A A A C
email

Segunda-feira, 12/09/2016

Jogando Goalball. O Valor da Superação!

Tags: olimpíadas, paralimpíadas, 5ªcre.

 


   

 


     Na Escola Municipal Velinda Maurício da Fonseca não podia ser diferente: todos ficaram ansiosos para a chegada das Olimpíadas Rio 2016. O tema escolhido para o ano letivo de 2016 foi “Valores Olímpicos: O maior legado”. Nessa viagem através do esporte, os professores das turmas de 5º ano levaram os alunos a conhecerem bem de perto os esportes Olímpicos e Paralímpicos, que nos ensinam valores importantíssimos para o desenvolvimento global dos alunos.

 

Os alunos assistiram diferentes vídeos sobre os esportes Olímpicos e Paralímpicos, produzindo textos, cartazes e Maquetes sobre o tema. A produção das maquetes sugeridas pela professora Geyza contou com a construção dos locais das competições e modalidades Olímpicas. Com muita DETERMINAÇÃO, eles produziram lindas maquetes.

Após estarem inseridos no “universo paralímpico” e discutirem sobre o tema Inclusão, os alunos começaram a vivenciar as dificuldades de se praticar os esportes paralímpicos, entendendo o verdadeiro sentido da palavra “SUPERAÇÃO”. O Professor, Luiz André de Educação Física, propôs a realização de duas modalidades paralímpicas: o Vôlei sentado e Goalball.

 

 

O primeiro esporte PARALÍMPICO praticado por eles foi o vôlei sentado. Com CORAGEM aceitaram o desafio. Em função das dificuldades que encontraram, foi realizado com uma formação com mais de seis participantes por equipe e, após várias adaptações, acabaram gostando, porém acharam bem difícil!

O outro esporte praticado foi Goalball, uma modalidade paralímpica praticada por deficientes visuais. Para que os alunos tivessem acesso a uma bola de Goalball, o Prof. Luiz André entrou em contato com a CBDV (Confederação de Desporto de Deficientes Visuais) que, através do professor Felipe, cedeu uma bola de Goalball para que a experiência fosse completa. Foi um momento muito emocionante, pois os alunos tiveram que lidar com as dificuldades dos movimentos com os olhos vendados. Em seguida, hora de iniciar o jogo de Goalball com muita INSPIRAÇÃO. 
 

 

Muito interessante e não menos importante - IGUALDADE - foi a participação da turma auxiliando os alunos que, vendados, jogavam o Goalball. Mostrando e aprendendo a dificuldade de “cuidar” dos colegas que sem enxergar deveriam através de seus comandos, andar para frente, abaixar, pegar a bola e arremessar. 

Importante ressaltar que essas atividades também foram realizadas com os nossos alunos da Classe especial, que nos ensinam a cada dia a importância da palavra superação e os valores Paralímpicos: Determinação, Coragem, Igualdade e Inspiração.

Parabéns aos envolvidos nesse trabalho de excelência, que demostra todo o comprometimento com a qualidade da educação e a importância dos valores olímpicos e paralímpicos para a formação dos alunos!
 

 

A história dos Jogos Paraolímpicos


Os primeiros eventos competitivos voltados para pessoas com deficiência surgiram na Inglaterra e nos Estados Unidos, logo após a Segunda Guerra Mundial – muito em função de inúmeros ex-combatentes terem perdido membros ou a audição enquanto lutavam.

Os primeiros jogos foram realizados em Stoke Mandeville, onde localizava-se um importante hospital e o Centro Nacional de Lesionados Medulares, em 1948. O Centro foi criado pelo governo inglês com a ajuda do neurologista Ludwig Guttmann para tratar os soldados feridos na guerra. Para tanto, os médicos adotaram o esporte como parte da reabilitação médica. Essa não era uma prática muito comum naquela época. Embora já acontecessem algumas promoções esportivas para portadores de deficiência, os Jogos de 1948 foram considerados um marco na história do esporte paraolímpico e ficaram mundialmente conhecidos como os Jogos de Stoke Mandeville, que reuniram 16 atletas, todos veteranos de guerra.

A realização dos Jogos de Stoke Mandeville, “coincidiu” com os Jogos Olímpicos de Londres, deixando claro, desde o início, o desejo do médico Ludwig Guttmann da criação de uma Olimpíada para os portadores de deficiência. O sucesso do método implantado pelo neurologista com seus pacientes foi tão grande que, pouco a pouco, médicos do mundo inteiro passaram a usar o esporte também como uma nova forma de reabilitar seus pacientes.

E já que pessoas portadores de deficiência de outros lugares, além da Inglaterra, estavam praticando esporte, nada melhor do que organizar uma nova competição. E foi assim que, em 1952, foram realizados os Jogos Internacionais de Mandeville, que reuniram nada menos do que 130 atletas ingleses e holandeses.

O sonho de Guttmann, porém, concretizou-se mesmo em 1960, com a realização dos Jogos Paraolímpicos de Roma, evento considerado pelo Comitê Paraolímpico Internacional, como o primeiro grande evento. Os Jogos Paraolímpicos de Roma, chamados de Olimpíadas dos Portadores de Deficiência, reuniram 400 atletas, de 23 países, porém, todos cadeirantes. A competição teve todo o apoio dos dirigentes mundiais e desde então, os Jogos Paraolímpicos passaram a ser realizados nas mesmas cidades e nas mesmas instalações dos Jogos Olímpicos. 

                                                                                                                       Fonte:http://esporte.hsw.uol.com.br/jogos-paraolimpicos1.htm



 A escola:

Escola Municipal Velinda Maurício da Fonseca
E/CRE(05.15.009)
Rua Marupiara 105, Rocha Miranda - 21510-210
emvelinda@rioeduca.net
3372-5544 3373-1086

 

 

 

 


                                    


 


 



   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

5ªcre (418)

Comentários
A união faz a difrença! É essa determinação,coragem,igualdade e inspiração que esperamos de todos os profissionais da EDUCAÇÃO. PARABENIZO AOS PROFESSORES DA UE 05.15.009 VELINDA MAURÍCIO DA FONSECA POR ESSE GRANDIOSO E BRILHANTE TRABALHO.

Postado por Lucy Mary Lima Matos em 13/09/2016 21:58

PARABÉNS!AOS ALUNOS DO QUINTO ANO.MOSTRARAM QUE SÃO TALENTOSOS,CRIATIVOS E PARTICIPATIVOS.

Postado por GEIZA CHAGAS ROCHA em 15/09/2016 20:25