A A A C
email

Terça-feira, 12/12/2017

Área Verde da E. M. Camilo Castelo Branco Transforma-se em Sala de Aula

Tags: 2ªcre, literatura, meioambiente.

 

A área verde da E. M. Camilo Castelo Branco é uma grande e rica sala de aula. Nela alunos aprendem História, Matemática, Ciências, Geografia, Literatura e cuidados com o Meio Ambiente.

 


O texto abaixo foi enviado pela professora Jenny Iglesias, regente da unidade escolar, que nos conta sobre a proposta de ter uma horta colaborativa na escola.

Vizinha do imponente Jardim Botânico, a escola tem uma grande área verde, com canteiros de uma horta, muitos jardins, árvores nativas da Mata Atlântica e uma vegetação que atrai muitos animais e, por isso, a equipe pedagógica apostou no seu potencial para incluir no currículo um assunto essencial: a Educação Ambiental.

Este espaço privilegiado recebe a visita de alunos e professores que estudam e aprendem sobre a importância de preservar o meio ambiente e de torná-lo sustentável. Nesta sala de aula ao ar livre fica mais fácil entender sobre o clima na Terra, a erosão do solo, o crescimento dos vegetais, a decomposição de matérias orgânicas que se transformarão em adubo e tantos outros assuntos que escutamos e lemos nos livros didáticos.

 

Professor Roberto, de História, cuida da área verde e usa este espaço como sala de aula para ensinar arqueologia.

 

Através de algumas parcerias, a escola complementa o estudo de Ciências e de Geografia a partir de projetos como o do Ciclo Orgânico, idealizado e coordenado por Lucas Chiabi, que utiliza a escola como ponto de coleta e compostagem de material orgânico recolhido nas residências do entorno. Em troca, alunos e professores da Camilo veem de perto o processo de decomposição de restos orgânicos até a obtenção do adubo.

 

O material é recolhido nas residências em bicicletas que não poluem e ainda incentivam a diminuição de veículos na cidade.

 

Parte deste adubo é utilizado em outro projeto desenvolvido desde agosto deste ano pela profissional Renata Carijó, coordenadora do projeto socioambiental Carpe, que revitalizou os canteiros de uma horta desativada há tempos. Duas turmas de 6º ano participam desta atividade cujo objetivo é a produção de alimentos livres de agrotóxicos que complementarão a merenda escolar.

Cerca de 60 alunos fazem a manutenção dos canteiros, o plantio de alimentos orgânicos, regam as mudas sempre e aguardam ansiosos a primeira colheita de hortaliças, legumes e ervas medicinais, tudo sob a supervisão de Renata, que realiza este trabalho de forma voluntária e tem uma ajuda de custo para a compra de mudas e sementes de ex-alunos da escola.

A Matemática teve destaque no início do processo de revitalização da horta, pois os alunos aprenderam a calcular a área e o perímetro de cada canteiro para distribuir harmoniosamente as mudas. Entre centímetros e metros, os alunos usaram as unidades de medidas para chegar aos resultados! Assim, também se aprende matemática!

 

Renata Carijó, no centro, ensina como plantar as mudas de hortaliças.

 

No dia do plantio, Renata e Lucas na orientação dos alunos.

 

Também a Literatura é mais que fundamental neste projeto pedagógico que tem o apoio da Direção, da Coordenação, dos professores, dos funcionários e dos alunos da Escola Municipal Camilo Castelo Branco. Nas rodas de leitura, os alunos estão lendo um clássico de Monteiro Lobato: A Reforma da Natureza. A obra dialoga com o trabalho feito na horta e com a própria área verde da escola, fazendo-nos refletir sobre a realidade e a ficção, faz de conta e verdade. O que podemos modificar na natureza para melhorar nossas vidas? Esta é uma questão que o livro nos apresenta.

 

Parte da turma 1602 lendo na sala de leitura com a professora Jenny.

 

Ainda se desenvolvem ações em relação ao paisagismo da área e à preservação de espécies nativas da Mata Atlântica. A próxima meta é montar um pequeno orquidário na escola para estudo e ornamento desta bela planta, com a ajuda dos professores. Também conta-se com a parceria do setor de Educação Ambiental do Jardim Botânico e da Fundação Parques e Jardins, que auxiliam no plantio e na doação de mudas, e da Comlurb que faz a limpeza mensal do espaço.

É importante ressaltar que, aos poucos, toda a comunidade escolar se apropria deste espaço público e compreende que é possível preservá-lo e torná-lo mais sustentável!

 

Agradecemos à professora Jenny Iglesias por compartilhar conosco este projeto de integração do Meio Ambiente com o currículo escolar e desejamos sucesso a toda equipe da Escola Camilo Castelo Branco.

O contato da unidade escolar é: emcbranco@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

2ªcre (320)
meioambiente (103)
literatura (38)

Comentários
Parabéns à equipe da E.M. Camilo Castelo Branco pelo excelente trabalho realizado! Essa escola faz parte da história da educação em ciências nessa cidade e faz muito bem em manter essa tradição!!! Abraços e felicitações aos profissionais que atuam na escola!

Postado por MARIA IZABEL ROLIM SILVA em 12/12/2017 20:52