A A A C
email

Terça-feira, 26/02/2013

Autonomia com a Vida

Tags: 2ªcre, protagonismojuvenil.

 

No ano de 2012, os alunos do projeto Autonomia Carioca, da Escola Municipal Alencastro Guimarães, visitaram o Museu Casa da Ciência e desenvolveram um trabalho interessante sobre a vida de Cândido Portinari.

 

 

A professora Silvane Tavares entrou em contato com o portal Rioeduca e enviou um rico material contando sobre o trabalho realizado com os alunos do projeto Autonomia Carioca.


O tema foi Cândido Portinari, famoso pintor brasileiro. Os alunos foram até a Sala de Leitura da escola e pesquisaram sobre a vida de Portinari. Após a pesquisa, escreveram sobre a vida do artista falando sobre os trechos que acharam mais interessantes em sua biografia.


Os educandos também visitaram a Casa da Ciência, tiveram contato com várias obras do artista e conseguiram fazer uma ligação entre o que haviam lido e o que estavam vendo. Após a visita, eles participaram de uma oficina.


 

 

 

Um momento interessante foi quando os estudantes fizeram uma releitura das obras de Cândido Portinari que retratavam as brincadeiras de crianças. Os alunos receberam o desenho colorido e produziram um fundo preto e branco, utilizando lápis 4B e 6B. Receberam também o desenho preto e branco e produziram um fundo colorido.


Após esta atividade, acreditando que brincadeira e arte caminham juntas, a escola levou os jovens para brincarem na praça a fim de resgatar a cultura das brincadeiras de antigamente. Os alunos se divertiram bastante jogando pião, taco, bola de gude, pique-bandeira, pulando corda, elástico e soltando pipa.


 

 

 

 

 

Em outra etapa deste projeto, a turma conheceu a história do lugar onde Cândido Portinari viveu e foram convidados a falar sobre o lugar onde vivem. Fizeram uma pesquisa e fotografaram coisas que eram agradáveis no local onde residem e também aquelas que não gostavam. Ao final da pesquisa, cada aluno relatou o motivo de suas escolhas e escreveu uma frase que descrevesse esses espaços.

 

 

 

Continuando o projeto, os alunos fizeram a releitura do painel “Guerra e Paz”, em que escolheram uma foto preta e branca que representou a guerra e uma foto colorida que representou a paz, compartilhando com a turma o motivo da escolha.

 

 

 

Para a culminância do projeto, foi realizada uma exposição sobre Cândido Portinari que reuniu os trabalhos pesquisados pelos alunos. Foi um dia muito interessante, pois os jovens receberam os convidados, mostraram e explicaram a pesquisa que fizeram sobre a vida do famoso pintor brasileiro.

 

 

 

 

 

Agradecemos o contato e parabenizamos a Escola Municipal Alencastro Guimarães pela realização deste projeto, que colaborou com a o conhecimento cultural e a educação para a cidadania.

 

 

Professor, o portal Rioeduca é um espaço feito por e para professores. Participe também! Entre em contato com o representante de sua CRE para divulgar os projetos desenvolvidos por sua escola.

 

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

Renata Carvalho – Professora da Rede e representante do Rioeduca, na 2ªCRE
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

2ªcre (328)
protagonismojuvenil (89)

Comentários
Parabéns professora Silvane Tavares quando um elemento da equipe faz algo ou envia algo que mostre a qualidade da Unidade Escolar que trabalho deve sempre ser visto com bons olhos, que só quer melhoria na educação pode ter.n

Postado por Helena (by troia) em 26/02/2013 23:36

A educação deve nos libertar das convenções, do autoritarismo das ideias que padronizam, da obediência cega e do comodismo. Deve estimular a ação do sujeito para a construção de conhecimentos, propiciar a criticidade e a reflexão. A educação deve lutar contra os entraves psicológicos, libertar o homem “de sua miséria afetiva, de sua pobreza criativa e de sua incapacidade desfrutar o prazer de viver” (Toro, p. 242). Parabéns pela matéria!

Postado por Patrícia Fernandes em 27/02/2013 18:39