A A A C
email

Segunda-feira, 02/09/2013

O Surgimento da Infância e a Criança Hoje

Tags: blogsderioeducadores, educopédia, mídias, especialistas.

Partindo do conceito de que toda educação é feita dentro de uma prática social, é necessário entender como a ideia de infância surgiu na sociedade para poder refletir sobre a criança de hoje.

 

As visões sobre a infância foram e são ainda hoje construídas social e historicamente. Primeiramente a criança era vista como um adulto em miniatura.

 

Conforme Ariès (2006), logo que a criança alcançasse algum desembaraço físico, ela passava a participar da vida dos adultos. Ela aprendia o que deveria saber ajudando os adultos. Somente entre os séculos XVII e XVIII se iniciou a construção social da infância.

 

Imagem: http://rioeducainfancia.blogspot.com.br/.

 

Sarmento (1997, p.11) coloca como paradoxo o fato de que “o mundo acordou para a existência das crianças no momento em que elas existem em menor número relativo”. Diz também que mesmo a aprovação da convenção dos Direitos da Criança em 1989 pelas Nações Unidas não foi suficiente para garantir uma melhoria nas condições de vida das crianças.

 

Enquanto o capitalismo vende a imagem única da criança burguesa que deve ser cuidada, escolarizada e preparada para atuação futura, Rocha (1997, p. 27) afirma que “o mito da infância feliz esbarra cotidianamente na violência, no abandono, no consumo infantil, no abuso sexual, etc. que desvelam um outro lado do mundo infantil, dos sonhos, da humanidade, transformando-o numa caricatura perversa do próprio mundo adulto.”

 

Imagem: http://mulheres-sarl.blogspot.com.br/.

 

Atualmente, observa-se uma sociedade centrada no adulto, que enxerga a criança como um vir a ser, e mais uma vez na história, a criança volta a ser vista como um adulto em miniatura. Meninos e meninas que influenciados pela mídia aderem a uma moda e a uma postura muitas vezes sensual. Seus brinquedos são rapidamente substituídos por computadores, vídeo games, aparelhos de mp3, celulares modernos...

 

Imagem: http://www.imagensparaofacebook.com.br/amigos-de-infancia/.

 

Apesar deste olhar adultocêntrico em que a criança é vista a partir do olhar do outro, do não-criança, espera-se que a partir da Educação as crianças possam, em sua totalidade, serem entendidas como “cidadãs, pessoas que produzem cultura e são nela produzidas, que possuem um olhar crítico que vira pelo avesso a ordem das coisas subvertendo essa ordem”. (Kramer, 2010, p. 272)

 

Imagem: elicario.spaceblog.com.br/85760/lembrancas-da-minha-infancia-querida/.

 

E ao pensar as múltiplas realidades da criança hoje e o ideal a ser conquistado, acredita-se que a escola como local de educação e socialização deve pensar e repensar com/sobre a criança para aprender sobre coletividade, individualidade, singularidade, reconhecendo e acolhendo as diferenças.

 

 

Milena Maços das Neves é professora da SME/RJ há dez anos, formada em Pedagogia pela UNIRIO, especialista em Supervisão Escolar pela UGF e em Educação Infantil pela PUC-Rio. Atua na Educação Infantil há nove anos.

 

 

 

 

Cristiane Guntensperger Sousa 

Contatos: cristiane.gun.sousa@gmail.com

Facebook: Cristiane Guntensperger

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

especialistas (33)
blogsderioeducadores (25)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.