A A A C
email
Retornando 2 resultados para a tag 'linguaportuguesa'

Quinta-feira, 27/02/2014

Alfabetização: Pesquisa e Ensino.

Tags: 9ªcre, alfabetização, linguaportuguesa, educopedia.

A professora Camila Coelho, da E.M. Professor Helton Álvares Veloso de Castro, da 9ª CRE, vem colaborando para o desenvolvimento de pesquisas relacionados ao processo de Ensino e Aprendizagem no processo de Alfabetização.

O trabalho da professora Camila vem sendo pesquisado pelos mestrandos do PROFLETRAS (UFRRJ) Mario Mangabeira e Janne Braga, professores de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.
 

 

O público-alvo do Profletras é constituído por docentes de todas as gerações de egressos de cursos de graduação em letras e que lecionam língua portuguesa no ensino fundamental. Alguns objetivos principais do programa são:


• O aumento da qualidade do ensino dos alunos do nível fundamental, com vistas a efetivar a desejada curva ascendente quanto à proficiência desses alunos no que se refere às habilidades de leitura e de escrita;

• O desenvolvimento de pedagogias que efetivem a proficiência em letramentos compatível aos nove anos cursados durante o ensino fundamental.

 

Desse modo, a prática de ensino da escrita, em turmas de alfabetização, foi um dos temas analisados na turma da professora Camila. O produto da investigação e reflexão de práticas de êxito resultou na produção de um artigo, intitulado “Desvios ortográficos na alfabetização: motivações fonético-fonológicas.”, a ser publicado na comunidade acadêmica em breve.

 

 

O artigo pautou-se na análise das produções de texto dos alunos da turma. A professora organizou o seu planejamento de modo que atividades de escrita significativa sejam garantidas.

 

 

Para atingir o principal objetivo no processo de alfabetização , a professora , além de incluir a produção textual como prática constante nas aulas, a Educopédia, a sala de Leitura e o Rioeduca são recursos constantes para dinamizar a prática de ensino e motivar a garotada.

 

 

Confira um trecho do artigo:

 

 

Acreditamos que, considerando as múltiplas tendências teórico-metodológicas e recursos, como a Educopédia e o Rioeduca , os professores possam se voltar para a inovação na sala de aula, ao mesmo tempo que, de forma crítica e responsável, possam refletir acerca de questões relevantes sobre diferentes usos da linguagem presentes contemporaneamente na sociedade. Sabemos que o professor precisará responder aos desafios educacionais do Brasil contemporâneo, considerando princípios fundamentais da construção de uma educação linguística que vise a práticas sociais mediadas pela linguagem.

 

 

 

 

 

Referências:

http://www.capes.gov.br/educacao-a-distancia/profletras


FARACO, Carlos Alberto. Linguagem escrita e Alfabetização. São Paulo: Contexto, 2012.

 

Agradecimento especial á professora Camila Coelho, pelas excelentes práticas de alfabetização e pela parceria no programa ProfLetras e aos professores pesquisadores.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share


Segunda-feira, 24/02/2014

Aberta Inscrições para a Olimpíada de Língua Portuguesa

Tags: olimpíadas, linguaportuguesa, professores, olp.

 

A quarta edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro está com as inscrições abertas a partir desta segunda-feira (24). Prazo vai até dia 30.

 

O programa busca aprimorar a prática didática de professores de Língua Portuguesa da Rede Pública em todo o Brasil com o objetivo de desenvolver competências de escrita nos alunos e contribuir com a qualidade do ensino.

 


 

Como se inscrever


Os professores interessados em aderir ao programa podem se inscrever no portal da Olimpíada (www.escrevendoofuturo.org.br). Contudo, para validar a inscrição do professor, é preciso que seja feita também a adesão da rede de ensino pelo portal. No caso das escolas municipais, o secretário municipal de Educação deve fazer a adesão. No caso das estaduais, a adesão fica a cargo do secretário estadual.


Podem participar docentes e alunos dos seguintes anos escolares: 5º, 6º, 7º, 8º e 9º do ensino fundamental e 1º, 2º e 3º anos do ensino médio. Os alunos de 5º e 6º anos participam no gênero Poema, os alunos de 7º e 8º anos desenvolvem textos de Memórias Literárias e os do 9º ano do ensino fundamental e do 1º ano do ensino médio trabalham com Crônica. Os alunos do 2º e 3º ano do ensino médio desenvolvem o gênero Artigo de Opinião.

 

 

Ao longo do ano, haverá cinco etapas de seleção dos textos: escolar, municipal, estadual, regional e, finalmente, a nacional, no mês de dezembro.


Premiações


As comissões julgadoras estaduais vão avaliar os textos e selecionar 500 trabalhos semifinalistas, sendo 125 textos de cada gênero. Nesta fase, os professores e alunos escolhidos recebem medalhas de bronze, livros e participam de diversas atividades de formação de acordo com o gênero em que estão inscritos, como oficinas de leitura e escrita e visitas culturais durante os encontros regionais de formação.


Na etapa seguinte, os textos passarão pela avaliação das comissões julgadoras regionais, que indicam os 152 professores e alunos finalistas. Os professores e alunos selecionados serão premiados com medalhas de prata e um tablet. Suas respectivas escolas receberão uma placa de homenagem.


A etapa final da Olimpíada será realizada em Brasília, em dezembro, quando serão anunciados os 20 vencedores nacionais. Os alunos e professores escolhidos receberão medalhas de ouro, um notebook e uma impressora. As escolas nas quais estudam serão contempladas com laboratórios de informática, compostos por dez microcomputadores e uma impressora, além de um projetor, telão e livros.

 

 

Fonte: http://educacao.uol.com.br/


 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share