Fernando de Azevedo vem fazendo tanto sucesso, que não apenas os alunos, mas também alguns professores, pais e responsáveis já abriram a sua conta.

 

 

 

 

 

 

                                       

 

 

 

 


   
           



Yammer Share