A A A C
email

Terça-feira, 21/08/2018

E.M. Helena Lopes Abranches e a Escola que Queremos

Tags: 7ªcre, projetos.


A Escola Municipal Helena Lopes Abranches vem buscando, nesse primeiro semestre de 2018, refletir e promover, junto com sua comunidade, uma escola participativa e de qualidade para seus alunos.

 

Confira o relato enviado pelo diretor Vitor Hugo Almeida, contando sobre o processo de autoavaliação ocorrido na Escola Helena Lopes Abranches:


Segundo Wallon, a dimensão afetiva ocupa lugar central, tanto do ponto de vista da construção da pessoa quanto do conhecimento. Assim, compreende-se que a Escola é fundamental na formação do ser humano eç na construção de relações afetuosas e mais humanas. Esta, então, deve ser projetada para que seja resultado de um espaço afetivo e estimulador, já que, para ele, “a emoção precede as condutas cognitivas”.


Girling e Keith (1996) afirmam que “o sucesso da escola pode ser impulsionado através da prática de uma administração participativa, voltada para objetivos claros, definidos coletivamente pela comunidade escolar”, o que ocasiona uma relação positiva, entre gestão participativa e a elevação da autoestima das comunidades escolar e local. 

 

 

     Artista plástico Ângelo Campos e painel feito por ele com participação dos alunos.
 

 

 

Escola Municipal Professora Helena Lopes Abranches vem buscando, junto à sua comunidade uma escola de qualidade para todos, viva, participativa, democrática e comprometida com o desenvolvimento pleno de seus alunos. Uma Unidade com identidade própria, com tempo e espaço em constante transformação, buscando a formação de cidadãos cada vez mais críticos e reflexivos, que sejam  corresponsável  nas ações do ambiente escolar.


 

O Processo de Autoavaliação


Em 16 de março, foi iniciado o processo de Autoavaliação com todos os responsáveis da Unidade. O Diretor da Unidade, Professor Vitor Hugo Almeida, recém-eleito, liderou o movimento, juntamente com sua Adjunta, Professora Maria do Socorro de Oliveira Lopes e a Coordenadora Pedagógica, Rita de Cássia da Silva Camilo. 

Foram convocado todos os responsáveis para reuniões, a fim de iniciar o processo de composição do Plano de Ação para o triênio 2018/2020 e traçar as metas para a composição do mesmo. Além de avaliar o princípio do trajeto, os presentes foram convidados a opinar e refletir sobre “a escola que temos” e a “escola que queremos”; processo já ocorrido junto aos alunos e professores, na semana de planejamento e diagnose, consecutivamente.

 


 

Processo de autoavaliação da unidade escolar.

 

 

Após a tabulação dos dados e avaliação de todas as sugestões e críticas elencadas pelos responsáveis, o processo de autoavaliação continuou no Centro de Estudos Integral, de 09 de maio do ano corrente, tendo como base a construção da identidade da escola, com participação de toda a equipe de professores, alunos representantes, pais e funcionários da U.E.

Dessa discussão e a partir de sucessivas reflexões, envolvendo diferentes atores da comunidade escolar, foram estabelecidos os seguintes paradigmas: 

 

* O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E O APRIMORAMENTO DA ESCOLA: A partir do compromisso com a aprendizagem de todos os alunos, a equipe gestora deve valorizar o diagnóstico das potencialidades e eventuais limitações da U.E. para, assim, gerar uma visão compartilhada dos seus desafios e prioridades. Junto com os atores sociais que interagem nesta comunidade, os gestores devem converter as prioridades da escola e da SME em metas e estratégias de ação, assim como potencializar esforços de todos os agentes a favor da execução bem-sucedida do plano de desenvolvimento da escola.


* O PROCESSO PEDAGÓGICO E A QUALIDADE DO ENSINO: Para exercer a liderança no campo pedagógico, é necessário acompanhar o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem e saber agir na superação coletiva das dificuldades enfrentadas pela U.E., construindo, dessa forma, uma comunidade de aprendizagem que favoreça o sucesso escolar de todos os alunos e um “salto de qualidade” nos resultados. Além de promover atividades prazerosas e atrativas, evitando assim a evasão escolar e o insucesso acadêmico.

 

    Festa da Família.

 


Festa da Família com exposição de trabalhos e apresentações.

 

* O DESENVOLVIMENTO DA EQUIPE E O FORTALECIMENTO DA AUTONOMIA: Ao promover a contribuição dos diversos membros da comunidade escolar, a gestão estimula a cultura da participação, fomenta a responsabilidade coletiva pelo sucesso da escola e reduz o potencial de conflito.

 

             Entrega de certificado aos alunos destaques do bimestre.
 

 

* A ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA E A GESTÃO PARTICIPATIVA: A Equipe Gestora buscará construir uma gestão eficaz e promover a melhora dos procedimentos e da organização escolar, com base num constante processo interno de avaliação. Esta irá analisar as responsabilidades e atividades daqueles que trabalham na escola, bem como o uso das  instalações, de maneira que  os recursos humanos e materiais da escola estejam organizados, criando um ambiente de aprendizagem eficiente, seguro e eficaz.

 

               Alunos eleitos do Grêmio Estudantil com o diretor Vitor Hugo.
 

 

* O FORTALECIMENTO E AMPLIAÇÃO DAS RELAÇÕES DA ESCOLA COM A COMUNIDADE: Pelo impacto do contexto social no funcionamento da escola, a Equipe gestora procurará reestabelecer relações de parceria com os pais dos alunos, além de buscar apoio das organizações da comunidade, na busca do bem-estar e da aprendizagem dos alunos, promovendo a participação da comunidade na escola e da escola na comunidade. Desse modo, busca-se também evitar  a evasão, a não regularidade de frequência e os rendimentos insatisfatórios.

 

     Ação Social realizada na unidade escolar.
 

 

Nesse sentido, os processos de autoavaliação propostos tanto pela Unidade Escolar quanto pela SME mostram que a gestão democrática da educação requer mais do que simples mudanças nas estruturas organizacionais. Ela requer mudanças de paradigmas, buscando a construção de uma proposta educacional e o desenvolvimento de uma gestão diferente, promovendo  um fazer coletivo, permanentemente em processo, baseado na concepção de educação de qualidade.

 

O Projeto Anual : Juntos, nós podemos mais!


Com isso, nasce o tema do Projeto Anual de trabalho da Unidade: “Juntos, nós podemos mais!” que visa melhorar o desempenho acadêmico e social dos alunos, além de atenuar problemas de comportamento, por meio de atividades e situações que aperfeiçoem suas habilidades socioemocionais.

O mesmo tem, por objetivos específicos:


* Compreender a necessidade da afetividade no processo de aprendizagem;
* Identificar os elementos que devem ser constituídos para um bom aproveitamento da aprendizagem;
* Analisar a participação da família como um elemento indispensável para desenvolvimento cognitivo do aluno;
* Desenvolver a autonomia responsável, o senso crítico e a criatividade para o exercício do cidadão em seu meio de interação;
* Orientar o sujeito para gerir e construir seu projeto de vida de forma responsável, durante o seu percurso formativo;
* Ensinar com vistas à aprendizagem e aos conhecimentos historicamente produzidos e socialmente válidos.
* Proporcionar instrumentos para a aprendizagem de valores e conhecimentos por meio de estimulação frequente.

 

Com a intenção de traçar caminhos que permitissem investigar a relação entre o afetivo e o cognitivo no contexto da sala de aula, o projeto terá como eixos a relação entre afetividade e cognição no processo de aprendizagem e a relação afetiva do sujeito com os outros sujeitos, como um elemento instigante no processo ensinar-aprender.  

 

Alunos participando da Copa Helena Lopes 2018.

 

 

Equipe da unidade escolar reunida para a Festa da Colheita 2018.

 

Representatividade

 

A ausência de representatividade negra na mídia é um problema que vai além da falta de oportunidade para os negros e menos favorecidos.

O fato destes não se enxergarem na mídia traz problemas como baixa autoestima, insegurança e outros transtornos psicológicos.

Para driblar essa falta de pertencimento, a Escola Municipal Professora Helena Lopes Abranches contou com a ajuda do Artista Ângelo Campos, que dedicou alguns momentos, durante o mês de julho, para não só colaborar com sua expressão artística em prol da representatividade, mas, também fazer com que os alunos refletissem.  

 

                  Mural pronto feito pelo artista Ângelo Campos na unidade escolar.

 

A mulher negra representa nossas mães. Mulheres guerreiras e aguerridas, são elas o espelho de nossos alunos, e todo o respeito à sua imagem.  d

Ava DuVernay, primeira mulher negra a ter um filme indicado ao Oscar pelo filme “Selma”, resume a importância da representatividade. Assim como Viola Davia, em seu discurso na premiação do Emmy: “A única coisa que diferencia as mulheres negras de qualquer outra pessoa é a oportunidade”.

 

A Escola Municipal Helena Lopes Abranches está desenvolvendo o projeto anual : Juntos, nós podemos mais! O projeto tem os seguintes temas por bimestre:


1º - Juntos, nós podemos mais AMOR, onde destaca-se a empatia entre os alunos, famílias e pares da comunidade Escolar;
2º - Juntos, nós podemos mais CULTURA, onde destaca-se a importância dos aspectos culturais na formação do povo brasileiro;
3º - Juntos, nós podemos mais MEIO AMBIENTE, que reflete sobre o uso do homem tem feito à fauna e a flora;
4º - Juntos, nós podemos mais SOLIDARIEDADE, evocando o clima de empatia e colaboração entre os povos, na proximidade do Natal.

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato da E.M. Helena Lopes Abranches:

emabranch@rioeduca.net

 

 

 


 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

projetos (558)
7ªcre (332)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.