A A A C
email

Sexta-feira, 31/05/2013

Fazendo Arte com Villa-Lobos e Portinari

Tags: 5ªcre.

 

Muitos acontecimentos marcaram o mês de abril e, por ser um mês de comemorações pelo descobrimento do Brasil, a EDI Fernão Dias trabalhou a arte brasileira de Villa-Lobos e Portinari com seus alunos.

 

Em abril, muitas atividades aconteceram na rede municipal do Rio de Janeiro e, para o EDI 05.15.804 Fernão Dias, mostrar a importância do descobrimento Brasil, retratando o povo brasileiro através das obras de Villa Lobos e Portinari, foi muito importante!

 

 

Heitor Villa-Lobos

 


Heitor Villa-Lobos nasceu no Rio de Janeiro em 5 de março de 1887 e faleceu, também no Rio, aos 17 dias de novembro de 1959. Foi maestro e compositor brasileiro. Destacou-se por ter sido o principal responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música, sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil, compondo obras que contêm nuances das culturas regionais brasileiras, como os elementos das canções populares e indígenas.

 


Cândido Portinari

 


Cândido Torquato Portinari nasceu em Brodowski (interior de São Paulo) a 29 de dezembro de 1903 e faleceu no Rio de Janeiro em 6 de fevereiro de 1962. Foi um grande artista plástico e pintou quase cinco mil obras, de pequenos esboços e pinturas de proporções padrão, como “O Lavrador de Café”, até gigantescos murais, como os painéis “Guerra e Paz”, presenteados à sede da ONU em Nova Iorque em 1956, e que, em dezembro de 2010, graças aos esforços de seu filho, retornaram para exibição no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Portinari é considerado um dos artistas mais prestigiados do Brasil e foi o pintor brasileiro a alcançar maior projeção internacional.

 

Escola Municipal Fernão Dias, Trabalhando a Arte de Villa-Lobos e Portinari

 

Em abril, mês em que se comemora o descobrimento do Brasil, os artistas escolhidos pela Escola Fernão Dias foram Villa-Lobos e Portinari, para retratar o povo brasileiro através de suas obras. A música “O Trenzinho Caipira” foi apresentada em dramatização às crianças, associada à poesia de Manuel Bandeira, “Trem de Ferro”.

 


Música "O Trenzinho Caipira", Bachiana Brasileira Nº 2 de Villa-Lobos.

 

 

Poema Trem de Ferro

(Clique na foto para ler o poema)

 

Fonte da foto: Blog de Antônio Campos (Advogado, Conselheiro Federal da OAB; escritor, editor, Membro da Academia Pernambucana de Letras e Curador da Fliporto/PE.

 

“A estação ferroviária de Marechal Hermes, que fica próximo ao EDI, foi fonte de inspiração com a sua arquitetura inspirada nas estações inglesas do início do século XX e uma das poucas estações quem ainda mantém seu prédio original. Os meios de transportes foram trabalhados nesse período e a visita ao Museu Aeroespacial também foi uma das ações planejadas, mas que infelizmente não aconteceu pela falta de transporte para conduzir as crianças. As salas foram nomeadas com nomes dos estados do Brasil e serão conhecidos pelos alunos através dos quadros de Portinari e das viagens de Villa-Lobos”, revela a Coordenadora Pedagógica Santana Paiva.

 


Releitura das obras de Portinari.

 

E continua: “A criança revela, através do seu modo de pensar, agir e interagir com os outros, a sua capacidade imensa de buscar, de explorar, de criar e aprender porque é um ser curioso e apto a explorar sempre. Neste sentido, no contexto escolar, ela precisa vivenciar situações que estimulem e despertem ainda mais a sua curiosidade, para que possa revelar as suas características, externar as suas dificuldades, os seus sentimentos e os seus talentos e expressões próprias”.

 

“Ouvindo o 'Trenzinho Caipira' de Villa-Lobos, as crianças foram levadas a imaginar o caminho percorrido pelo trem. O desenho de linhas curvas e aleatórias foram traçadas com olhos fechados e imaginação aberta. E virou arte!”, continua a professora Santana.

 

"Trem de Ferro" retratado de várias formas.

 

 

“A partir do poema de Manuel de Barros, Trem de Ferro, este foi retratado de várias formas em trabalhos, músicas e dramatizações. E a estação de Marechal Hermes, além de ser fonte de inspiração, foi a grande homenageada também em decorrência dos 100 anos do bairro”, diz a professora Santana.

 


Estação de trem em Marechal Hermes, que conserva a arquitetura original.

 

A escola elegeu como proposta pedagógica 2013 o trabalho com artes, fazendo uma “ponte” com o Centenário de Marechal Hermes, bairro onde a escola fica localizada.

 

Segundo a Coordenadora Santana: “nos utilizaremos de artistas nacionais e internacionais, através de pinturas, técnicas visuais, música, poesia, para conduzir mensalmente o projeto pedagógico. Cada data comemorativa será associada a um artista e sua obra, reproduzida pelas crianças através de criações e releituras, e contextualizadas localmente através do bairro de Marechal Hermes, suas particularidades, arquitetura, tipos humanos e aspectos sociais, culturais, físicos, etc. E assim os nomes de Pollock, Van Gogh, Villa-Lobos e Portinari têm sido ouvido pelas falas das crianças e incorporados ao seu vocabulário e à sua cultura.

 

Em fevereiro, o artista plástico apresentado foi Jackson Pollok, que dizia ser sua pintura “tão fácil que qualquer criança pode fazer”. Através da técnica “dripping” (gotejamento), foram reproduzidos em sala de aula trabalhos visuais, após exibição de vídeo do artista ensinando sua técnica. A técnica foi aproveitada para a confecção de trabalhos alusivos a comemoração do aniversário da cidade do Rio de Janeiro, na reprodução dos pontos turísticos que nomearam as salas de aulas neste mês.

 

Técnica “dripping” (gotejamento).

 

Logo em seguida, quando comemoramos a Páscoa, o símbolo girassol foi contemplado na obra de Van Gogh e também através do plantio da semente nas áreas externas da escola, onde os alunos vivenciaram a germinação dos vegetais e também realizaram trabalhos plásticos de pintura.

 

Girassol e Van Gogh.

 

E muitos outros artistas ainda vêm por aí: Tarsila do Amaral, Romero Brito, Ivan Cruz, Monet, Vinicius de Moraes, Vik Muniz, Mestre Vitalino, Volpi...”.


E finaliza, afirmando que “pretendemos com o Projeto Pedagógico “Ativos e Criativos” incorporar à nossa prática um sentido maior, onde os sonhos, sentidos e criação própria da criança sejam estimulados e ampliados, através da arte, ora como artista, ora como apreciador ou espectador. Acreditamos que é urgente e necessário despertar nas crianças o sentimento de amor pela arte e que através da audição de uma música, da leitura e da dramatização de uma história, ou na apreciação de uma obra de arte os sentimentos são despertados. “

 

Conheça o blog da Escola Municipal Fernão Dias. Você vai se encantar! http://emfernaodias2011.blogspot.com.br/

 

Parabéns aos professores e a todos os envolvidos, pois demonstraram através deste projeto grande sensibilidade com a arte da música e da poesia.

 

Agradeço especialmente a professora Santana pela presteza em participar desta matéria enviando um relato.

 

Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Visitem, acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheça os blogs da 5ª CRE.

 

Acompanhem, também, nosso grupo no Facebook, sendo mais um membro:
https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                               


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

5ªcre (418)

Comentários
Não há comentários sobre este tópico.