A A A C
email
Retornando 45 resultados para a tag 'literatura'

Quarta-feira, 28/10/2015

Ler É Bom Demais!

Tags: 2ªcre, literatura.

 

 

 

Os alunos da Escola Diogo Feijó participaram de uma Semana Literária, e descobriram como a leitura pode ser divertida e prazerosa.

 

A Escola Municipal Diogo Feijó está localizada no bairro do Alto da Boa Vista, e atende alunos da Educação Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental.

Sabendo da importância do incentivo à leitura ainda nos primeiros anos escolares, a unidade escolar realiza atividades que despertam nos alunos o gosto pela Literatura Infantil.

 

Semana Literária na E. M. Diogo Feijó.

 

Na Semana Literária, os educandos puderam se aproximar, ainda mais, do mundo da leitura participando de várias atividades no espaço escolar. O objetivo foi ampliar o contato das crianças com as diversas formas de literatura e, assim, transformar o olhar deles para que os livros possam se tornar objetos de envolvimento e prazer.

 

Momento de contação de histórias realizado pelos alunos.

 

Durante o período da Semana Literária, os alunos participaram de diferentes atividades que incluíram: contação de histórias, peças de teatro, confecção de livros e leitura de poesias. Todas realizadas por diferentes segmentos da comunidade escolar.

 

Peça teatral baseada no livro: "O Duende da Ponte".

 

Momento de trocas de livros incentivando o hábito da leitura.

 

O encerramento do projeto foi no sábado, 8 de agosto, e reuniu os responsáveis para conhecer a produção de seus filhos durante a Semana Literária. Além disso, tiveram o prazer de participar de uma manhã de autógrafos, e entrar em contato com a produção literária de suas crianças. Foi uma manhã muito prazerosa de encontro entre família e escola.

Agradecemos a equipe da Escola Municipal Diogo Feijó por compartilhar conosco esta experiência da Semana Literária. Desejamos sucesso nessa caminhada de incentivo à leitura!

O contato da escola é: emfeijo@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 27/11/2012

III FLIRÃ, Festival Literário da Escola Municipal Irã

Tags: 5ªcre, blogsdeescolas, literatura.

 

Sustentabilidade foi tema do III Festival Literário que aconteceu na Escola Municipal Irã, um evento que mexeu com todos os alunos, incentivando e despertando o prazer da leitura.

 

 

No diia 30 de outubro aconteceu a III FLIRÃ, Festival Literário da Escola Municipal Irã. Estive presente representando o Portal Rioeduca na 5ª Coordenadoria Regional de Educação.


Cheguei cedo, fazia naquela manhã muito calor no Rio de Janeiro, e fui recebida pela diretora adjunta, professora Lúcia Maria Gomes. Logo em seguida, conheci a responsável pela Sala de Leitura professora Margareth Knupffer que, no mês de outubro, compartilhou com o Portal Rioeduca um trabalho desenvolvido com as turmas chamado O Cabelo de Lelê, e o Desfile de Penteados Afro. Baseado em histórias da cultura afro-brasileira, fazia os alunos refletirem sobre o negro em nossa sociedade, principalmente no tocante ao preconceito, além de valorizar o que há de belo em cada um. 
 

Muito solícitas, Lúcia e Margareth me deixaram à vontade para conhecer todo trabalho desenvolvido pelos professores e alunos.

 

Passei a conhecer e observar alguns detalhes que me chamaram atenção, como os Bancos da Leitura, onde alunos sentavam para ler livros que, curiosamente e interessantemente, estavam presos a elásticos. Trabalhos de artes plásticas estavam sendo desenvolvidos no pátio externo da escola alternando as turmas. De hora em hora, alunos faziam o troca-troca de sala de aula para uma atividade sobre meio ambiente diferente. Alunos, na sala do relaxamento, deliciavam-se com música ambiente de sons da natureza. No pátio de trás da escola, alunos alternavam-se no circuito ecológico com a professora de Educação Física. No corredor, alunos deixavam seus recadinhos para uma escola mais sustentável, além de curiosidades sobre os animais. Enfim, era uma escola trabalhando e respirando meio ambiente, através da sustentabilidade.

 

 

 Aunos no circuito ecológico com a professora Mirian, de Educação Física. Alunos nos painéis do corredor cultural.
 

 

 Corredor Cultural Literário

 

A escola estava muito movimentada e seus professores esfuziantes realizavam o que de melhor eles sabem fazer: educar para a vida.

 

 Professora Margareth (Sala de Leitura). Alunos visitando a exposição. Alunos na Oficina de pintura. Obra desenvolvida por Vick Muniz feita a partir de materiais reciclados expostas no corredor literário.

 

 Corredor cultural literário, sala do relaxamento e Oficina de pintura

 

 

Organização do III Festival Literário

 

 

Segundo a professora Margareth, o III Festival Literário foi organizado a partir do projeto desenvolvido durante o ano, em que todos puderam mostrar um pouco do que foi trabalhado.

Seu objetivo foi incentivar e despertar nos alunos o prazer pela leitura.

As atividades foram desenvolvidas em dois dias para que todos pudessem aproveitar ao máximo todos os momentos. No primeiro dia, aconteceu a abertura e várias oficinas: pintura, relaxamento, corredor literário, visita à exposição, quizz e circuito ecológico. As turmas circularam em todos os espaços junto com seus professores. Foi um dia muito especial. No segundo dia, as turmas fizeram suas apresentações além de contarem com a presença das professoras da Sala de Leitura, Angélica da E. M. Luxemburgo e Celeste da E. M. Alfredo de Paula Freitas. Os alunos do GEC Mário Paulo de Brito, acompanhados das professoras Inês, da Sala de Leitura, e Auziléia, de Educação Física, fizeram uma apresentação de dança que abrilhantou ainda mais este dia.

 

Apresentação dos alunos da Escola Municipal Irã

 

 

 Apresentação das professoras Angélica, EM Luxemburgo. Celeste, EM Alfredo de Paula Freitas. GEC Mário Paulo de Brito com o grupo de dança (foto do meio). Visitação de alunos e responsáveis à exposição.

 

 

Construindo uma Irã Sustentável: Reduzindo, Reutilizando, Reciclando e Preservando

 

Os professores das turmas de E.I. ao 6º ano, juntamente com os da Sala de Leitura, Educação Física, Educação Artística, Coordenação Pedagógica e toda a equipe administrativa, devido aos enormes problemas vividos atualmente no mundo, escolheram trabalhar este ano sustentabilidade, aproveitando o evento que ocorreu no Rio de Janeiro, o Rio + 20.


“Tivemos como objetivo desenvolver em nossos alunos uma consciência sustentável para que, quando adulto, suas atitudes responsáveis em relação ao meio ambiente se transformem em hábitos praticados naturalmente. Iniciamos o projeto exibindo, na Sala de Leitura, o filme “Os Sem Floresta” e, após reflexão, cada professor deu início às atividades em sala de aula. As atividades desenvolvidas ao longo do projeto foram realizadas a partir de rodas de leitura com vários livros relacionados ao tema, incluindo: passeios, produções de texto, poesias, vídeos, reportagens, músicas, aulas expositivas no Data Show, construção de instrumentos musicais, brinquedos, gambiarras e outros, utilizando materiais reciclados, além de palestras na Light e CEDAE”, relata a professora Margareth Knupffer.

“No primeiro bimestre, a escola teve como principal objetivo o primeiro R que é Reduzir. No segundo bimestre Reutilizar, aproveitando as técnicas artísticas com materiais reutilizados. No terceiro bimestre Reciclar e no quarto bimestre Repensar”, finaliza a professora da Sala de Leitura, Margareth Knupffer.

É preciso realmente repensar nossos hábitos de consumo que, por muitas vezes, são exagerados.

 

Painés e exposições na FLIRÃ

 

 

Parabéns à equipe Escola Municipal Irã pelo lindo trabalho desenvolvido com os alunos!

 

Visitem e comentem nos Blogs:

Escola Municipal Irã http://escolaira.blogspot.com.br/

Sala de Leitura da Escola Municipal Irã http://www.saladeleituraira.blogspot.com.br/

 

 

 Escolas e professores participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos.

Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro.

 

Representante do Rioeduca na 5ªCRE _ Professora  Regina Bizarro

Twitter: @rebiza / Facebook: rebiza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                                


   
           



Yammer Share


Quinta-feira, 11/10/2018

Fica a Dica: Bom Dia, Poesia!

Tags: blogrioeducadores, educopédia, mídias, especialistas, educação infantil, creches, edis, professores de educação infantil. sala de leitura. poesia, literatura.

 

Fica a Dica: Bom dia, Poesia!

 

"Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato
de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios."

Manoel de Barros

 

 

 


Chegou o dia mais esperado para quem acompanha o Blog Especialistas - Dicas de Educação Infantil! O tema hoje é comandado pela Professora da Sala de Leitura , Andréa Fróes. Ela trabalha no CIEP Chanceler Willy Brandt , 3ª CRE (Coordenadoria Regional de Educação). Andréa enviou seu projeto, pois também acompanha os pequenos da Educação Infantil e Pré - Escola no encantado mundo dos livros.

A poesia está em todos os cantos, e pode ser pensada, imaginada, escrita e cantada. Um olhar para o céu, segurar num raminho de flores já é mais que suficiente para inspirar a poesia. Na escrita falamos de amor, dor e também de crianças, bichinhos, nuvens coloridas, seres encantados. O céu é o limite para despertar as emoções.


A professora Andréa percebeu que todos os dias, as crianças chegavam à Unidade Escolar, e ficavam sentadas, ou correndo até que iniciasse as aulas. Claro que não era muito tempo, mas nada impede que os cinco minutos diários começassem com gotas de poesia.


Como a professora faz isso em cinco minutos? Pois bem, há toda uma preparação prévia e pensada com carinho. Ela escolhe poesias que contemple desde os pequeninos até os maiores. Em formato ofício e letras grandes ela se dedica a separar as poesias que encantam a todos. Para que não estrague com o manuseio, ela plastifica os papéis e as seleciona por idade. Com carinho ela lê em rodinha para os pequenos e grandes!

 

“As crianças começam a se interessar a chegar mais cedo e já entram na escola motivadas. Percebo que até os funcionários e professores estão encantados! Está dando muito certo!  Estou formatando os poemas e está ficando bem legal. As poesias ficam plastificadas no lugar onde fazemos e eles estão se interessando em ler tudo!” -  conta a Professora.

 

Andréa faz parte desta multidão de professores incansáveis, que não se aquietam, ao contrário, se inquietam, e aproveitam cada minuto para ensinar, compartilhar, trazer a beleza da Educação às crianças. Ela se emociona:

“Tudo que é feito com AMOR passa para as gerações futuras. Acredito que isto que se inicia aqui, eu mesma não veja o fruto (a Educação demora para germinar, crescer, e dar frutos), pois agora estamos SEMEANDO O BEM para um futuro lindo com lindos frutos!”

 

E o que é a Poesia?

 

Aproveitamos a importante determinação da Andréa, para falar um pouco sobre esses versos que tocam nossa alma de um jeito que nem sempre sabemos explicar o motivo. O termo Poesia advém do grego poiesis que em sua acepção significa criar, fazer. Em toda história no mundo, houve alguém que através de evocações impressões imagéticas, sons, ritmos harmônicos criou, recriou e fez da poesia, a linguagem dos sentimentos e sensações.

A poesia  aguça a sensibilidade, a cognição e a imaginação. A prosa e o verso podem ser compreendidas pela criança como diversão, um jogo de palavras. Quando memorizado e repetido, possibilita que os pequenos se atentem aos conteúdos, à forma, aos aspectos sonoros da linguagem, como ritmos e rimas, além das questões culturais e afetivas envolvidas. Porém, na poesia o que vale mesmo é o que ela nos faz sentir, e cada ser percebe segundo suas próprias emoções, sensações essas que nem sempre podem ser descritas. 

 

Nomes como Manuel Bandeira, Vinicius de Moraes, José Paulo Paes, Sérgio Capparelli, Tatiana Belinky, Sidónio Muralha, Manoel de Barros, Maria Dinorah, Cecília Meireles merecem destaque no cenário da poesia infantil. Eles e outros tornaram-a mais próxima da criança, mais leve, mais divertida com várias possibilidades em sua forma, linguagem, e modo de dizer o mundo o real e o possível de ser imaginado pela criança.

 

Dicas para Utilizar a Poesia na Educação Infantil:

 

  • Ler poesias para as crianças;
  • Convidar os responsáveis para um “Chá com Poesias”;
  • Realizar projetos de literatura;
  • Enviar livrinhos de poesia para casa, para que as famílias leiam com seus filhos;
  • Brincar de cantigas de roda;
  • Escrever em blocão ;
  • Desenhar ou pintar enquanto escuta a poesia ou a cantiga;
  • Professor escriba, transmitindo para o blocão poesia coletiva onde cada criança fala o que sente;
  • Folhas Impressas e plastificadas com poesias diversas;
  • Ter na sala de atividades o cantinho da poesias, com livros de diversos autores e diversificados tamanhos

 

Fica a Dica de  autores de livros de Poesias para Educação Infantil :

 

  • Manoel de Barros;
  • Vinicius de Moraes;
  • Ruth Rocha;
  • Toquinho;
  • Cecília Meireles;
  • Carlos Drummond Andrade;
  • Mario Quintana;
  • Sérgio Capparelli.


Para finalizar, deixamos com vocês o poema que a Professora criou para o Fica a Dica :

 

 

 

Curtiu a #DICA da equipe da Professora Andréa?
 

Então, além de aprimorar seus conhecimentos a respeito da importância da Poesia na Educação Infantil você pode participar nos enviando dicas, experências ou um relato sobre um projeto desenvolvido com seus alunos.

 

 

 

Estamos aguardando!

Envie sua experiência para:

ruteferreira@rioeduca.net

 

Curta e Compartilhe!!!


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 05/04/2016

FANFIC: Uma alternativa para o Letramento Literário na Educação Básica

Tags: fanfic, leitura, literatura.

 

 

 

 

A leitura literária na educação básica compreende um caminho que perpassa pela construção de novos sentidos do processo de ensino-aprendizagem que viabilizem percursos da formação docente e discente em consonância com os novos tempos, marcados pela presença maciça das mais recentes tecnologias de comunicação e informação. Em tal cenário, uma das questões que se destaca é a que trata do letramento literário. Neste sentido, a partir das concepções originadas no campo da Linguística, o termo letramento se ampliou, favorecendo a reflexão acerca do ensino de literatura.


Hoje se fala em letramento científico, letramento tecnológico, letramento econômico, letramentos múltiplos etc. Em sua gênese, a palavra letramento se constituiu pela tradução para o português do termo literacy, em inglês, que significa “a condição de ser letrado”. Ou seja, refere-se ao domínio de habilidades de leitura e escrita por alguém, em dado contexto de uso das situações sociocomunicativas. De maneira geral, podemos considerar letramento como um fenômeno amplo que exige a interação entre o indivíduo e a sociedade, em situações determinadas de produção de leitura e de escrita.


Ao pensarmos no letramento literário, fundamentamos um conceito de que este pode ser entendido como um fenômeno que é marcado pela presença de uma linguagem específica - a literária -, em que se destacam as marcas de ficcionalidade e de forma discursiva própria, o que já impacta na definição de metodologias de ensino-aprendizagem mais significativas, sobretudo ao considerarmos a presença do ciberespaço no cotidiano da sociedade. Este fato tem requerido caminhos diversificados para o processo de ensino- aprendizagem, favorecidos pelo hibridismo próprio desse espaço e pelo alto nível de interatividade que ele estabelece. Portanto, a imbricação entre educação e tecnologias ratifica a necessidade de revisão das práticas de letramento literário que vivenciamos na escola e fora dela.


Considerando os novos espaços de interação social, mediados pelas tecnologias de comunicação e informação, podemos repensar o ensino de literatura a partir de alguns gêneros, entendendo que as relações humanas são essencialmente mediadas pela linguagem que se manifesta em diferentes esferas (oral, escrita e também digital), de acordo com a necessidade de interação entre os indivíduos.


A proliferação da fanfic (fanfiction) e suas variações (drabbles, fluffy, crossovers) podem ser pensadas como um gênero a ser observado mais de perto pelos estudiosos, sobretudo porque parece resgatar a prática narrativa como um domínio discursivo desejável e manifesto por uma parcela dos jovens na internet. Uma vez que se trata de uma produção escrita de caráter ficcional realizada a partir de uma obra já reconhecida – literária ou fílmica, por exemplo -, a elaboração de uma fanfic apresenta elementos da especificidade da linguagem literária, através da exploração dos elementos dessa ficcionalidade, como a relação entre personagens, espaço e tempo; a duração da história (curta? longa?) e a importância da trama no enredo; a opção pelo estilo (prosa ou poesia); critérios de verossimilhança e etc.

 

A produção da fanfic aponta para uma reflexão importante na questão dos modelos de letramento vigentes: o papel do protagonismo dos seus escritores na elaboração das histórias é fundamental na articulação do modelo ideológico de letramento literário, já que os processos de leitura e escrita, se completam na questão do letramento. Na produção da fanfic, eles são especialmente tratados, pela natureza do processo criativo próprio dela, que se utiliza da intertextualidade e da interdiscursividade de maneira muito peculiar. Ao mesmo tempo, ao recriar novas situações e desfechos pela via da narrativa ficcional, o texto - em maior ou menor grau - manifesta o sentimento humano a respeito da realidade ficcional, auxiliando na compreensão do lugar da literatura e sua relação com o Homem real no mundo contemporâneo e da linguagem como sua expressão máxima.


A literatura surge da necessidade de expressão do Homem ao tentar compreender- se a si mesmo. A partir da especificidade da linguagem que o humaniza e o redimensiona como sujeito histórico, permanentemente “aprendente”, como defende Paulo Freire, ele cria, recria, inventa, transforma. Assim, ao propormos a revisão do modelo de letramento literário autônomo, ainda vigente no ensino de literatura em nossas escolas, substituindo-o pelo modelo de letramento ideológico, favorecemos a adoção de novas práticas de ensino- aprendizagem, que se articulam na realidade das situações vivenciadas pelos alunos e no protagonismo deles.


Pensar tais práticas à luz do pensamento complexo, conforme destaca o pensador francês Morin, permite que professor e aluno estabeleçam nova “tessitura” do saber, recriando outros percursos formativos da construção do conhecimento pelo viés da literatura, entendendo-a como um saber próprio, mas ainda relevante à sociedade contemporânea por oportunizar a problematização de questões atuais e pertinentes à formação ética e estética do indivíduo.


Referências:

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.


LÉVY, Pierre. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu. São Paulo: Ed.34, 1999.

MORIN, Edgar; LE MOIGNE, Jean-Louis. A inteligência da complexidade. Trad. Nurimar M. Falci. São Paulo: Petrópolis, 2000b.


Nogueira, Keila L.D.; Santos, Pollyanna P. A educação literária e novas metodologias de ensino. Disponível em >. Acesso em 29mar.2016.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010


ZAPPONE, Mirian H. Y. Fanfics – um caso de letramento literário na cibercultura? Disponível em . Acesso em 29mar.2016.
 

 

Mônica de Queiroz Valente da Silva
monicavalentes12@gmail.com

Atualmente é professora docente da Secretaria de Educação do Estado do RJ. Tem experiência na área de Educação a Distância e Letras, com ênfase em Língua Portuguesa. Especialista em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestranda do Programa de Mestrado Profissional em Práticas de Educação Básica do Colégio Pedro II.
 

 

 

 

                            

 

 

 

 


   
           



Yammer Share