A A A C
email
Retornando 94 resultados para a tag 'familia'

Sexta-feira, 26/09/2014

Lugar de Criança... é na Família e na Escola

Tags: familia, escola.

 

A E. M. Senador Francisco Gallotti tem a certeza de que formando a "Equipe Família e Escola" estreitará ainda mais a relação com os responsáveis e construirá um elo importantíssimo no desenvolvimento da aprendizagem dos seus alunos.

 

A Escola Municipal 05.15.053 Senador Francisco Gallotti tem como Projeto Político Pedagógico “Cidadania, nós podemos!”. Diante disso, toda a equipe escolar compreende que a participação da família e da escola na educação da criança é fundamental para o sucesso da aprendizagem. Segundo a Escola Gallotti, a família e a escola formam uma equipe e esta parceria constrói um elo importantíssimo no desenvolvimento da aprendizagem de seus alunos.

 

 

Neste semestre, estamos desenvolvendo o subprojeto "Lugar de criança... é na família e na escola". Esse projeto objetiva estreitar ainda mais a relação com os responsáveis através de reuniões, palestras, eventos e vivência da rotina de nossos alunos. Nos últimos anos, os maiores desafios encontrados em nossa Unidade Escolar referem-se a pouca integração dos pais e responsáveis nos projetos e eventos da escola e na carência do acompanhamento familiar no desenvolvimento escolar dos alunos.

Por isso, resolvemos intensificar nossas ações e estratégias promovendo o dia da família na escola, possibilitando que pais e responsáveis vivenciem um pouco a rotina de nossos alunos. Esse trabalho tem obtido êxito, pois estamos conseguindo sensibilizar a comunidade escolar que está mais participativa e frequente, não só em eventos e culminâncias, mas no cotidiano escolar.

Relato da Coordenadora Pedagógica Professora Claudine Gomes

 

 

Para isso, a equipe da Gallotti resolveu criar um elo com os responsáveis e alunos através da rede social Facebook, criando um meio de comunicação interativo e um aliado de suas ações. Através dele, os responsáveis podem acompanhar as atividades e relatos de satisfação dos demais alunos e responsáveis.

 

De acordo com professora Claudine, o retorno dessas ações está sendo muito prazeroso e gratificante.

 

 

Seguem alguns relatos dos nossos responsáveis:

 

“Foi maravilhoso poder interagir com minhas filhas amadas. Que seja uma caminhada de sabedoria e sucesso para todos esses pequenos.”

 

“Muito bom ver a família participando! Todos ganham: as crianças, os pais e a equipe por ver seu trabalho prestigiado, reconhecido, valorizado. Parabéns!”

 

“Amei tudo, principalmente participar um pouco da rotina do meu filho.”

 

“Foi muito bom participar da rotina da minha filha, adorei.”

 

“Vocês da escola são demais. A cada ano que passa gosto mais e mais da escola. Sinto-me muito feliz.”

 

"Nossa Unidade Escolar seguirá no incansável desejo de trazer cada vez mais a família para a escola, para que juntos possamos proporcionar uma educação de qualidade fundamentada na integração, interação, conhecimento e, principalmente, no amor!", finaliza a professora Claudine Gomes.

 

 

Agradecimentos à professora Claudine Gomes dos Santos, à Coordenadora Pedagógica da Escola Municipal Senador Francisco Gallotti, pela gentileza de nos relatar este trabalho incansável que acontece nas Unidades Escolares da Rede Municipal de Educação.

 

Acesse o Grupo da E. M. Francisco Gallotti no Facebook.

 

 

Publicado por Regina Bizarro, professora representante do Rioeduca na 5ª CRE.

Contato por e-mail:  reginabizarro@rioeduca.net

Grupo Rioeduca.net 5ª CRE: https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 02/04/2014

Autismo: O que Todos Precisam Saber.

Tags: família, saúde.

Classificado como distúrbio do desenvolvimento humano, o Autismo afeta a comunicação, a integração social e a imaginação. Por isso, é muito importante que a criança tenha o apoio dos pais e familiares para uma melhor qualidade de vida e interação social.

 

No dia 2 de Abril, comemoramos o Dia Mundial do Autismo, que foi criado pela Organização das Nações Unidas em 18 de Dezembro de 2007 para a conscientização acerca dessa questão.

 

 

Você sabe o que é o Autismo?

 

O Autismo infantil é um distúrbio neurofisiológico, de causa ainda desconhecida, que afeta o funcionamento do cérebro em três áreas diferentes: a capacidade de comunicar, a capacidade de sociabilizar e a limitação de interesses.

 

Trata-se de uma alteração global do desenvolvimento infantil que se mantém para toda a vida. É tratável, porém não tem reversão até o momento.

 

O Autismo tem vários graus de gravidade, que vão desde o autismo clássico ou Kanner (o mais grave) até à síndrome de Asperger (menos grave). Não é possível diagnosticar o autismo nas primeiras semanas de vida, nem é possível o diagnóstico pré-natal.

 

Esse distúrbio tem maior incidência no sexo masculino do que no feminino. Os primeiros sinais podem surgir entre os quatro e os oito meses de idade, notando-se um atraso na fala e na mobilidade da criança.

Quanto antes um tratamento adequado for iniciado, melhores serão os resultados. É possível ainda que, em crianças que até então apresentavam um desenvolvimento normal, o autismo se manifeste posteriormente, neste caso, sendo classificado como autismo secundário.

 

 

Vejamos alguns sintomas e características do Autismo:

 

  •  Dificuldade de relacionamento com outras crianças.
     
  •  Pouco ou nenhum contato visual.
     
  • Risos inapropriados em situações totalmente fora do comum, sem motivos.
     
  • Aparente insensibilidade à dor.
     
  • Rotação de objetos.
     
  • Preferência pela solidão.
     
  • Inapropriada fixação em objetos.
     
  • Dificuldade de aprendizado com os tradicionais métodos de ensino.
  • Insistência em repetição, resistência à mudança de rotinas.
     
  • Recusa carinhos e às vezes colo.
  • Dificuldade em se expressar, usa gestos ao invés de palavras.
     
  • Irregularidade de habilidades motoras.
     
  • Excesso de raiva, demonstrado sem causa.
     
  • Sensibilidade a alguns sons.
     


O tratamento da doença é composto por várias terapias diferentes, sendo necessária uma equipe multi e interdisciplinar, com médicos, psicólogos e terapeutas para se obtiver um melhor resultado. Porém, o mais importante, é o apoio da família.

 

“Filhos especiais... não chegaram em nossas vidas para nos limitar... mas para nos ensinar a voar.”
 

O uso de medicamentos é feito para atenuar os sintomas, e com o auxílio da reabilitação, da educação especial e o apoio dos pais, a criança pode ter uma melhor qualidade de vida e interação social. Para isso, é importante que o diagnóstico ocorra o mais rapidamente possível. A confusão com outras deficiências como surdez ou desatenção é comum. Nesse sentido são fundamentais as presenças do pediatra e dos professores da pré-escola. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores as chances de superação de possíveis dificuldades ligadas principalmente à educação e aos relacionamentos interpessoais.

 

Apesar de ter sintomas que podem dificultar o aprendizado e a interação social, muitas personalidades conhecidas tiveram autismo infantil, e mesmo assim foram capazes de obras incríveis. Como, por exemplo, o pintor Vincent Van Gogh, o cientista Albert Einstein, o presidente americano Thomas Jefferson, entre muitos outros.

 

“Um dia vamos olhar para trás, observar todas as terapias, compromissos, falta de sono, lágrimas, triunfos, fracassos, ignorância, a sensibilização, as dificuldades, a aceitação, a luta contra a dor no coração, força e amor... E depois vamos sorrir, porque todas essas coisas fizeram o caminho valer a pena... valer cada segundo!”

Liê Ribeiro- Mãe do Gabriel, um rapaz autista, e autora dos poemas do vídeo: "Conscientização do Autismo."

 

 

Compreender esse transtorno pode ser relativamente simples quando estamos dispostos a nos colocar no lugar do outro, a buscar a essência mais pura do ser humano e a resgatar a nobreza de realmente conviver com as diferenças. E talvez seja esse o maior dos nossos desafios: aceitar o diferente e ter a chance de aprender com ele.

 

Fontes Consultadas:

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 25/03/2014

Curso CRIANÇA SEGURA para Familiares e Responsáveis

Tags: familia, formação, segurança.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 13/02/2014

Escola... Lá Vamos Nós!

Tags: familia.

As férias estão terminando e um novo ano letivo está às portas. Saiba como “tirar de letra” essa época de adaptação escolar e preparar seu filho para o ano que começa.

 

 

O início das aulas, muitas vezes, é marcado por insegurança em algumas crianças. Trata-se de um momento de mudança em que é normal sentir medo, principalmente para quem está entrando na vida escolar pela primeira vez.

 

Quando uma criança ingressa na escola enfrenta dois grandes desafios: permanecer em um ambiente desconhecido e se separar das pessoas com quem está acostumada a ficar em casa. Esse momento deve ser muito bem planejado para que ela e sua família fiquem tranquilas nessa nova etapa de suas vidas.

 

A família tem um papel importante para facilitar a adaptação da criança ao novo ambiente, deixando-a mais segura. Devem visitar a escola, se possível, em época de aulas para ver outras crianças brincando, interagir com elas e com as professoras. Isso contribui para que ela perceba e construa o novo ambiente.

 

A escola deve planejar com muito cuidado e carinho esse período de adaptação. A separação dos pais deve ser gradual.

 

O horário de permanência na escola inicialmente será curto, estendendo-se ao longo das duas primeiras semanas, ou até, a criança  sentir-se segura e adaptada.

 

 

Os responsáveis devem participar das primeiras atividades da criança na escola e ficarem no entorno, durante outras atividades. O importante é que a criança não tenha a sensação que está sendo abandonada. Para isso, sempre que sair da escola, o adulto que estiver participando da adaptação junto à criança - preferencialmente o mesmo durante todo o processo - deve despedir-se, avisar que irá buscá-la e não se atrasar. Nunca tentar enganar a criança dizendo que estará lá fora esperando, sumindo de repente ou escondendo-se.

 

Respeite esse momento de transição de seu filho. Chegar ao meio do ano, com os grupinhos já formados, é um grande desafio.

 

Este é um processo natural de amadurecimento e crescimento da criança e é importante que ela seja preparada para ir para escola com segurança, calma e sem agitação ou ansiedade, embora esteja vivendo um momento novo em sua vida.

 

Por mais difícil que seja, por mais apertado que fique o coração, não será diferente nos outros. Os pequenos precisam aprender desde cedo que ir a escola é fundamental.

 


Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11
 

*Imagens :E. M. Jorge de Lima ( 9ªcre)

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share