A A A C
email
Retornando 9 resultados para a tag 'talentosdarede'

Sexta-feira, 02/01/2015

Professora Rita Alves, Talento na Rede, no Brasil e no Exterior

Tags: 5ªcre, eventos, talentosdarede.

 

Atuando há 21 anos na Escola Municipal Pará com a disciplina de Educação Física, a professora Rita Alves também canta e dança no Brasil e no Exterior. Ela é mais um Talento na 5ª CRE e na a Rede Municipal de Educação.

 

A professora de Educação Física, Rita Alves, é regente da Escola Municipal Pará há 21 anos e, desde 1987, atua como cantora, coreógrafa e dançarina da Companhia Folclórica do Rio-UFRJ.

 

 


Na escola, as aulas de Educação Física são voltadas para a arte da dança, para a qual alunos e professores envolvidos se dedicam com muito empenho.

 

Alunos no evento Folcloarte.

 


Nessa longa trajetória, Rita participou de diversos espetáculos, apresentados a milhares de pessoas de todas as idades em inúmeros espaços no Brasil e no exterior com várias motivações, entre eles: RIOJANEIRICES (Folclore do Rio), LEMBRANÇA DE CARNAVAIS (História do Carnaval Carioca), BRASILEIRICES (Folclore de Vários Estados), PELOS MARES DA VIDA (Manifestações Relativas aos Povos que Vivem o Mar), NATAL BRASILEIRO (Pastoril e Reisado Nordestinos), BRASILEIRINHO (Cultura Popular nas Escolas), TAMBORZADA (Tambores do Brasil), CEM ANOS DE FREVO (Comemoração ao centenário de frevo em 2007).

 

 


Participou, também, com coreógrafos e intérpretes da coreografia ENERGIA DO HOMEM,  coreografia para 723 pessoas de 13 danças populares brasileiras na abertura dos Jogos Panamericanos do Rio, em 2007, sob a direção da professora Eleonora Gabriel.


Ela, que viajou com o espetáculo TAMBORZADA, da Companhia Folclórica do Rio-UFRJ, para o Festival Internacional de Danças Folclóricas EL COLORES DEL MUNDO, Tequila, 2014, realizado entre os dias 29 de março e 12 de abril de 2014, no Estado de Jalisco, México, participou também da GALA INTERNAZIONALE DEL FOLKLORE, Universidade de Messina, Itália de 3 a 24 de agosto de 2014, entre outros eventos.

 

 

E não para por aí! A professora Rita Alves atua também como cantora no grupo Sambossa, ao lado da cantora e atriz Kátia Iunes.

 

 

Indicada pela professora Cláudia, CP da Escola Pará, como Talento da Rede, Rita Alves é pura arte!


A professora Rita Alves é mais um Talento na Rede!

 


 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 26/12/2014

Professora Viviane Bianchi, Talento na Dança Cigana

Tags: 5ªcre, eventos, talentosdarede.

 

A paixão pela dança transformou a vida da professora Viviane Bianchi em algo extremamente gratificante. Ela se apresenta com um grupo de dança em vários locais e atividades, além de ter levado uma ex-aluna da escola onde Viviane é diretora, a Escola Municipal Gaspar Vianna.


Desde pequena, a professora Viviane Bianchi, diretora da Escola Municipal 05.14.026 Gaspar Vianna, sempre foi apaixonada pela dança. Lembra que via os artistas dançando nos musicais e ficava imitando os gestos ao som da música. Então, à medida que ela crescia, crescia também sua paixão. Em academias fez jazz e alguns ritmos da época. Gostava sempre de ir aos “bailinhos” para dançar. Na época em que cursava o Curso de Formação de Professores, a professora Viviane estava sempre envolvida no que tivesse relação com a dança.


Segundo ela, na primeira escola em que lecionou, após a conclusão do Ensino Médio, ensaiou uma dança cigana para crianças do primeiro ano e ficou belíssimo, tendo recebido muitos elogios. Após ser aprovada no concurso para professores do Município, deu continuidade a esse trabalho, tanto em turmas regulares, quanto nas de Ensino Especial. Gostava de integrar os alunos com deficiência aos alunos das turmas regulares. "Era a maior realização para todos", diz a professora.

 

 


Em 2009, foi convidada a ocupar o cargo de Coordenadora Pedagógica nesta escola e, como esta função oportuniza um olhar mais amplo à Unidade Escolar. A professora Viviane percebeu que algo faltava quando identificou que alunos do segundo segmento não participavam das atividades escolares, pois nenhum professor era habilitado em dança. Por isso, mil ideias fervilharam na sua cabeça e, logo, logo, viraram realidade. Foi dessa forma que nasceu o Grupo Arte Jovem, composto por alunas e alguns alunos que gostavam de dançar. Esse trabalho durou quatro anos.


"Participamos de muitos eventos, inclusive da reinauguração da escola em 2010. Em 2012, assumi a Direção da Unidade Escolar e, devido à responsabilidade e demandas da função, infelizmente ficou mais complicado dar continuidade aos ensaios. Ainda assim, alguns alunos me procuravam buscando orientação, fato que me deixava muito feliz. Com o tempo, senti que precisava de algo para suprir a carência que a falta dos ensaios deixou em mim. Então decidi aprender a Dança Cigana que, de alguma forma, sempre me seduziu", relata a professora.


Seu primeiro contato com a Dança Cigana se deu no mês de abril deste ano.

 

 


"Apaixonei-me perdidamente não só pelos movimentos, as lindas roupas e músicas que traduzem sentimentos verdadeiros, mas também pela cultura de um povo guerreiro que nunca se deixou abater pelas adversidades e nunca deixou de festejar a alegria de viver. Sem dúvida é uma lição de vida", diz a professora Viviane.

 

 

E continua: "tenho um enorme prazer em fazer parte do Grupo de 'Dança Cigana Magia do Luar' no Espaço Cultural Debby Maia, onde muito aprendi sobre a dança em questão e o respeito e amor ao próximo. Logo, só tenho que agradecer por ter encontrado um caminho tão lindo e me tornar, cada vez mais e a cada dia, um instrumento que pode mudar a vida das pessoas, dos jovens, mostrando que todos têm sempre uma segunda opção... Que dançar é uma bela arte... E que viver faz parte".

 

Sua grande incentivadora, professora Debby Maia.

 

Para finalizar esse belo e prazeroso trabalho, ela que tanto seduziu alunos através da dança, a ex-aluna Vanessa Marques (hoje no Ensino Médio) faz parte desse grupo de dança junto à professora Viviane Bianchi.

 

Professora Viviane Bianchi e Vanessa Marques, ex-aluna da E. M. Gaspar Vianna.

 

 

 

Optchá!

Optchá é uma palavra romani ou romane, língua cigana e significa "Salve". É uma saudação cigana. Seu significado foi dado por Leonardi Santos, bacharelando em Direito pela Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas, cigano clã Lovara e militante político na cidade do Rio de Janeiro.
 

 

 

                              

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/12/2014

A Arte de Encontrar Amigos

Tags: 5ªcre, eventos, talentosdarede.

 

Elisabete Novaes é professora da Rede Municipal há mais de 35 anos. Está aposentada em uma matrícula, mas continua na segunda como professora regente. Faz passeios e eventos com grupos para teatros, cinemas, museus e é muito querida na 5ª CRE. Elisabete é excelente alfabetizadora e mais um Talento da Rede!

 

Elisabete Figueiredo de Lemos Novaes é professora da Rede Municipal há mais de 35 anos e possui duas matrículas, uma aposentada e outra regendo turma na Escola Municipal 05.15.038 França. Tem fincado seu coração no Espaço de Desenvolvimento Infantil 05.15. Rocha Pombo, onde trabalhou durante 23 anos.

Nas duas escolas, Elisabete criou um vínculo de amizade e companheirismo. As professoras Marília Leal e Carla Maria da Fonseca, ambas dirigentes respectivamente das escolas França e Rocha Pombo, são suas admiradoras. Segundo a professora Elisabete, tanto a professora Marília, quanto a professora Carla, além de serem suas amigas, são grandes incentivadoras, pois valorizam o seu trabalho como alfabetizadora.

 

Professora Elisabete e sua turma do 1º ano na E. M. França.

 

 

Talento na Arte de Encontrar de Amigos


Tudo começou em 2009, após a professora Elisabete Novaes ter percebido que grande parte do seu círculo de amizades já estava aposentado ou não dispunha de companhia. Dessa forma se isolavam, quase não saíam de casa e, quando saíam, era para ir a visitas ou festividades familiares. Assim, o círculo de amizades tende a diminuir e a maioria dos antigos amigos de serviço fica afastada. Além disso, a internet ainda é “um bicho papão”.

Nesse momento, ela resolveu ampliar o que chama de “A arte do encontro”, expressão dada por um amigo em homenagem pela comemoração dos seus 60 anos.

“Quando digo ampliar é porque eu já mantinha, ou melhor, mantenho há mais de 25 anos um grupo de amigos em torno de uma 'Poupança em Grupo', com o qual passeamos duas vezes ao ano, além de realizarmos brincadeiras durante o ano visando brindes sem bônus financeiro, apenas prazerosamente”, relata a professora Elisabete.

Entretanto, ela não queria apenas um grupo de passeios para a terceira idade, tinha que ser algo mais profundo e abrangente, algo que também unisse gerações.

Pensando num dia em que os amigos poderiam matar saudades para rirem juntos, para rever aquele amigo que há muito não via, para os que estivessem no dia a dia do trabalho, para aqueles que quisessem fazer coisas fora da rotina; para os que quisessem renovar forças e ideias trocando experiências de vida, fazendo novos amigos, renovando amizades perdidas com o tempo. Por tudo isso, resolveu criar um grupo.

 

Percebendo a necessidade das pessoas serem felizes


“Também percebi que um grupo de pessoas da terceira idade tinha necessidades de fazer as mesmas coisas de outras de qualquer idade, para se divertirem. Percebi e pensei que muitas não saíam de casa não por falta de dinheiro, mas por falta de companhia mesmo, de alguém que as levassem ou até mesmo que quisesse sair com elas”, diz Elisabete.

Elisabete, enfim, queria algo que proporcionasse autonomia e liberdade para as pessoas irem aonde desejassem e sem precisarem de outras para levá-las a programas culturais.

Juntando todo esse emaranhado de constatações, a professora começou, timidamente, a reunir pessoas para irem a Teatros, Shows, Museus, Feira dos Nordestinos em São Cristóvão, passeios culturais ou somente para compras, como em Petrópolis, jantares acompanhados de Teatros ou Cinemas...

 

 


Passeios e compras com os grupos

 

E ela continua: “com o passar do tempo notei fatores que ocorriam decorrentes destes passeios, como autonomia (já citado), autoestima (as pessoas se arrumando mais e preocupando-se com vestimentas e acessórios para os passeios), incentivando nas pessoas a leitura, sentindo necessidade de se manterem atualizadas para saberem onde queriam ir, acontecendo assim um estímulo ao intelecto”.

“Muitas amigas pensam render este trabalho bons lucros, mas não é bem assim. Não no meu caso! Ainda leciono e por vezes tenho que me desdobrar para manter essa atividade, que longe de me dar o retorno financeiro que muitos pensam, é muito prazeroso para mim. Algumas vezes, além de não receber lucro algum, ainda tenho que bancar financeiramente os imprevistos: amigos que não pagaram e quase na véspera avisam que não podem ir após já ter comprados os ingressos. Mas enfim... Tudo isso compensa os objetivos sonhados e por mim alcançados”, relata a professora Elisabete Novaes.

 


Organização do grupo e do passeio

 

Segundo a professora Elisabete, a propaganda ou divulgação do passeio é feita boca a boca, pois apesar de anunciar através do Facebook e e-mail, muitas pessoas ainda possuem dificuldades diversas com o mundo virtual. Dessa forma os amigos que já fazem parte do grupo vão informando a outras pessoas.

“A seleção das atividades culturais acontece de acordo com o pedido ou gosto das pessoas que já fazem parte desse grupo, que por se tão diversificado em termos de idades e profissões, torna-se por vezes uma árdua tarefa. Pesquiso peças de teatro, filmes em salas de cinemas, restaurantes, passeios culturais. Após as pesquisas, monitoro pela internet e por telefone a data de início das vendas dos ingressos para garantir os melhores locais e assentos”, diz a professora Elisabete.

Segundo ela, as atrações de maior sucesso são as comédias, pois grande parte das pessoas do grupo diz que não querem pagar para chorar ou sofrer, querem mesmo rir.

 

 


 

Passeios culturais: teatros.

 


O grupo é composto, na sua maioria, por mulheres ou casais, embora alguns homens apreciem participar. É um grupo bem diversificado tanto em idades como em profissões. Neles engenheiros, professores que estão na ativa, e aposentados, donas de casa, diretores, administradores de empresas, merendeiras, inspetores, manicures, cabeleireiras, militares, etc.

 

 

Comemorações e atividades culturais.

 


Quanto à faixa etária participam das atividades culturais de adolescentes a senhoras de 85 anos de idade, incluindo senhoras viúvas que “bancam” seus passeios com suas aposentadorias. “É muito gratificante ver em algumas ocasiões a interação de gerações. A matriarca, a filha e a neta unidas em um mesmo passeio cultural”, relata a professora.

 

A avó, a neta e a filha num dos passeios.

 

 

Sentimentos se estabelecem nas relações pessoais

 

Elisabete nos conta que o carinho, a paciência e amizade que se estabelece é sempre gostoso de ver sentir. Por vezes senhoras com bengalas, com dificuldades para andar, é recebida com amor por todo o grupo presente.

“Emociono-me quando ouço confidências tipo: “eu nunca fui ao teatro”; “fico muito feliz porque agora eu passeio”; “obrigada Bete, por estar levando minha esposa a esses passeios, eu nunca tive tempo” e outros muitos agradecimentos”, diz a professora.

 


          Atividades culturais e comemorações. Na útima foto, a professora Elisabete com o cantor e                     compositor Benito de Paula.

 

E ela termina sua participação nesta matéria agradecendo a oportunidade desta troca de experiências com o Portal Rioeduca e acredita que sempre vale a pena dividir com alguém um pouquinho de experiência da vida.

Lindo!

 

Parabéns professora Elisabete Novaes e torcemos para que o sucesso esteja sempre em sua volta e que possa desfrutar da amizade das pessoas, oportunizando-as cultura.

 

Agradeço a professora Carla Maria da Fonseca, diretora do EDI Rocha Pombo, pela indicação da professora Elisabete Novaes para esta matéria.


 

Regina Bizarro _ Professora representante do Rioeduca/5ªCRE.

Acompanhe os Blogs das escolas e professores da 5ª Coordenadoria Regional de Educação, clicando aqui.

 

Curta, compartilhe e comente na nossa página no Facebook https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 28/11/2014

Clara Maurícia, Talento na Educação do Rio

Tags: 5ªcre, talentosdarede.

 

Clara Maurícia Braga Fortes é professora da rede municipal do Rio e coordenadora pedagógica do EDI Rocha Pombo. Especializada em materiais pedagógicos, é palestrante, professora de Matemática e excelente boleira. A professora Clara Maurícia faz parte dos Talentos da Rede.


Clara Maurícia Braga Fortes é professora do Espaço de Desenvolvimento Infantil 05.15.805 Rocha Pombo e ocupa a função de coordenadora pedagógica. Em outra matrícula na rede, ela ministra aulas para o terceiro ano na Escola Municipal França, também na 5ª CRE.

Há mais de 25 anos na rede municipal, a professora Clara encanta a todos com sua garra, criatividade e profissionalismo. Exemplo de pessoa humana e mulher de fé, que envolve todo o grupo com seu dinamismo e capacidade profissional, elaborando diversos projetos educacionais e atividades no EDI Rocha Pombo, buscando sempre a qualidade na educação.

 

Alunos com a professora Clara Maurícia na Mostra de Dança da 5ª CRE.

 

Talentosa como ela só, a professora Clara Maurícia é especializada em criar materiais pedagógicos, como máscaras, painéis, fantoches e muitos outros, todos feitos em EVA.

Formada em Matemática, ela dinamiza com os professores oficinas de “Tangran, Material Dourado e Réguas de Cuisenaire".

 

Materiais pedagógicos, painéis e fantoches confeccionados em EVA.

 


"Leciono desde 1983. Sempre trabalhei com alunos da Educação Infantil ao 3° ano e confeccionava jogos e painéis para decorar e incrementar as aulas. Com o boom do EVA, resolvi confeccionar materiais necessários para sala de aula, como painéis, fantoches, jogos, máscaras, aproveitando meus dotes, e também vendê-los para educadores, fonoaudiólogos e psicólogos", relata a professora.

 

Alunos usando máscaras criadas pela professora Clara Maurícia.

 


Ela ainda nos diz que sempre foi apaixonada por Matemática. Sendo assim, resolveu expandir seus conhecimentos matemáticos dinamizando Oficinas de “Tangran, Material Dourado e Réguas de Cuisenaire” para professores em escolas de outras redes, além de escolas da rede municipal do Rio.

 

Oficinas de Tangran, Material Dourado e Réguas de Cuisenaire

 


"Com tantos atributos e afazeres, a professora ainda encontra tempo para realizar seus artigos e artefatos com muita criatividade e empenho fazendo objetos incríveis. E, ainda, nos delicia com seu talento em fazer quitutes, bolos e tortas deliciosos", finaliza a professora Carla Maria Franco da Fonseca, diretora do EDI Rocha Pombo.

 

Clara, exemplo de talento na educação e na vida!

 

Agradeço a professora Carla Maria F. da Fonseca, diretora do EDI Rocha Pombo, pela parceria com o Portal Rioeduca, sem o qual não descobriríamos mais um Talento da Rede: a professora Clara Maurícia Braga Fortes.

Obrigada à professora Clara Maurícia, por enviar fotos e relato da dinâmica do seu trabalho..
 

 

Regina Bizarro _ Professora representante do Rioeduca/5ªCRE.

Acompanhe os Blogs das escolas e professores da 5ª Coordenadoria Regional de Educação, clicando aqui.

Curta, compartilhe e comente na nossa página no Facebook https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/
 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share