A A A C
email

Terça-feira, 26/02/2019

Enfrentamento das Arboviroses

Tags: 2ªcre, ciências, dengue, arboviroses.

 

Os alunos do sexto e sétimo anos da Escola Municipal Francisco Manuel participaram de uma campanha de prevenção as arboviroses.

 

 

Os alunos do sexto e sétimo anos, turmas 1.601 e 1.701, da Escola Municipal Francisco Manuel, localizada em Vila Isabel, voltaram às aulas demostrando grande preocupação contra o vetor transmissor de doenças como Dengue, a Zika e a Chikungunya.


Dessa maneira, foram orientados pela professora de Ciências, Deborah Senra Amado, a procurarem em suas residências ou em bibliotecas públicas materiais (jornais, revistas, panfletos, artigos da internet e propagandas) que abordassem o que tem sido feito pelo governo na luta contra as arboviroses e qual o papel de cada um na luta contra o mosquito.

 

Alunos preparando cartazes com o material pesquisado.

 

 

Além das medidas de combate ao mosquito, também foram pesquisadas medidas preventivas que podem ser usadas no nosso dia a dia. Nesse contexto, os alunos pesquisaram a utilização de uma pastilha, denominadas Dengue Tech, usada em locais que possam haver acúmulo de água, uma vez que tal produto mata larvas, caso elas se formem. 

 

Trabalho em grupos sobre as arboviroses.

 

 

Além disso, durante as aulas, foram feitas discussões sobre o procedimento de  inserção, no meio ambiente, de um mosquito transgênico, incapaz de gerar filhotes.


Esses mosquitos, chamados pelos cientistas de OX513A, são idênticos ao Aedes aegypti – exceto por dois genes modificados, colocados pelo homem. Um deles faz as larvas do mosquito brilharem sob uma luz especial (para que elas possam ser identificadas pelos cientistas). O outro é uma espécie de bomba-relógio, que mata os filhotes do mosquito. A ideia é que ele seja solto na natureza, se reproduza com as fêmeas de Aedes e tenha filhotes defeituosos – que morrem muito rápido, antes de chegar à idade adulta, e por isso, não conseguem se reproduzir. Com o tempo, esse processo vai reduzindo a população da espécie, até extingui-la.


Porém, o que mais chamou atenção dos alunos foi a campanha do Governo Federal ”10 minutos sem Dengue” que visa o investimento de 10 minutos do tempo das pessoas para procurar, na própria casa ou ambiente de trabalho, locais que possam ser focos do mosquito Aedes Aegypt. Os alunos entendem que somos todos contra o mosquito e cada um precisa fazer a sua parte.


Os alunos também leram sobre a importante participação de representantes da Saúde, Educação, Segurança Pública (PM e Bombeiros), Assistência Social, Defesa Civil e Forças Armadas que permite a aquisição e disponibilização de equipamentos e insumos para aplicação de inseticidas e larvicidas.


Muitos alunos pesquisaram informações confiáveis e atualizadas no site divulgado pelo governo (http://combateaedes.saude.gov.br/) e levaram para sala de aula peças gráficas como encartes educativos, cartazes, folders, filipetas, gibis, dentre outros.


Ficou claro aos alunos que existe um grande incentivo por parte dos governantes na luta e no combate as Arboviroses. Essas doenças podem causar microcefalia em recém-nascidos, dores musculares, hemorragia e até mesmo a morte. Por isso, cabe à população reforçar o controle do vetor nas residências e em seus ambientes de convívio.

 

 

Elaboração de cartazes sobre arboviroses.

 

A aluna Maria Luiza Rosa escreveu ao final da atividade que adorou realizar este trabalho, pois ela aprendeu que precisa ter cuidado com o mosquito que transmite doenças perigosas como a Dengue a Zika e a Chikungunya.


A aluna Ana Luiza de Oliveira escreveu: “Para mim a realização do trabalho foi bem legal e fiz mais amigos. Além de, ter aprendido mais sobre como me prevenir das arboviroses.”

A aluna Maria Luiza Santana colocou: “Eu gostei muito do trabalho da aula de ciências. Foi muito legal, pois aprendi alguns jeitos diferentes de enfrentar as arboviroses.”

Os cartazes foram espalhados pela escola e todos os alunos puderam perceber que para se combater as doenças, precisamos combater os focos de reprodução dos vetores, ou seja a água. Para isso, precisamos da ação conjunta de todos. TODOS CONTRA A DENGUE!


Agradecemos a professora Deborah Senra por compartilhar conosco este trabalho. Desejamos sucesso a toda comunidade escolar.

 

 

Quer saber mais?

O contato da Escola Francisco Manuel é:  emfmanuel@rioeduca.net

Telefones: 3238-4592 / 3238-4591

 

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

2ªcre (320)
dengue (61)
arboviroses (23)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.