A A A C
email

Segunda-feira, 04/03/2013

Mulheres Brasileiras, Educação e Trabalho

Tags: 6ªcre.

A mulher tem marcado as últimas décadas mostrando que competência no trabalho é um grande marco feminino. Apesar de ser taxada como sexo frágil, a mulher tem se mostrado forte o bastante para enfrentar os desafios propostos pelo mercado de trabalho com convicção e disposição. Este é o perfil das mulheres e professoras que trabalham na Escola Municipal Escragnolle Dória.

 

No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos de Nova Iorque fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como: redução de carga diária de trabalho, equiparação de salários com os homens e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

 

As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas. Somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o dia 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem às mulheres que morreram na fábrica.

 

 

 

 Somente em 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

 

 

Ao criar esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e/ou, quem sabe um dia, terminar com o preconceito e a desvalorização da mulher.

 

Mesmo com todos os avanços, em muitos locais elas ainda sofrem com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história!

 

 

 

Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial.

 

 

Mulheres Brasileiras, Educação e Trabalho

 

A partir de 1922, foi permitida a inserção da mulher no mercado de trabalho com o seu ingresso no magistério para a realização de atividades que envolvem o doar-se com nobreza e resignação; qualidade inerente à mulher.

 

Assim, a entrada no magistério surgiu como alternativa possível, e a ocupação deste espaço profissional abriu à mulher um leque de possibilidades, inclusive de atuação em espaços que antes lhe foram negados. Este acontecimento significou também a oportunidade de maior liberdade e autonomia, além de lhe permitir a inserção nos espaços públicos.

 

Desta forma, a educação destinada à mulher seria feita para além do lar, já que sua justificativa não se encontrava em seus próprios anseios ou necessidades, mas na função de formadora de cidadãos.

 

Neste contexto, se percebe que o magistério, que até o século XIX era ocupado  exclusivamente por homens, acabou se tornando um campo permitido às mulheres, que vêm dominando-o com sensibilidade, ternura e competência.

 

 

 

Vídeo em homenagem às mulheres de todo mundo, com a música Maria Maria composta por Milton Nascimento e Fernando Branta e cantada pelo grupo Roupa Nova.

 

 

Mulheres Mil da Escola Municipal Escragnolle Dória

 

Depois de séculos lutando por igualdade, parece que finalmente a mulher está encontrando seu lugar no mundo. De coadjuvantes, estão ganhando cada vez mais o papel de protagonistas, sem ter que deixar a feminilidade de lado. Mais do que poder ser tudo, hoje, a mulher pode escolher se quer ser apenas mãe, apenas profissional ou simplesmente mulher.

 

Em ascensão no Brasil, o empreendedorismo feminino é visto como um fator de mudança cultural e comportamental. Esse comportamento arrojado, altivo e realizador faz  parte do perfil das mulheres - professoras da Escola Municipal Escragnolle Dória.

 

Mulheres de sucesso, dedicadas e que alcançam o topo não são mais uma tendência. Agora elas são uma realidade nesta escola situada em Costa Barros. É possível acompanhar a trajetória dessas mulheres que, com trabalho, dedicação e perseverança, conseguiram se destacar em uma área dominada pela violência.

 

 

 

 Mulheres da Escola Municipal Escragnolle Dória demonstram como vencer barreiras e superar limites. São mulheres realizadas, que fazem  história com seus atos e palavras - como muitas de nós, que acabamos, mesmo sem querer, deixando nossa marca nas pessoas que nos rodeiam, nos lugares pelos quais passamos e na vida.

 

O crescimento significativo dos alunos da Escola Municipal Escragnolle Dória  deve-se a algumas características fundamentais para o sucesso dentro do perfil empreendedor; e as mulheres se destacam e obtêm vantagens com sua capacidade de percepção.

 

As mulheres-professoras desta escola são polivalentes, ou seja, possuem a capacidade de construir e manter uma família unida, de colaborar para o crescimento e a formação do caráter dos filhos e alunos e, também de serem admiradas e reconhecidas como profissionais  de excelência. Como Maerker (2000, p.145) expõe: "Aos poucos, a mulher está conquistando mais e mais seu espaço, ao mesmo tempo em que consegue ampliar seus direitos, tanto nas relações profissionais como nas familiares".

 

Ser mulher ajudou estas educadoras a seguirem a intuição e a sensibilidade para criar novas estratégias de ensino e gerir sua sala de aula. Deu-lhes sabedoria de esperar o tempo certo das coisas, as fez audaciosas e corajosas sem perderem a prudência, a serem firmes nas ordens e decisões sem serem rudes.

 

As educadoras da Escola Municipal Escragnolle Dória vestem a camisa, lutam diariamente por suas ideias e não apenas por posição ou salário. Elas são as guerreiras de 6ª CRE!

 

 


A mulher tem a emoção e a sensibilidade mais aguçadas que os homens. E essas são características fundamentais para quem trabalha diretamente com pessoas, como as professoras. Não é fácil lidar com o ser humano e seus problemas. E a mulher é mais sutil, delicada e paciente que a maioria dos homens (Equipe da E.M. Escragnolle Dória e a professora de Sala de Leitura).

 

Diante de tantas conquistas e méritos femininos, parabenizamos todas vocês por demonstrarem ser capazes de irem além do esperado. Vocês, professoras e, acima de tudo, mulheres são criativas; estão sempre tendo ideias e criando soluções referentes ao dia a dia em sua área de trabalho. Realizam suas atividades com dinamismo e disposição. Enfim, demonstram todas as suas potencialidades em prol do sucesso do outro.

 

 

 

Vídeo criado pela Equipe de Comunicação da DGRH/Unicamp em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

 

 

Toda mulher tem no seu íntimo uma magia própria de fazer acontecer, de dar um jeito, de dar o peito, dar um colo, de fazer bem feito. Feliz Dia Internacional da Mulher!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatriciaGed

Facebook: Patricia Fernandes

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

6ªcre (346)

Comentários
Valorizar a atuação da mulher no seu papel de mãe, esposa, profissão e coragem...Todos devemos repassar a importância da mulher na construção de uma sociedade mais justa!

Postado por Helena(by troia) em 04/03/2013 01:50

Mulheres Guerreiras! Parabéns! Adorei ler a matéria! Feliz Dia Internacional da Mulher!!!!

Postado por Christiane Penha em 04/03/2013 15:41

Excelente trabalho desenvolvendo a reflexão sobre o papel da mulher na sociedade atual. Parabéns E.M. Escragnolle Dória!!!

Postado por Emyli de Castro em 05/03/2013 09:35

Parabéns pela homenagem as mulheres.O reconhecimento da importância da mulher na sociedade, deve ser tema presente nas escolas.Os espaços que conquistamos e o trabalho que realizamos deve ser exemplo para nossas crianças.

Postado por cassia cilene em 05/03/2013 19:44