A A A C
email

Quarta-feira, 29/08/2018

Fica a Dica: Meu Livro de Folclore

Tags: fica a dica, livro, folclore.

 

Livro: Meu Livro de Folclore

 

 

Ainda estamos no mês de agosto e o Fica a Dica não poderia deixar de falar um pouco da nossa Cultura popular. O Folclore brasileiro é o conjunto de expressões populares composto pela mistura de tradições típicas das diversas culturas que formam nossa identidade nacional.


A dica dessa semana é o livro, “Meu livro de Folclore” do escritor Ricardo Azevedo, que nos presenteia com as riquezas de nosso folclore, através adivinhas, parlendas, trava-línguas, contos e outras e outras manifestações da literatura oral brasileira.


Logo no início, o escritor apresenta o conto do “Sapo com medo d’água”. Como assim, um sapo com medo de água? Na narrativa, dois fugitivos da prisão param na beira da lagoa para descansar e beber água, quando avistam um sapo dormindo debaixo de uma samambaia e resolvem fazer maldade com ele. “Olha que desengonçado! – disse um deles... É feio que dói! – completou o outro...” Primeiro pensaram em jogar o sapo no formigueiro, mas devido sua indiferença resolveram que seria melhor picar ele todinho, estavam dispostos a fazer o bicho sofrer. Nada feito, o sapo começou a assobiar uma linda melodia. As ideias continuam, jogar de cima da árvore, fazer churrasco de sapo, porém nada abalava a tranquilidade do sapo. Até que um deles teve a ideia de afoga-lo na lagoa. Nessa hora o sapo começou a gritar: “Tudo menos isso!” o sapo dizia que não sabia nadar. Mesmo com todas as súplicas do sapo, ele foi atirado no fundo da lagoa. O que será que aconteceu com o sapo? Quer uma dica? A história do sapo é um conto de esperteza.


Quando falamos de Folclore as lendas como a do Saci, menino arteiro que mora na floresta, usa gorro vermelho e anda com uma perna só, são as primeiras lembranças em nossa mente, mas a literatura popular não para por aí.


Quem nunca brincou de “Uni duni tê”, ou cantou bem alto, “Um, dois, feijão com arroz; Três, quatro, feijão no prato; Cinco, seis, no fim do mês; Sete, oito, comer biscoito; Nove, dez, comer pasteis.”?


Quem nunca ouviu frases como “Dar nó em pingo d’água”, “Tirar água do joelho”, ou “Maria-vai-com-as-outras” ? Ah! E os famosos ditados populares, “Em terra de cego, quem tem olho é rei” ou o famoso “Em boca fechada, não entra mosca”. O que será que elas querem dizer?

Que tal exploramos um pouco as brincadeiras de adivinhações e aguçar a curiosidade dos seus alunos? Essa é fácil!

O que é, o que é,
Não consegue andar sozinho
Corre até quando não quer
Pode ser grande ou pequeno
Mas tem o tamanho do pé?

 

Nem preciso dizer que esse tema dá “pano pra manga”, né?!

 

 

Fica a Dica! 


Conto com sua participação, professor(a). Mande também suas dicas e sugestões e vamos explorar o mundo literário!
Até a próxima semana!


 
 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

fica a dica (13)
livro (13)
folclore (2)

Comentários
super dica! mais uma vez,obg Esse livro deve ser usado por todos os professores,principalmente da educação infantil

Postado por Marcia Moredo em 31/08/2018 13:14

Fantástico! Sempre fico com vontade de ler os finais das histórias! ???? Obrigada pela dica!

Postado por Elaine Queiroz em 02/09/2018 13:35