A A A C
email

Sexta-feira, 15/06/2018

Investindo na Comunicação Para a Boa Convivência

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Jorge Luiz acredita no ditado “É conversando que a gente se entende”.

A E/CRE (10.26.028) Escola Municipal Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida, localizada à Rua Alexis Carrel, s/n°, Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, atende a 13 turmas, com 483 alunos do 7° ao 9° ano e Projeto de Aceleração 8. A Unidade tem como diretora, a professora Jane Correa Brandão, como diretora adjunta, a professora Solange Maria da Silva, e como Coordenador Pedagógico, o professor Nelson Rangel Coutinho Neto.

Em 2018, a unidade escolar vem investindo maciçamente no combate ao bullying. Muitas ações pedagógicas, relacionadas às diversas áreas do saber, estão sendo desenvolvidas, no intuito de conscientizar os alunos sobre a importância da boa convivência entre as pessoas. Algumas delas estão diretamente vinculadas à melhora na comunicação e na expressão dos alunos, contribuindo para a geração de um ambiente propício ao entendimento mútuo e ao respeito. 

 

Os professores Aline Valadão, de Artes, e Leonardo Rafael Cerqueira, de Língua Portuguesa, têm trabalhado com o desenvolvimento da comunicação e da expressão dos alunos

 

O objetivo maior de tais ações transcende ao desejo de produzir um ambiente escolar tranquilo e respeitoso e vai ao encontro da necessidade de contribuir para a construção de uma sociedade mais pacífica e solidária.

Nós, professores, observamos uma ansiedade enorme nas crianças. Todos querem falar ao mesmo tempo. No fim das contas, já que todo mundo só fala, ninguém se escuta. Portanto, nada de bom é produzido... Ao contrário, o ruído de tantas falas descoordenadas gera estresse, desentendimento e desconexão. Temos mostrado aos alunos que a falta de comunicação pode conduzir a problemas graves, como o bullying... Não é raro, num espaço sem comunicação efetiva, haver os mal-entendidos que conduzem às agressões. Explico sempre aos nossos alunos que aprender a conversar e a expressar nossas vontades e necessidades é tão importante quanto saber ouvir as solicitações dos outros. Falar e ouvir respeitosamente são atitudes saudáveis, que demonstram empatia e que contribuem para o bom entendimento e para a tomada de decisões importantes. Falar e ouvir direito, no momento certo e com o vocabulário adequado, são atos agregadores, porque geram boa vontade e promovem amizades. E a gente precisa disso, dentro e fora da escola afirma a professora de Artes, Aline Valadão.

 

Além das aulas de Artes, professora Aline Valadão ministra a disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”. Para ela, a disciplina vem obtendo êxito, porque, de modo descontraído, leva os alunos a apreciar textos literários, compreendê-los e traduzi-los em forma de imagens. Tais práticas aprimorariam as habilidades da atenção, da interpretação e da expressão plástica, ampliando a capacidade comunicativa dos alunos.

 

 

Grupos de alunos da disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”, observando criticamente as capas das publicações oferecidas pela professora. Na atividade retratada, cada grupo deveria mencionar pontos positivos e negativos da capa analisada e propor um redesenho, conforme suas observações

 

 

Ilustrações para as capas e os “miolos” de livrinhos contando a história de “João e Maria”

(livre adaptação, baseada na obra dos Irmãos Grimm)

 

Outro aspecto importante da comunicação e da expressão tem sido abordado pelo professor de Língua Portuguesa, Leonardo Rafael Cerqueira. Suas turmas de sétimo ano redigiram cartas aos familiares.

 

Alunos do sétimo ano produzindo e envelopando suas cartas

 

 O trabalho sobre o gênero textual intitulado “carta pessoal” teve como objetivo ressaltar a importância da comunicação entre as pessoas e motivar os alunos para o estudo desse gênero. Esclareci que a carta é um dos mais antigos meios de comunicação e que além da carta pessoal há outros tipos de cartas explicou o professor de Língua Portuguesa.

 

A experiência das cartas fez com que os alunos buscassem se expressar com clareza por meio da escrita. Porém, mais que isso, gerou contatos efetivos entre as crianças e a família, já que as cartas foram, de fato, postadas aos remetentes, via Correios.

 

— A professora Aline Valadão e o professor Rafael chegaram a Unidade Eescolar somando desejos e desafios para fazer a diferença na vida das crianças. Esse ano, a proposta é conter o bullying e fortalece a interdisciplinaridade. As atividades lúdicas fazem a diferença no contexto escolar e na assimilação da proposta do aprendizado.  — afirma a diretora Jane.

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?

 

E/CRE (10.26.028) E. M. Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida

E-mail: empalmeida@rioeduca.net

Telefone: 3317-3194

 

 

Contato para publicações:


 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

10ªcre (403)
cre10 (25)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.