A A A C
email

Quarta-feira, 19/06/2013

Trabalho de Casa é Necessário?

Tags: professor.

Passar atividades para que sejam realizadas em casa é uma rotina dos professores. Porém essas tarefas além de estarem incluídas na rotina escolar e familiar, precisam ter objetivos preestabelecidos.

 

Utilizado em alguns casos como “tradição escolar”, o dever de casa, ou melhor, a prática de passar ou não trabalho de casa, precisa ser repensada enquanto estratégia para averiguação e consolidação dos conteúdos.

 

É através das tarefas que são passadas para casa que o professor pode reavaliar como estão sendo assimilados os conteúdos trabalhados em sala de aula, replanejando e revendo os pontos principais juntamente com os alunos.

 

Incentivar os alunos a participar compartilhando suas respostas. 

 

Ao planejar as atividades que serão desenvolvidas em casa, o professor deve considerar alguns aspectos:

 

• as tarefas devem ser destinadas aos alunos e não aos responsáveis;

• não exagerar na quantidade de exercícios;

• a prática deve ser uma rotina;

• normalmente passada ao final da aula, não deixar de ler e explicar a tarefa pouco antes do horário da saída;

• optar por correções coletivas (para alunos maiores e com mais autonomia);

• procurar corrigir no dia seguinte ou assim que possível, já que se trata de um hábito a ser preservado e fomentado;

• conscientizá-los da importância da execução das atividades;

• valorizar os alunos que cumprem com as tarefas, estimulando os demais;

• o professor pode criar uma tabela e fixá-la no mural marcando se as tarefas foram feitas, para análise posterior com a turma, assinalando se houve melhoras ou não.

 

Professor intermediando a correção de exercício feito pelo aluno na lousa.

 

É claro que na prática, algumas vezes, e não são raras, por mais que os professores pensem em atividades diversificadas e sejam criativos, o retorno por parte dos alunos pode não ser o suficiente.

 

É bom que este momento seja o de refletir no que pode estar contribuindo para esse insucesso. Uma pausa para replanejar, caso os fatos apontem para tal, conversa em particular com o aluno, reunião posterior com a família podem direcionar para o real motivo.

 

A Professora Marcele Lima, que trabalha com 5º ano na E.M. José Clemente Pereira (7ª CRE), que fica na Cidade de Deus, relata que utiliza algumas estratégias com sua turma:

“Eu tenho uma tabelinha e marco quem fez e quem não fez. Cobro e corrijo no dia seguinte. Tem que ter um momento na rotina destinado a isso.”

 

Em relação aos alunos que com certa frequência deixam de realizar as tarefas de casa, Marcele completa:

“Eu acredito na insistência, sabe? Em criar o hábito, e por mais que poucos façam, gradativamente, dependendo da mediação, outros vão entrando 'na onda'!"

 

É isso aí professora! Afinal:

"Não importa o quão devagar você vá, desde que não pare", Confúcio.

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net




 

 

 

                               

 

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

professor (65)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.