A A A C
email

Quinta-feira, 29/11/2018

1º Concurso de Redação do Programa Papo de Responsa

Tags: responsa, redação, polícia civil.

 

Alunos de escolas municipais são premiados em concurso de redação da Polícia Civil

 

"Qual é o papo da minha vida?" Trinta e três alunos das escolas da Prefeitura do Rio responderam esta pergunta de forma criativa e foram premiados nesta quarta-feira (28/11) no 1º Concurso de Redação do Programa Papo de Responsa, uma parceria da Secretaria Municipal de Educação com a Secretaria de Segurança e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

 


A premiação aconteceu na Cidade da Polícia e teve a participação da secretária municipal de Educação, a professora Talma Romero Suane; do secretário de Segurança Pública, general Richard Fernandez Nunes; do chefe da Polícia Civil, delegado Rivaldo Barbosa; e do assessor de Relações Institucionais da Polícia Civil, o delegado Gilbert Stivanello; entre outras autoridades.
 

Desenvolvido pela Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, o programa promoveu, nos anos de 2017 e 2018, dezenove encontros em escolas municipais, abrangendo 4.798 jovens e adolescentes do 9º ano do Ensino Fundamental, do Programa de Educação de Jovens e Adultos e do Aceleração 8. Nos encontros, policiais civis integrantes do Papo de Responsa conversaram sobre segurança pública, direitos humanos, cultura de paz, mediação de conflitos e cyberbullying.

Dos bate-papos surgiu o concurso de redação, o que reforçou ainda mais o bom entendimento sobre os temas e a camaradagem entre palestrantes e o jovem público estudantil. O desafio atingiu escolas de todas as 11 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) da SME.

Para a secretária Talma Romero Suane, o diálogo entre diferentes atores sociais e instituições é importante na formação dos jovens. "Acreditamos que conversando a gente se entende e podemos construir muito juntos. Com ações como o Papo de Responsa podemos mudar vidas e garantir que estes jovens também possam sonhar e alcançar seus objetivos", destacou.

Em nome da SME, a secretária homenageou a Polícia Civil com a entrega com uma placa de agradecimento ao assessor de Relações Institucionais da Polícia Civil, delegado Gilbert Stivanello.

À vontade entre a garotada, o secretário de Segurança Richard Fernandez Nunes disse que iniciativas como o Papo de Responsa ajudam na reflexão dos jovens. "Queremos que os nossos jovens entendam que um concurso desses é também um dos meios para que eles escrevam a sua própria história, promovendo o diálogo na sociedade".

Já o chefe da Polícia Civil lembrou os tempos escolares e pediu que os estudantes valorizem a sua formação. "Fui estudante, ainda sou e entendo os desafios da sala de aula. Temos que colocar o esclarecimento como prioridade. Essa deve ser a nossa missão de vida", afirmou o delegado.

 


Vencedores

A manhã foi de surpresa para os 33 campeões do concurso de redação da Polícia Civil. Somente na premiação o grupo conheceu os três primeiros colocados. Os 33 estudantes tiveram suas redações selecionadas na penúltima fase do concurso - foram selecionados três textos de cada uma das 11 CREs. Destes, a comissão do concurso escolheu as redações classificadas em primeiro, segundo e terceiro lugares. Seus autores ganharam bolsas de estudo para o Ensino Médio.

Feliz com a primeira colocação, Camile da Silva Agostinho, 14 anos, estudante do 9º ano da Escola Municipal Nilo Peçanha, em São Cristóvão, contou que sua inspiração veio de casa: "Eu me inspirei na minha história de vida e no que meu pai me ensinou sobre respeito ao próximo", disse.



Exposição e Música

Nos corredores da entrada principal do prédio da Cidade da Polícia finalistas e convidados para a cerimônia puderam conferir os textos que estavam disputando os três primeiros lugares na exposição "Fragmentos".

Karla Raquel, de 15 anos, Escola Municipal Affonso Penna, em Vila Isabel, não escondeu o orgulho de estar na premiação. "Fiquei muito feliz de ser selecionada. Após a palestra, produzi um texto que fala sobre ouvir todos os lados antes de emitir opiniões. A gente precisa refletir antes de falar", contou a estudante do programa Acelera 8.

Para embalar o evento, a Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca e o Coro da Polícia Civil tocaram e cantaram para a plateia de professores, diretores de escolas, coordenadores de CREs, responsáveis, autoridades e policiais. O grupo de instrumentistas formado por estudantes da Rede Municipal de Ensino entoou do hino nacional ao samba.


 

Fonte: ASCOM SME

Fotos: Hélio Melo


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

responsa (1)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.